segunda-feira, 23 de julho de 2012

Aulas de línguas e de informática: Centro de Formação Lucien Huss aceita inscrições para ano lectivo 2012/2013

O Centro de Formação Lucien Huss, da associação Amizade Portugal-Luxemburgo (APL) propõe, para o ano lectivo 2012/2013, aulas de luxemburguês, francês, alemão, inglês, e chinês, bem como aulas de informática.

Aquela instituição previu dois dias para as inscrições: 26 de Julho e 29 de Agosto, entre as 10 e as 18h. Os interessados devem dirgir-se à sede da APL,  no Centre Convict (edifício A, 1°andar), no n°5, avenue Marie-Thérèse, na cidade do Luxemburgo.

Para informações adicioanis, tel. 26 56 16 92 (ou cflh@gmail.com).

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Portugal: Morreu historiador José Hermano Saraiva

O historiador José Hermano Saraiva morreu hoje de manhã, disse à agência Lusa o assistente do produtor do programa da Videofono feito pelo académico de 93 anos.

Carlos Manuel disse à Lusa que o produtor José Manuel Crespo foi hoje informado por um familiar de José Hermano Saraiva que o historiador tinha morrido hoje em casa, no distrito de Setúbal.

De ministro a grande divulgador da cultura portuguesa na televisãoJosé Hermano Saraiva foi jurista, ministro da Educação e autor da “História Concisa de Portugal”, mas tornou-se conhecido do grande público como apresentador de programas televisivos de divulgação cultural.

O historiador foi agraciado este ano, nas celebrações dos 10 de junho, pelo Presidente da República, com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique. Em outubro de 2010, a Academia Portuguesa da História (APH) distinguiu José Hermano Saraiva como académico de mérito, salientando ser um “grande divulgador” da História de Portugal.

“A Academia achou que nesta sua idade, era bonito, agradável, marcar um momento de confraternização com um homem que fez muitos portugueses conhecer a História de Portugal”, explicou na altura à Lusa a presidente da APH, Manuela Mendonça. Manuela Mendonça sublinhou que José Hermano Saraiva “levou com simpatia e palavras de agrado os portugueses a interessarem-se mais pela sua própria História”.Membro “há muitos anos” da Academia, José Hermano Saraiva era também membro das academias das Ciências de Lisboa, da Marinha e do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (Brasil).

Nascido em Leiria, no dia 3 de outubro de 1917, José Hermano Saraiva notabilizou-se nas quatro últimas décadas através de programas televisivos sobre História.Licenciado em Histórico-Filosóficas (1941) e em Ciências Jurídicas (1942), exerceu advocacia e foi professor do ensino secundário.

Em 1957 foi deputado à Assembleia Nacional e procurador às cortes. Entre outros cargos públicos que exerceu antes do 25 de abril de 1974, como o de diretor do Instituto de Assistência aos Menores, foi ministro da Educação Nacional entre 1968 e 1970, qualidade na qual inaugurou a Biblioteca Nacional de Portugal. Foi substituído por Veiga Simão, após a crise académica de 1969, tendo sido designado embaixador de Portugal em Brasília, em 1972.

A colaboração com a RTP começou em 1971 com o programa “Horizontes da Memória”, tendo nesse ano recebido o Prémio da Imprensa para o Melhor Programa do Ano. Foi ainda autor e apresentador de “Gente de Paz”, que assinalou o seu regresso à RTP em 1978, “O Tempo e a Alma”, “Histórias que o Tempo Apagou” e “A Alma e a Gente”.

Um dos seus livros mais conhecidos é a “História concisa de Portugal”, já na 25.ª edição, com um total de cerca de 180 mil exemplares vendidos. Editado pela primeira vez em 1978, este título foi já traduzido em espanhol, italiano, alemão, búlgaro e chinês. O livro foi escrito durante o exílio a que se impôs na Nazaré, a praia da sua infância, durante o PREC (Período Revolucionário em Curso), em 1974-75, a convite do editor livreiro Lyon de Castro. José Hermano Saraiva dirigiu também uma outra História de Portugal em seis volumes, publicada em 1981 pelas Edições Alfa. Na área da História, José Hermano Saraiva publicou cerca de 20 títulos, entre eles “Uma carta do Infante D. Henrique”, “O tempo e alma”, “Portugal – Os últimos 100 anos”, “Vida ignorada de Camões” ou “Ditos portugueses dignos de memória”. Na área da jurisprudência editou sete títulos, nomeadamente “A revisão constitucional e a eleição do Chefe do Estado”, “Non-self-governing territories and The United Nation Charter” e “Apostilha crítica ao projecto do Código Civil”, tendo ainda publicado cinco títulos na área da pedagogia.

José Hermano Saraiva apresentou à APH várias orações académicas, tendo sido publicadas sete, a mais recente em 1988, intitulada “A crise geral e a Aljubarrota de Froyssar”.O historiador foi distinguido com a Grã-Cruz da Ordem da Instrução Pública, a Grã-Cruz da Ordem do Mérito do Trabalho, a Comenda da Ordem de N.da Conceição de Vila Viçosa e a Grã-Cruz da Ordem de Rio Branco (Brasil).

Foto: LUSA


quinta-feira, 19 de julho de 2012

Chefe de Redacção do Luxemburger Wort deixa grupo Saint-Paul Luxembourg

Marc Glesener, director da Informação e dos conteúdos redacionais dos media do grupo Saint-Paul Luxembourg, entre os quais se contam o CONTACTO e o Pont24-português, e Chefe de Redacção do Luxemburger Wort, deixa a empresa a 1 de Setembro.

O grupo Saint-Paul Luxembourg agradece a Marc Glesener os seus bons e leais serviços prestados ao longo de 19 anos e deseja-lhe muitos sucessos para o futuro da sua carreira profissional.

Na sequência desta partida, o director-geral, Paul Lenert, vai assegurar interinamente o posto de Chefe de Redacção do Luxemburger Wort.

Foto: Guy Jallay

Portugal: Sete distritos de Portugal continental sob aviso amarelo por causa do calor

Sete distritos de Portugal continental continuam hoje sob aviso amarelo, o segundo menos grave numa escala de quatro, devido ao calor, informa o Instituto de Meteorologia (IM).
De acordo com a página de Internet do IM, os distritos de Bragança, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Évora e Beja estão sob aviso amarelo até às 22:00 de hoje.
Por seu lado, Faro está sob aviso amarelo até às 22:00 de sábado.
O IM prevê para hoje em Portugal continental céu pouco nublado ou limpo e pequena descida da temperatura máxima.
Para hoje, em Lisboa, estão previstas temperaturas entre os 18º e os 30º, para o Porto, entre os 13º e 24º, e para Faro, entre os 21º e os 33º.

José Trindade lança apelo: "Não tragam mais portugueses"

José Trindade, presidente do Centro de Apoio Social e Associativo (CASA), emitiu na semana passada um comunicado em que pede aos portugueses que vão passar férias a Portugal que não aliciem compatriotas  com a emigração. A carta evoca o desemprego crescente  no Luxemburgo.

"Quando chegarem a Portugal (...), todas as pessoas que encontrarem irão contar os seus dissabores sobre a situação da crise. O que para nós imigrantes não é novidade, pois também sentimo-la cá a todos os níveis, mas os que lá vivem nem sempre acreditam nisso. (...) E é precisamente nesse sentido que vos manifesto a minha preocupação de não darem falsas esperanças ou fazerem promessas sem terem certezas absolutas de conseguirem ajudar os vossos familiares, amigos ou vizinhos [a emigrarem]."

Trindade pede ainda que cada um alerte "convenientemente as pessoas que tenham o desejo de sair do país" sobre a real situação no Luxemburgo.

"Todos os dias, o CASA ajuda recém-chegadas que estão a dormir na rua ou em carros, outros já não têm meios financeiros para regressar, damos-lhes um bilhete de regresso e até (...) dinheiro para se alimentarem na viagem. (...) As próprias autoridades (Consulado e Embaixada) procuram-nos para facultar este tipo de ajuda. Existe um ditado que diz que cada família portuguesa que vai de férias a Portugal tráz um novo imigrante na bagagem. Peço-vos muito sinceramente que não se responsabilizem por trazer ninguém", recomenda o presidente do CASA.

O CASA informa ainda que, durante o mês de Agosto, todos os seus serviços continuam disponíveis, mas apenas sob marcação prévia (tel. 43 27 49/621 152 104 ou infocasa@pt.lu ).

"Chèque-service" tem novas regras





O Conselho de Ministros aprovou as alterações ao regime do "chèque-service".

A partir de agora, os pais vão ter que pagar mais nas actividades subsidiadas pelo Governo. No novo regime anunciado pelo primeiro-ministro, durante o debate do Estado da Nação, uma família com rendimentos inferiores a três salários mínimos (ou seja 76.041 euros por ano) vai passar a pagar três euros para poder frequentar uma creche num período de quatro a 24 horas por semana. Na prática há um aumento de 50 cêntimos.

O preço das refeições vai também aumentar: dos actuais dois euros, as famílias vão começar a pagar três euros. O preço das refeições, como já acontece, é pago à parte da mensalidade paga ao estabelecimento que acolhe a criança. No caso das famílias que tenham rendimentos superiores ou iguais a 4,5 vezes o salário mínimo nacional (ou seja 97.766 euros por ano), os preços que as famílias vão ter de pagar aumentam um euro.

Na prática, uma família com um filho vai pagar quatro euros, em vez dos actuais três, para que a criança possa frequentar um estabelecimento de ensino. O segundo filho vai pagar 3,20 euros, o terceiro 2,10 e o último vai poder frequentar um estabelecimento escolar gratuitamente. Ao nível do preço das refeições, o aumento é mais significativo: mais 2,5 euros por refeição, ou seja, 4,5 em vez dos actuais dois euros.

Ao nível da denominada "plein tarif" (preço completo) não há quaisquer alterações, independentemente da categoria dos rendimentos, isto é, cada agregado vai continuar a pagar 7,5 euros para as 60 horas semanais. A "tarif sociofamilial" (tarifa sócio-familiar) também não sofre alterações. Os novos preços são aplicados ao nível das "Maison Relais", "foyers de jour" (centros de dia), creches e infantários.

Grupo de tricot “All Knit Long” reúne-se no domingo, na cidade do Luxemburgo

O primeiro encontro do grupo de tricot teve lugar em Maio Foto: Sabrina Sousa
No domingo, 22 de Julho, o grupo “All Knit Long” volta a reunir-se na place de Clairefontaine, na cidade do Luxemburgo.

O encontro tem início marcado para as 16h e a organização espera uma boa afluência de tricotadeiras.

Tricotar para solidarizar

Este encontro traz consigo uma novidade: sob o lema “tricotar para doar”, o grupo irá tricotar por uma causa conjunta: até Dezembro, serão tricotadas peças que, no Natal, serão oferecidas a uma instituição de solidariedade social.

Os interessados em participar neste projeto são bem vindos: basta que se associem ao grupo “All Knit Long”, para assim colaborar na confeção das peças.

Todas as pessoas que, não pudendo participar, mas que mesmo assim queiram ajudar, poderão doar lãs para a produção das ditas peças. Incrições e outras informações podem ser através do envio do e-mail allknitlong.info@gmail.com ou contactando a CCPL (Confederação da Comunidade Portuguesa na Luxemburgo) pelo número de tel. 29 00 75.

Relembramos que a participação neste grupo é gratuita.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Luxemburgo abre caça a beneficiários do RMG





A carta veio da Direcção da Imigração do Luxemburgo, um departamento do Ministério dos Negócios Estrangeiros luxemburguês, e é peremptória. Maria e João (*) "não dispõem de recursos suficientes para eles próprios e os membros da sua família" e tornaram-se "uma sobrecarga não razoável para o sistema de Segurança Social" luxemburguês. "Em consequência, considero a partir deste momento revogar o vosso direito de residência, bem como o dos vossos filhos menores", termina a carta, que dá a Maria e João um prazo de oito dias para "apresentar observações".

Maria e João estão há quase quatro anos no Luxemburgo. João chegou primeiro, em 2008, e só esteve um dia sem trabalhar.

"Ao segundo dia arranjou trabalho, graças a Deus", conta Maria, que veio para o Luxemburgo alguns meses depois com os quatro filhos do casal. O mais velho sofre de uma doença rara, uma enfermidade incurável que se agravou com o clima do Luxemburgo. Maria ainda trabalhou durante 15 dias, mas o filho foi internado e teve de deixar o emprego. A doença do menor não tem tratamento no Grão-Ducado, e de seis em seis meses, Maria tem de levar o filho a uma clínica no estrangeiro, onde a criança chega a ficar internada por períodos de três semanas. "Nenhum patrão iria aceitar isso...".

Como Maria não pode trabalhar, a família tem de viver com o salário do marido. E como o que o marido ganha não chega para viver, têm direito a receber um complemento de Rendimento Mínimo Garantido (RMG), como prevê a legislação luxemburguesa. Foi um assistente social que informou a família de que tinham direito ao RMG, como todos os cidadãos comunitários que vivam no país há mais de três meses. "Mas agora a carta diz que damos prejuízo ao Luxemburgo e que vamos ficar sem 'droit de séjour' [direito de residência]", conta Maria, em lágrimas.

Desde que recebeu a carta, Maria não tem descanso: no dia seguinte estava à porta do Ministério dos Negócios Estrangeiros para pedir explicações. "Só por telefone”, dizem-lhe. Uma funcionária chega a dizer-lhe que a carta "é definitiva” e que "não há nada a fazer, vão mesmo perder o direito de residência”. Pânico. Pelo telefone, esclarecem-na: sim, tem oito dias para explicar a situação da família, só depois é que o Ministério toma uma decisão.

"O meu marido sai de casa todos os dias às 4h30 da manhã para ganhar o salário mínimo. Faz isto há quatro anos. E agora querem que nos vamos embora, como se fôssemos criminosos? Mas nós roubámos alguém? Nós matámos alguém, para sermos extraditados do país? Eu não acho isto justo!".


CASOS NÃO PARAM
DE AUMENTAR


 Quem também não acha a situação "justa" é a ASTI. De há uns meses para cá, a Associação de Apoio aos Trabalhadores Imigrantes foi inundada de casos como este: cidadãos comunitários com cartas iguaizinhas à de João e Maria, só mudam os nomes.

"É uma invasão", garante Laurence Hever, assistente social no Guichet Info-Migrants da ASTI, que presta informação aos imigrantes.

"As primeiras situações surgiram no ano passado, mas nessa altura eram casos de pessoas que estavam desempregadas e tinham trabalhado pouco tempo no Luxemburgo. Desde Junho, há cada vez mais casos, incluindo de trabalhadores que recebem um complemento de RMG. Recebemos cinco casos por semana, um por dia. Mas estas são apenas as pessoas que nos contactam: há pessoas que não contactam sequer um advogado ou uma associação, e simplesmente não respondem".

E com apenas oito dias para responder, há muitos a deixar passar o prazo. "Oito dias para decidir o que vai ser das suas vidas", indigna-se a assistente social. "Há muita gente a deixar passar o prazo – têm medo, acham que se não fizerem nada o problema desaparece... E depois têm de contactar uma associação ou um advogado, porque, em geral, não são capazes de redigir uma resposta deste tipo. E têm de recolher documentos e provas, e isso leva tempo".

Na ausência de resposta, a Direcção da Imigração revoga automaticamente o direito de residência, "e retira-lhes o RMG e as prestações familiares". E sem direito a viver no país, "as pessoas caem numa zona de não-direito", explica Laurence Hever.

"Não são legais nem ilegais: não têm o direito de residir aqui, mas também não podem expulsá-los". É que a lei comunitária só permite a expulsão de cidadãos da UE em casos de segurança ou ordem pública: em nenhum caso a decisão de afastamento poderá ser baseada em razões económicas, diz a directiva comunitária sobre a liberdade de circulação. Mas ficar no Luxemburgo sem direito de residência significa perder o direito a trabalhar no país, perder o direito às prestações sociais e aos abonos de família, e, a prazo, "perder o apartamento, tudo”. "São os sem-papéis comunitários", sintetiza a assistente social, chocada com a falta de critério da Direcção da Imigração.

"Nunca pensei que chegássemos a este ponto. Há situações e situações. O que mais me choca é porem toda a gente na mesma gaveta. Não contesto o direito de o Governo fiscalizar os abusos, mas há pessoas que pura e simplesmente não deveriam receber esta carta", indigna-se a assistente social. É o caso, defende, de João e Maria.

"Aqui, não há qualquer abuso nem aproveitamento do sistema: a família faz esforços, mais até do que a maioria. O pai é trabalhador assalariado, e é impossível para esta mãe trabalhar, com quatro filhos, para mais quando um deles tem uma doença grave".


ASTI QUESTIONA MINISTRO DA IMIGRAÇÃO 


Há pouco mais de uma semana, a ASTI convocou uma reunião com vários juristas para discutir o problema. E decidiu questionar o ministro da Imigração sobre os critérios que levam ao envio das cartas e à revogação do direito de residência.

A carta para Nicolas Schmit seguiu na última sexta-feira e ainda não teve resposta. A de João e Maria, essa, já chegou. Com a ajuda da ASTI, o casal expôs a situação à Direcção da Imigração e enviou documentos e provas: atestados médicos com a doença do filho, recibos de vencimento, cópias do contrato de trabalho de João. Pensaram que o caso ficaria por aí, mas a resposta do Ministério fê-los sentir que voltaram à estaca zero.

A carta diz que a família recebeu "uma soma de mais de 50 mil euros" de RMG nos últimos três anos, e pode por isso "ser considerada uma sobrecarga não razoável para o sistema de Segurança Social, tendo em conta que os rendimentos [de João] não chegam para cobrir as necessidades dele próprio e dos membros da família". E dá a Maria e João um prazo até Dezembro deste ano para "reduzirem de maneira significativa" a sobrecarga para a Segurança Social. Mas em Dezembro a situação da família não vai ser diferente: "A mãe vai continuar a não poder trabalhar, e enquanto o marido ganhar o salário mínimo, vão continuar a ter direito a receber este complemento”, diz a assistente social da ASTI.

Para Maria e João, a bomba-relógio que receberam pelo correio continua a ameaçar explodir.

Paula Telo Alves

* O casal pediu o anonimato.

Número de casos aumentou nos últimos meses: Todos os dias um português recebe um aviso da Direcção da Imigração

Não se sabe se existe, mas o estereótipo do "turista social” que vem para o Luxemburgo para usufruir da Segurança Social está bem vivo na cabeça das autoridades luxemburguesas.

"Há pessoas que se apresentam no Fonds National de Solidarité [que atribui o Rendimento Mínimo Garantido] sem sequer se inscreverem antes na comuna. Eu não vi, mas contaram-me no FNS", diz Tom Goeders, responsável pelo Serviço dos Cidadãos Comunitários na Direcção da Imigração. E no entanto, os casos em que aquele serviço ameaça retirar o direito de residência aos beneficiários de RMG estão longe de encaixar nesse estereótipo.

Na secretária do chefe de serviço, acumulam-se duas pilhas de processos. No chão, há mais dois caixotes com pastas. É daqui que saem os avisos para os beneficiários do RMG, "em média dez por semana". Destes, mais de 60 por cento são enviados a portugueses, garante Tom Goeders – seis por semana, pelo menos um por dia.

O volume aumentou muito desde meados de 2011. Nos últimos 15 meses, o FNS recebeu 1.800 novos pedidos de RMG de cidadãos comunitários e de países fora da UE, revelou ao CONTACTO Claude Schranck, responsável da administração do Fonds National de Solidarité. Nos últimos meses, são 200 novos pedidos de RMG por mês, diz Schranck, que reconhece que a instituição não dispõe de estatísticas fiáveis nem de dados comparativos com anos anteriores.

"Há uns meses, mudámos a nossa posição", admite Tom Goeders. "Antes, se uma pessoa trabalhava quarenta horas por semana e recebia um complemento de RMG, dizíamos: 'já trabalha o máximo possível'. Mas como o número de pessoas que pede o RMG aumentou, e as pessoas vão começar a imigrar para o Luxemburgo por esta razão, tornámo-nos rigorosos".

A máquina de fiscalização está montada. Sempre que entra um pedido de RMG de um cidadão comunitário, o Fonds National de Solidarité (FNS) informa a Direcção da Imigração, "mesmo que as pessoas só recebam um complemento de RMG de 300 ou 400 euros”, explica Goeders. Depois, a Direcção da Imigração verifica há quanto tempo a pessoa chegou ao Luxemburgo, quantos meses trabalhou no país, quanto recebe de RMG.

"Numa primeira fase, os interessados são informados da nossa intenção de revogar o direito de residência. Depois, analisamos a reacção. Se a pessoa nem sequer responde, a seguir enviamos a carta em que revogamos o direito de residência”. 

Desde o início deste ano, a Direcção da Imigração já retirou o direito de residência em 70 casos. A fundamentar as decisões do Ministério estão os artigos 6 e 24 da Lei de 29 de Agosto de 2008 sobre a livre circulação e a imigração, que transpõe a directiva comunitária 2004/38/CE. Uma e outra condicionam o direito de residência dos cidadãos comunitários à prova de "recursos suficientes para não se tornar[em] uma sobrecarga não razoável para o regime de Segurança Social”.

O problema é que em lado nenhum se define o que é "uma sobrecarga não razoável”, e a amostra de casos é tão variada que é difícil descortinar o princípio que dita as decisões. Em comum, apenas o facto de em todos os casos os cidadãos comunitários estarem há menos de cinco anos no Luxemburgo, e não terem por isso direito de residência permanente.

No mais, "os casos  raramente se parecem”, admite Goeders. A maioria são pessoas que  estão há pouco tempo no Luxemburgo e que começaram a receber o RMG pouco tempo depois.

"Se uma pessoa vem, trabalha três meses, e depois recebe RMG durante cinco meses, e não responde de forma convincente à primeira carta, aí dizemos-lhe 'ok, talvez seja melhor que vá para outro país'”. Um grande número de casos diz respeito a "pessoas que, depois de viverem nove meses no Luxemburgo, recebem a totalidade do RMG (cerca de 1.400 euros) durante seis meses, por exemplo”.

O maior número de casos nesta situação são pessoas que trabalham na construção, no sector de trabalho temporário. "A construção está em crise, e pelo menos no Inverno, é difícil encontrar trabalho”, explica o funcionário.

Como há também, de há uns meses para cá,  trabalhadores a receberem avisos da Direcção da Imigração, como no caso de João e Maria, que publicamos nestas páginas. "Pessoas pouco qualificadas, que por isso recebem salários mais baixos” e têm de receber um complemento de RMG para a família.

No Luxemburgo, um em cada dez trabalhadores está em situação de pobreza, segundo um relatório do Statec de 2012. O país pode ter o salário mínimo mais alto da União Europeia, mas "é também o país da Europa onde o salário mínimo mais se aproxima do limiar de pobreza", constata o gabinete de estatísticas luxemburguês. Resultado: há famílias em que um ou mais elementos trabalham, e mesmo assim têm direito a receber um complemento de RMG para poderem sobreviver.

"Se numa família alguém trabalha quarenta horas por semana, ou arquivamos o processo, ou damos-lhe mais tempo [para resolver a situação]. Mas num caso em que o marido trabalha 40 horas e a mulher 20, por exemplo, aí não há problema, porque não estamos perante uma sobrecarga não razoável. Aí, é a vida que é demasiado cara no Luxemburgo”, diz Tom Goeders.

Há também casos de beneficiários do RMG que em troca do subsídio trabalham para o Estado, ao abrigo de uma medida de inserção profissional. O problema é que depois arriscam-se a receber uma carta da Direcção da Imigração a ameaçar revogar-lhes o direito de residência. A razão? "Estas medidas de inserção são totalmente financiadas pelo Estado, e por isso não são consideradas trabalho”, justifica-se Goeders.

O chefe do Serviço dos Cidadãos Comunitários deixa um alerta: "As pessoas não estão informadas. Nos primeiros cinco anos de residência, quem recorra frequentemente às chamadas prestações sociais não contributivas (o RMG) arrisca-se a ver retirado o direito de residência – as pessoas que recebem subsídio de desemprego não estão em causa, descontaram para isso. O que as pessoas têm de perceber é que o RMG serve para 'desenrascar', não deve ser um recurso que perdure, porque senão arriscam-se a ter problemas”.

A partir de cinco anos no país, os cidadãos comunitários adquirem o direito de residência permanente e deixam de estar sujeitos à fiscalização do Estado. "Aí, têm os mesmos direitos que um cidadão luxemburguês – deixam de ter de provar que têm recursos suficientes".

Na carta que enviou na sexta-feira ao ministro da Imigração, e a que o CONTACTO teve acesso, a ASTI questiona os critérios da Direcção da Imigração, "tendo em conta as consequências dramáticas da revogação do certificado de residência”. E insta o ministro a rever os procedimentos, "sobretudo se os elementos do processo indicam que foi uma causa independente da vontade [dos beneficiários do RMG] a colocá-los em situação de dependência social".

Paula Telo Alves

Destaques do CONTACTO de 18 de Julho de 2012


O Luxemburgo abre caça a beneficiários do Rendimento Mínimo Garantido, esta a manchete do jornal CONTACTO de hoje. Todas as semanas, a Direcção da Imigração do Luxemburgo envia uma dezena de cartas a ameaçar revogar o direito de residência a beneficiaries do RMG. Entre as cartas que saem semanalmente, 60% são enviadas a portugueses. O CONTACTO falou com um casal português que está nesse caso. Um exclusivo CONTACTO.

As férias colectivas da construção civil começam a 27 de Julho e a retoma é a 19 de Agosto. É a altura que a maior parte da comunidade portuguesa escolhe para tirar férias.

“Diz-se que quando regressam de férias cada português traz outro português na bagagem. Não se responsabilizem em trazer portugueses para o Luxemburgo”, este é o apelo de José Trindade, presidente do CASA, o Centro de Apoio Social e Associativo, num comunicado enviado à comunidade portuguesa, em vésperas de esta partir de férias.

Nesta edição pode ainda encontrar a notícia sobre a morte de John Castegnaro, o antigo presidente da OGB-L, que faleceu na segunda-feira. E pode ler também a reportagem sobre uma doença que poucos conhecem, o Lúpus. O CONTACTO falou com uma portuguesa portadora da doença.

Estas e outras notícias no CONTACTO de hoje.

Esta é a última edição do CONTACTO antes da pausa de Verão. Regressamos a 5 de Setembro. A todos os leitores e anunciantes desejamos umas Boas Férias.

CONTACTO, o seu semanário no Luxemburgo.

domingo, 15 de julho de 2012

F91 Dudelange prepara recepção ao Salzbourg

Foto: Fabrizio Munisso
Depois de ter "cilindrado" completamente o Tre Penne (7-0 e 4-0), frágil formação de São Marino na primeira pré-eliminatória da "Champions", o F91 Dudelange vai defrontar na próxima semana os austríacos do Red Bull Salzbourg.

Um adversário bastante forte e com pretensões na prova.

Depois de dois jogos fáceis frente ao Tre Penne, o campeão em título do Luxemburgo vai defrontar o vencedor da Liga austríaca na segunda pré-eliminatória da Liga dos Campeões.

O encontro da primeira mão disputa-se na próxima terça-feira, dia 17 de Julho, no estádio Jos Nosbaum, em Dudelange, a partir das 18h30.

A formação de Didier Philipe, com o moral em alta, prepara a recepção ao seu poderoso adversário, consciente das dificuldades, mas acreditando que pode fazer um brilharete na prova.

sábado, 14 de julho de 2012

Portugal encerra qualificação em Coimbra com o Luxemburgo

A selecção portuguesa de futebol vai disputar o último jogo do Grupo F de qualificação para o Mundial 2014 em Coimbra, frente ao Luxemburgo, a 15 de Outubro de 2013. Depois de iniciar a fase de apuramento diante do Luxemburgo, a 7 de Setembro, a equipa das "quinas" disputa o primeiro jogo em casa, em Braga, frente ao Azerbaijão, quatro dias depois.

Ainda em 2012, Portugal vai à Rússia, a 12 de Outubro, e recebe a Irlanda do Norte, no Estádio do Dragão, a 16 de Outubro. Portugal vai receber a Rússia, no Estádio da Luz, em Lisboa, a 7 de Junho de 2013, antes de defrontar Israel em Alvalade, a 11 de Outubro de 2013. O último jogo de Portugal no grupo de qualificação está marcado para quatro dias depois, frente ao Luxemburgo, a 15 de Outubro, em Coimbra.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Blink-182 dão concerto amanhã na Rockhal

Foto: Blink-182
A banda punk rock norte-americana Blink-182 vai estar em concerto amanhã no Luxemburgo. As portas da Rockhal abrem às 19h.A banda de San Diego chega finalmente ao Luxemburgo, para gáudio dos seus muitos fãs, depois de terem falhado a edição do ano passado do festival Rock-a-Field. Na bagagem, Tom DeLonge, Mark Hoppus e Travis Barker trazem o mais recente trabalho do grupo: "Neighborhoods".

Os Blink-182 alcançaram o sucesso em 1999 com o lançamento do álbum "Enema of The State". Depois dos álbuns "Take Off Your Pants and Jacket" (2001) e "Blink-182" (2003), a banda acabou por se separar em Fevereiro de 2005. Passados quatro anos, em Fevereiro de 2009, retomaram os palcos, para depois lançarem, em 2011, o sexto álbum, "Neighborhoods". Bilhetes à venda no site do Atelier ( www.atelier.lu ).

Governo português garante apoio ao Ciberdúvidas

Foto: Guy Jallay
Sem apoios financeiros, o Ciberdúvidas, portal online dedicado à língua portuguesa, estava em risco de fechar, alertou na terça-feira o responsável do portal.

Ontem, a Secretaria de Estado da Cultura veio garantir apoio ao projecto. A secretaria de Estado da Cultura portuguesa anunciou ontem que vai disponibilizar "uma verba que permitirá assegurar a continuidade do portal Ciberdúvidas da Língua Portuguesa", para cobrir os custos de funcionamento.

"O Ciberdúvidas e o seu criador, o jornalista José Mário Costa, prestam um trabalho de inexcedível dedicação à causa pública, à língua portuguesa e aos portugueses, desde há década e meia”, afirma Francisco José Viegas. "Assegurar a sua continuidade enquadra-se integralmente na nossa missão, naquilo que diz respeito à promoção e defesa da língua", diz o secretário de Estado.

Na terça-feira, José Mário Costa disse à Lusa, depois de ter sido ouvido em audição na Comissão Parlamentar de Educação, Ciência e Cultura, na Assembleia da República, que o portal poderia encerrar até Setembro, se continuasse sem apoios financeiros.

Nas contas dos responsáveis pelo projecto criado há 15 anos, e que recebe 2,5 milhões de visitas por mês, o portal precisava "apenas do valor irrisório de 2.000 euros mensais para continuar".

Festa "encarnada" no domingo em Hesperange

O Benfica vem ao Grão-Ducado fazer um jogo amigável com o Hamm Benfica, no âmbito do estágio que os lisboetas estão a efectuar em Evian. O estádio do Hesperange acolhe o encontro, no domingo, às 20h45, e vai registar uma grande enchente.

A equipa do Cents vai defrontar o Benfica de Lisboa no Grão-Ducado, num estádio que a comunidade portuguesa residente, e os benfiquistas em especial, vão encher para a festa "encarnada".

Leonel Oliveira, secretário do RM Hamm Benfica, garante que o encontro vai ser "um evento marcante". "É um momento especial para o clube, benfiquistas residentes no Luxemburgo e arredores, e para toda a comunidade". Ainda estão disponíveis alguns bilhetes que podem ser adquiridos no BCP, Supporter Club H. Benfica, Rádio Latina, Café Hollerecher Stuff e restaurante o Bom Talher, na capital.

Director da Imigração esteve em Cabo Verde

Foto: Danielle Schumacher
O director da Imigração do Luxemburgo, Sylvain Wagner, regressa esta manhã de Cabo Verde, onde esteve reunido com o Grupo de Trabalho Conjunto entre aquele país e o Luxemburgo.

Depois da chegada ao arquipélago na terça-feira, Wagner encontrou-se com a ministra das Comunidades Cabo-Verdianas, Fernanda Fernandes, para reactivar o Grupo de Trabalho Conjunto (GTC) entre os dois países em matéria de imigração. Em cima da mesa estiveram também a revisão e o esclarecimento da Convenção de Segurança Social entre Cabo Verde e o Luxemburgo. As dificuldades no pagamento do abono aos menores não residentes no Luxemburgo foram igualmente abordadas na reunião.

O GTC é composto pelos ministérios cabo-verdianos das Comunidades, das Relações Externas, do Ensino Superior e da Educação e pelos seus homólogos luxemburgueses.

Ensino de Português com mais alunos e menos cursos

Foto: Marc Wilwert
A rede de ensino de português no estrangeiro vai ter no próximo ano lectivo mais alunos mas menos cursos, disse o secretário de Estado das Comunidades, admitindo casos de maior concentração de alunos por turma.

"Na rede tradicional do Ensino de Português no Estrangeiro (EPE) vamos ter um número de alunos ligeiramente superior àquele com que terminámos o actual ano lectivo, ou seja, teremos 57.212 alunos (56.191 em 2011/2012), distribuídos por 3.603 cursos, que é um número ligeiramente inferior àquele com que terminamos este ano (3.621)", disse José Cesário.

O responsável admitiu que em alguns casos aumentou o número de alunos por turma. "Em alguns casos temos efectivamente mais alunos por turma. A regra dos 15 alunos por turma, que já existia, foi agora executada com maior rigor".

José Cesário, que está a negociar com os sindicatos de professores o Regime Jurídico do Ensino Português no Estrangeiro, adiantou que as conversações estão a decorrer "de forma satisfatória".

"Temos apenas um ponto de divergência em que é difícil haver acordo, que é a questão da introdução de propinas no sistema", disse o governante, ressalvando que, "em boa verdade não é um ponto de negociação".

Museu Dräi Eechelen abre hoje, após 15 anos em obras

Foto: Guy Jallay
O museu Dräi Eechelen, no Kirchberg, na capital, abre hoje as portas ao público, depois de 15 anos em obras.

Situado perto do Mudam, aquele que é também conhecido como "Musée de la Forteresse" (Museu da Fortaleza), e que demorou 15 anos a ficar concluído, vai ter um fim-de-semana de portas abertas, mostrando 500 anos de história.

Durante o fim-de-semana, os CFL põem à disposição do público autocarros que vão fazer o circuito entre a Gare, na capital, e o museu (as linhas 1, 6 e o Eurobus vão ligar os passageiros à paragem da Philharmonie/Mudam).

A abertura oficial do museu está prevista para as 17h de hoje. Amanhã e domingo, o museu vai estar aberto das 11h às 20h e a entrada é gratuita.

Vote em Raquel Gonçalves via Facebook

Foto: Paulo Lobo
Já pode ajudar Raquel Gonçalves a tornar-se a nova Miss República Portuguesa, concurso onde a jovem representa a comunidade lusa do Grão-Ducado.

Para isso bastam dois cliques, depois de entrar na página Facebook do concurso. Primeiro clique: partilhe a foto da sua candidata preferida. Segundo clique: aceda à aplicação do concurso que valida os votos (em www.liga-te.com/mrp-votacao/).

A votação decorre até à meia-noite de 27 de Julho, dia em que decorre a final, no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra. A vencedora vai representar Portugal no concurso Miss Mundo.

Luxemburgo: História do bairro da Gare em imagens

Para assinalar o centenário da Gare Central do Luxemburgo, a Fototeca da autarquia da cidade apresenta uma exposição de fotografia dedicada à história daquele bairro da capital. A inauguração da exposição "Le quartier de la Gare au fil de son histoire" é hoje, às 17h30, no "Ratskeller" do Cercle Cité (entrada na rue Curé). A entrada é gratuita. ( www.cerclecite.lu).
   

Faltam 100 dias para o casamento real

Faltam exactamente 100 dias para o casamento do príncipe Guillaume e da condessa Stéphanie de Lannoy, agendado para 20 de Outubro.

Um evento mediático que promete atrair os projectores mundiais ao pequeno Grão-Ducado. Os príncipes William e Kate, de Inglaterra, estão entre os convidados. Na France2, o estilista Karl Lagerfeld vai comentar a boda em directo, tal como aconteceu no casamento de William e Kate e de Alberto do Mónaco.

Para a Polícia grã-ducal, a contagem decrescente começou já em Abril, data em que o casamento foi anunciado.

Sem revelar quantos agentes vão ser destacados para o casamento real, o porta-voz da Polícia, Vic Reuter, garante que as férias dos agentes foram congeladas, para assegurar pessoal suficiente para o evento.

"O trabalho com todos os responsáveis pela organização do evento já está em curso", garantiu ontem Vic Reuter ao wort.lu.

Fim-de-semana difícil para quem viaja

Foto: Marc Wilwert
O trânsito vai estar complicado para quem vai de férias este fim-de-semana.
A dificultar a vida aos automobilistas, está a Festa Nacional em França, amanhã, dia classificado como "vermelho" pelas autoridades francesas.
Em causa está o encerramento da circulação aos pesados.

A chegada de autocaravanas também promete dificultar a circulação na A6, na zona de Capellen, e na A3, perto de Berchem.

Nilton Martins procura jovens para cinema

Foto: Maurice Fick
O actor luso-descendente Nilton Martins organiza hoje e segunda-feira um casting para o seu novo projecto cinematográfico. Depois de se ter revelado diante das câmaras, Nilton Martins abraça agora um novo projecto: a realização de uma curta-metragem. O casting tem lugar hoje e na próxima segunda-feira, entre as 10h e as 16h, no 5° andar da Galerie Kons, em frente à gare, na capital.

Nilton Martins procura jovens entre os 12 e os 18 anos que falem luxemburguês, com ou sem experiência na representação. E garante que a equipa de trabalho é "profissional".

A história gira em torno do mito do fim do mundo, apontado para 21 de Dezembro de 2012. Para tentar sobreviver ao cataclismo, sete jovens abrigam-se num espaço fechado.

Sobre a mudança para detrás das câmaras, o agora realizador diz-se confiante. "A vida atrás das câmaras não me é desconhecida. Já escrevo teatro há algum tempo e fiz também de primeiro e segundo assistente de realização. E durante os meus estudos como actor tive contactos com colegas de som, luz e câmara. O tema é interessante e quero lançar-me", disse Nilton ao POINT24.
Texto: HB

EXCLUSIVO CONTACTO: Banco Espírito Santo abre na cidade do Luxemburgo na próxima terça-feira

A nova sucursal do Banco Espírito Santo abre na próxima terça-feira na capital luxemburguesa.

Para já, o banco tem dez funcionários, mas admite recrutar mais no futuro.

A informação foi avançada ontem ao nosso jornal pelo director-geral da sucursal do Banco Espírito Santo (BES) no Luxemburgo, José Antunes.

A agência do BES na avenue de la Liberté, na capital, abre ao público na próxima terça-feira. No atendimento ao público vão estar cinco funcionários e mais cinco na administração, mas o banco admite vir a criar mais postos de trabalho. "A prazo, admito que sim, mas para já vamos trabalhar com estas cinco pessoas", disse ao nosso jornal o director-geral da sucursal.

O BES, que já estava representado no Luxemburgo com uma holding financeira, abre agora uma sucursal com "praticamente todas as operações correntes". O crédito à habitação "não faz parte da estratégia actual", diz José Antunes, mas o banco vai desenvolver "as operações tradicionais: depósitos, poupança e transferências".

 "Quem tiver conta no BES em Portugal vai ter transferências facilitadas e praticamente imediatas", garante o director-geral da sucursal luxemburguesa, que não precisou se as transferências para Portugal vão ou não ser gratuitas. O objectivo principal da sucursal é conquistar clientela junto da comunidade portuguesa. "O foco principal é a comunidade portuguesa em geral, mas queremos ser um banco generalista, aberto a todas as comunidades", disse.

Texto: P.T.A.
Foto: Manuel Dias

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Associação da Bairrada em festa, no próximo fim-de-semana

No próximo sábado e domingo, a Associação Cultural e Humanitária da Bairrada no Luxemburgo organiza a sua grande festa anual de solidariedade no parque municipal de Esch-sur-Alzette, no Gaalgebierg, ao lado do estádio do Fola. O programa inclui vários momentos de animação, como a actuação da Banda Paulo de Oliveira, do grupo folclórico Juventude Portuguesa de Dudelange, do grupo de dança Onda Jovem e da cantora Stéfany. Haverá tômbolas e comes e bebes à portuguesa. Informações pelo tel. 31 94 37.

Jovens estreiam skatepark de Hollerich

Foto: Guy Jallay
O skatepark de Hollerich abriu novamente na passada quinta-feira, depois de ter sofrido obras de restruturação.

Situado nas antigas instalações do matadouro de Hollerich, o skatepark foi renovado em Maio. Conta com 500 m2 dedicados aos apaixonados pelo skate e afins, mas também aos artistas do graffiti, que podem ali criar murais legalmente e ao ar livre.

Durante as obras, todas as rampas foram substituídas. O parque está agora totalmente iluminado e a área reservada aos espectadores foi ampliada.

No total, o custo das remodelações ascendeu a 50 mil euros.

O skatepark pode ser reservado por particulares, associações ou empresas fora do horário de expediente. Está aberto de segunda a quinta-feira entre as 11h e as 22h. Às sextas e sábados, das 11h às 23h e aos domingos, das 11h às 20h.

O preço diário é de um euro por pessoa. Como alternativa, há uma assinatura anual por 20 euros.

Centro Social da Campeã volta a receber ajuda do Luxemburgo

Foto: Joaquim Pedreira
O Centro Social e Paroquial da Campeã, no distrito de Vila Real, volta a receber ajuda do Luxemburgo.
O Grupo de Cantares da Região de Basto, no Luxemburgo, angariou cerca de cinco mil euros, parte dos quais vão servir para apoiar aquele centro social a concluir a construção das novas instalações e também para ajudar a Comissão de Festas da Campeã.

O montante foi recolhido em parte durante uma festa de solidariedade em Vianden, em Junho, durante a qual o grupo conseguiu juntar 2.687,37 euros, e numa festa em Larochette (2.201,56 euros), no ano passado. O montante angariado em Larochette vai ser entregue à Comissão de Festas da Campeã, cujos santos padroeiros são Santa Ana e Mártires S. Sebastião.

Esta não é a primeira vez que o grupo coral apoia aquela localidade e o Centro Social da Campeã. No início da construção da nova infra-estrutura, o padre Manuel Queirós, presidente do Conselho de Administração do centro social, esteve no Luxemburgo para tentar angariar o valor necessário para concluir as obras. É que os apoios prometidos pelo Estado português e pela Câmara de Vila Real falharam. Dos 600 mil euros que a autarquia se comprometeu a pagar, "só foram pagos 125 mil", garante Manuel Queirós. Na altura, o Grupo de Cantares da Região de Basto conseguiu reunir nove mil euros para ajudar o centro.

Para o Centro Social e Paroquial da Campeã seguiu também no fim-de-semana equipamento médico reunido por um emigrante português.

Celestino Esteves, natural da Campeã, já tinha enviado em Janeiro meia centena de equipamentos ortopédicos, incluindo cadeiras de rodas e andarilhos. Agora, o imigrante português, a viver no Luxemburgo desde 1971, conseguiu mais duas dezenas de artigos em segunda mão, incluindo meia dúzia de camas eléctricas e carrinhos hospitalares, junto do Serviço Meios e Acessórios (SMA), que fornece este tipo de equipamento no Luxemburgo, e da Maison de Soins Sacré-Coeur, em Diekirch.

A aguardar envio fica ainda uma carrinha Volkswagen de nove lugares, em segunda mão, doada pela Maison de Soins de Diekirch. Problemas com a alfândega impediram até agora que a carrinha chegasse ao seu destino.

"Em Portugal, querem 15 mil euros para mudar a matrícula. O Consulado está a tentar resolver a situação, mas até agora nada. Era importante para passear os idosos da Campeã, e a carrinha tem rampas para subir e tudo. É uma pena ficar aqui depois de tanto trabalho", lamenta Celestino Esteves.
Texto: J. Pedreira / RdA

Luxemburgo: Escuteiros enviam material didáctico para Cabo Verde

Foto: M. Dias
Os escuteiros de Santo Afonso enviaram no sábado materiais escolares para Cabo Verde, fruto de um trabalho intenso de meses de recolha.

Este ano, juntou-se à iniciativa Jorge Gonçalves, animador da secção dos Pioneiros (14-17 anos), que coordenou a recolha do material no terreno e fez todos os contactos necessários, incluindo com estabelecimentos comerciais. Jorge foi não só o pilar desta iniciativa como o autor da ideia.

À partida, a recolha tinha como objectivo o envio de material escolar para uma única escola, a Escola de Chã da Silva, na ilha de Santiago, mas as expectativas foram rapidamente superadas. O grupo decidiu por isso alargar o apoio também à escola Ribeira de Bodes e Chã de Cruz, ambas na ilha de Santo Antão.

Entre as várias localidades em que recolheram material, como Strassen, Wiltz ou Oberpallen, foi em Walferdange, no supermercado Delhaize, que a população mais apoiou a iniciativa. O Cactus também doou material, nomeadamente as mochilas. A empresa Muller & Wegner também contribuiu para esta causa. A Taki-Talá ajudou no transporte do representante por avião, e o Banque du Luxembourg fez um donativo monetário, entre outros contributos.

Uma iniciativa em que os Pioneiros puderam pôr em prática os ensinamentos de Baden Powell, o fundador do escutismo: "Deixar um grão de areia nesta praia que é o mundo; a melhor maneira de sermos felizes é contribuir para a felicidade dos outros".

"Esta experiência veio rematar um ano muito positivo para este grupo, que apesar dos sacrifícios aproveitou para fazer alguém feliz", regozija-se a responsável do agrupamento, Dulce Pereira.

O agrupamento encarrega-se do envio do material, por barco, através da Cabolux, em bidões fechados a cadeado. Os contentores só serão abertos no local na presença dos representantes do agrupamento.
Texto: Sabrina Sousa

"Estamos a assistir a uma das maiores ondas de emigração de sempre"

Foto: GGG
O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário, afirmou hoje que o pior que se pode fazer é ignorar a existência do fenómeno da emigração nacional, que atravessa um dos maiores picos de sempre.

"O pior que podemos fazer é fazer de conta de que ela não existe", afirmou o secretário de Estado durante uma sessão de esclarecimento a trabalhadores do sector da construção sobre "Trabalhar no Estrangeiro", no Marco de Canavezes, no âmbito da campanha desse mesmo nome feita em parceria com o Sindicato da Construção de Portugal, com a Segurança Social e com as autoridades laborais.

Perante uma plateia de mais de 20 pessoas, José Cesário reconheceu que se está a assistir a "uma das maiores ondas de emigração de sempre", lembrando, ainda assim, que "o português sempre emigrou", citando os 30.000 cidadãos que saíram do país durante os primeiros anos da década de 1990, momentos de crescimento económico.

José Cesário alertou para os riscos que qualquer emigrante corre, conhecendo o secretário de Estado "alguns a quem aconteceram coisas inimagináveis", não só no sector da construção, mas também na agricultura, hotelaria e outros.

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas apelou a que as pessoas se informem antes de sair do país e admitiu que há falhas no atendimento em países estrangeiros. "Há consulados que são actuantes, mas outros? Que Deus nos ajude!", disse.

Segundo José Cesário, há hoje 92 câmaras municipais com gabinetes de apoio ao emigrante, que podem dar apoio aos trabalhadores que estiveram no estrangeiro, de modo a que possam reclamar as reformas a que têm direito pelos anos passados no exterior.

Quando interpelado por um membro do público, um trabalhador de 58 anos que pediu ao Governo mais esforços para trazer até aos desempregados as ofertas de trabalho no estrangeiro, José Cesário deu os exemplos de "dezenas largas" de enfermeiros que foram para França e Alemanha e o caso "estranho" de centenas de aplicadores de estores pedidos pela Suíça ainda no mês passado.

Por outro lado, também se dá o caso contrário – como o do Luxemburgo, de onde chegou o pedido para que se passe a palavra: "Não venha para cá mais ninguém". (Lusa)

Luxemburgo: Webtaxi e Ecotaxi começam a circular segunda-feira

Foto: Marc Wilwert
A concorrência no sector dos táxis está em alta. O consórcio entre a Beneleux Taxis, do português Jaime Gonçalves, e a agência de viagens Emile Weber, apresentou ontem o Webtaxi, um novo serviço que se segue ao anúncio do lançamento do Ecotaxi do Automóvel Clube do Luxemburgo (ACL). Os dois serviços vão estar na estrada a partir da próxima segunda-feira.

O ACL vai disponibilizar 45 Ecotaxis de diversas cores ao serviço dos seus 170 mil membros. Com um serviço durante 24 horas, o ACL vai empregar 70 motoristas, e espera até ao final do ano ter na estrada 120 veículos "económicos e ecológicos". O serviço vai custar 25 euros por hora.

Já a agência de viagens luxemburguesa Voyages Emile Weber e a Benelux Taxis propõem o serviço Webtaxi a 2,5 euros por quilómetro, mediante reserva por telefone (27515) ou por internet ( www.webtaxi.lu ). A tarifa é igual à dos táxis normais, se a reserva não for feita previamente.

"Se alguém apanhar o Webtaxi na rua, sem reserva, o preço é igual aos táxis normais. Com a reserva, o cliente tem a vantagem de saber o preço do trajecto ainda antes de usar o serviço", garante Jaime Gonçalves, que recusa que o serviço venha fazer concorrência à sua própria empresa, a Benelux Taxis.

"O conceito Webtaxi não pretende ser uma concorrência aos nossos táxis, mas sim um novo produto da empresa, em conjunto com a Emile Weber", disse ao CONTACTO.

Segundo os responsáveis da Emile Weber, esta tarifa representa menos 10 % do preço da bandeirada normal e 30 % no caso de engarrafamentos.

O sector dos táxis tem sido actualmente alvo de intensas discussões por causa dos preços elevados. O burgomestre da cidade do Luxemburgo, Xaviel Bettel, já fez saber que mantém a intenção de reduzir os preços dos táxis na capital, mesmo que a Federação dos Táxis continue a recusar as negociações com a autarquia.

Luxemburgo: Resultados dos exames nacionais do Secundário com nota positiva

Foto: Gerry Huberty
O resultado global dos exames nacionais do Secundário é positivo em relação ao ano passado. No ensino secundário clássico, a taxa de sucesso é de 79,6 %, contra 77,4 % em 2011, mostram os dados divulgados na segunda-feira pelo Ministério da Educação e Formação Profissional.

A percentagem de alunos que deverá realizar exames em Setembro sofreu um ligeiro recuo em relação ao ano passado; 13,3 % este ano, sendo que em 2011 foi de 16 %. A taxa de reprovação segue em sentido contrário, tendo-se verificado um ligeiro aumento, chegando aos 7,1 %, quando no ano passado foi de 6,6 %.

No ensino superior técnico verifica-se uma estabilização dos resultados obtidos no ano lectivo passado. A taxa de sucesso é de 75,4 % este ano (75,9 % em 2011). O número de alunos que vão à segunda fase dos exames em Setembro aumentou 2,6 % (17,5 % este ano, contra 14,9 % no ano passado). O número de reprovações diminuiu, passando de 9,3 % em 2011 para 7,1 %.

Este ano houve mais alunos nos exames: em 2011, foram 3.234 candidatos, contra 3.521 este ano. Em termos absolutos, 2.699 alunos obtiveram o diploma final do secundário e outros 566 têm que se apresentar na segunda fase de exames, em Setembro.

Luxemburgo: ADR quer cursos intensivos de língua em vez de escola bilingue

Foto: Guy Wolff
O partido ADR opõe-se ao projecto-piloto de alfabetização bilingue em francês e alemão no ensino fundamental, proposto pelo DP e discutido na Comissão Nacional de Educação.

Como alternativa, defende a criação de estruturas regionais abertas aos recém-chegados, que lhes permitam a aprendizagem intensiva das línguas do país até serem capazes de integrar o sistema escolar. Ou seja, até aprenderem as línguas nacionais, as crianças não iriam à escola.

"Isso não vai prejudicar as crianças, porque uma vez que o nível da linguagem seja atingido, elas vão poder integrar o sistema escolar e não haverá nenhuma dificuldade em frequentarem as aulas", defende ainda assim Fernand Kartheiser, presidente do ADR.

CLAE quer facilitar acesso à dupla nacionalidade

Foto: Guy Jallay
O Comité de Ligação das Associações de Estrangeiros (CLAE) quer facilitar o acesso à dupla nacionalidade, através da redução das exigências linguísticas e do número de anos de residência no país. A proposta foi feita durante a Assembleia Geral da federação associativa, na quinta-feira.

Em vez de testes para avaliar o domínio da língua luxemburguesa, um requisito da actual lei da nacionalidade, o CLAE defende a ideia de um certificado de participação nas aulas de língua luxemburguesa. Em alternativa, o organismo que agrega as associações de estrangeiros no país quer que, pelo menos, o nível exigido seja reduzido.

Desde Janeiro de 2009, altura em que a nova lei da nacionalidade entrou em vigor, naturalizaram-se 18 mil pessoas. Um número ainda escasso, defende o CLAE, que quer uma reavaliação da lei, "a fim de que esteja em conformidade com a Convenção do Conselho da Europa sobre a nacionalidade, que prevê a aquisição facilitada de nacionalidade para certas categorias de pessoas (cônjuges de cidadãos luxemburgueses, pessoas que residiam legalmente no Grão-Ducado já antes de completar os 18 anos, cidadãos apátridas e refugiados que residem legalmente no território luxemburguês)", pode ler-se no documento final da assembleia-geral do CLAE.

O ministro da Justiça, François Biltgen, garantiu no fim-de-semana que quer reformular a Lei da Nacionalidade de 2009. Dado o "carácter nacional" da questão, Biltgen quer um debate alargado, previsto para o Outono, que inclua tanto a Câmara dos Deputados como os cidadãos.

O objectivo é "chegar a um consenso no que diz respeito à reorganização da lei da nacionalidade", diz o ministro, que encomendou já uma auditoria externa para fazer um levantamento de diversas questões sobre o assunto.

O debate alargado vai incluir questões como os testes de língua luxemburguesa ou o tempo mínimo de permanência para a obtenção da nacionalidade. Sobre este ponto, o CLAE quer que o período mínimo de residência no Luxemburgo seja reduzido de sete para cinco anos, como acontecia até 2009.

Sobre a educação, o comité das associações defende ainda que a maioria das formações profissionais qualificadas esteja disponível em língua alemã e língua francesa, e exige o reconhecimento dos diplomas dos imigrantes de países terceiros.

Aprovada a 23 de Outubro de 2008, a nova Lei da Nacionalidade viria a entrar em vigor em Janeiro de 2009. Desde então, o número de pedidos aumentou 400 %. Até aí, o número de pedidos rondava os mil por ano.

Os portugueses representam o maior número de naturalizações. Só em 2009, eram 31 % dos novos naturalizados (1.241 pessoas). Os italianos representam 9 %, os alemães 8 % e os franceses 6,9 %.

CONTACTO: Edição de 11 de Julho

Afinal o Luxemburgo não vai perder o Cônsul-geral. O novo diplomata que já está no Luxemburgo vai ser acreditado como Cônsul-geral de Portugal no Luxemburgo e vai simultaneamente ser o número dois da Embaixada. A revelação foi feita pela nova Embaixadora de Portugal no Luxemburgo. Rita Ferro está há cinco meses no Grão-Ducado e esta semana concedeu uma longa entrevista ao jornal CONTACTO.

Nesta edição há ainda outras notícias: A lei da dupla nacionalidade está de novo em discussão, Juncker vai continuar à frente do Eurogrupo, os táxis vão ser mais baratos na capital e Cristiano Ronaldo vai abrir uma loja em Esch.
Tudo isto e muito mais na edição desta semana do CONTACTO, o primeiro jornal de língua portuguesa no Luxemburgo.

domingo, 8 de julho de 2012

Nuno Gomes quer brilhar no Blackburn Rovers

Ao completar 36 anos Nuno Gomes assinou um contrato por duas épocas com os ingleses do Blackburn Rovers. O internacional português vai dar seguimento à sua carreira em Inglaterra.

Após ter recusado uma proposta para integrar a estrutura do futebol profissional do Sporting de Braga, Nuno Gomes vai continuar a carreira de futebolista em terras de Sua Majestade, ao serviço do Blackburn Rovers, no segundo escalão do futebol britânico.

A nova etapa começa na próxima semana e o avançado não esconde que está "ansioso por começar a trabalhar". "Não joguei tanto como esperava na época passada e depois de um mês e meio de férias estou fresquinho. Sempre desejei jogar em Inglaterra, disseram-me que contam comigo para ajudar o clube a subir, pois lá o BI não conta, apenas o que se faz no campo. Vai ser bom para mim jogar num país onde se vive o futebol com grande paixão".

Oscar Pistorius vai aos Jogos Olímpicos

O corredor sul-africano Oscar Pistotius, de 25 anos, é o primeiro atleta do mundo a participar nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, que se realizam ambos em Londres.

Pistorius, que sofreu a amputação de ambas as pernas aos onze anos de idade, apurou-se para os 400 metros estafetas e acabou também por ser repescado para a prova dos 400 metros livres.

Apelidado de "Blade Runner" por correr com lâminas de carbono, Oscar Pistorius manifestou grande satisfação ao receber a notícia por parte da sua federação de atletismo.

sábado, 7 de julho de 2012

Abadia de Neumünster acolhe Norah Jones

A cantora norte-americana Norah Jones vai estar na capital luxemburguesa no dia 16 de Julho. A diva da pop e do folk apresenta o seu novo álbum, "Little Broken Hearts", num concerto na Abadia de Neumünster, no Grund.

"Little Broken Hearts", com uma sonoridade nova e músicas originais co-escritas por Jones e pelo músico Danger Mouse, é o passo seguinte na evolução artística de uma das cantoras mais intrigantes que surgiram na última década.

Com letras que falam sobre a solidão e os desgostos amorosos, Norah Jones tem neste quinto álbum uma verdadeira descarga de emoções, fruto da sua última relação falhada.

Aos 33 anos e com 12 Grammy's no currículo, Norah sabe do que os seus fãs gostam: "Little Broken Hearts" é essencialmente soul e jazz, ritmos que a tornaram famosa. Bilhetes à venda no site do Atelier (www.atelier.lu) .

Pedro Proença ambiciona apitar final do Mundial no Brasil

Foto: Lusa
O árbitro de futebol Pedro Proença, que liderou uma equipa portuguesa nas recentes finais da Liga dos Campeões e do Euro2012, reconheceu pertencer a uma geração "massacrada pelo 'Apito Dourado'", mas já ambiciona a final do Mundial Brasil2014. O juiz reiterou a necessidade de aumentar o nível de profissionalismo do sector em Portugal e voltou a criticar a ausência de elementos do Governo aquando da sua chegada a Portugal. "Pertenço a uma geração de árbitros que, num curto espaço de tempo, foi muito massacrada pelo "processo Apito Dourado". Proença sublinhou ser "a pessoa que mais sofre com os erros" e adiantou que, caso esteja presente no próximo Mundial, tem a ambição "de chegar à final", a não ser que a selecção portuguesa o consiga.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Kayl/Tétange estreia-se com F91

Foto: Fabrizio Munisso
A equipa do Kayl/Tétange, orientada pelo treinador Manuel Correia, vai fazer a sua apresentação aos sócios amanhã em jogo amigável frente ao F91 Dudelange. A partida entre as duas formações da Liga BGL tem lugar, a partir das 18h30, no estádio Victor Marschal, em Tétange.

Falências aumentam 26 % no Luxemburgo

Durante o primeiro semestre de 2012 registaram-se 571 falências no Luxemburgo, contra apenas 452 no mesmo período do ano passado, representando um aumento de 26,3 %. Números "preocupantes", diz o estudo da auditora Cretidreform. Do número total de empresas falidas, 74 % tinham mais de cinco anos (418). Quanto aos sectores de actividade, o menor número de falências registou-se na Produção (1,5 %). O sector da Construção foi o único a apresentar menos falências comparado com igual período do ano passado

(-9,7 %). Os Serviços sofreram o maior número de falências (367), um aumento de 32 %, enquanto o Comércio registou o
segundo maior aumento, de 27 %.

Inspecção aos carros vai ficar mais cara a partir de Agosto

Foto: Guy Jallay
A inspecção periódica no "Contrôle Technique" vai ficar mais cara a partir de Agosto. Um aumento de quatro euros, com o preço da inspecção a subir dos actuais 23 euros para 27, no caso de veículos ligeiros.

O aumento deve-se à contratação de mais 13 inspectores e ao alargamento dos horários de abertura, justifica a Société Nationale de Contrôle Technique (SNCT), em comunicado de ontem.

A partir de 1 de Agosto, passa também a ser possível reservar a inspecção pela internet, nos centros de Sandweiler, Esch-sur-Alzette e Wilwerwiltz.

O alargamento dos horários só entra em vigor em 27 de Agosto, passando o centro de Sandweiler a estar aberto mais uma hora às segundas-feiras (até às 18h, em vez das actuais 17h), e mais duas de terça a sexta (até às 19h). Ao sábado, aquele centro vai também estar aberto das 7h30 às 13h30. Nos períodos de abertura suplementares, a reserva pela internet é obrigatória e custa mais cinco euros.

Marilyn Monroe é tema do Open Air Film Festival 2012

"Marilyn Monroe and More" é o título do cartaz do Open Air Film Festival 2012, que tem lugar de 13 de Julho a 18 de Agosto, no Théâtre des Capucins, na capital.

Com entrada gratuita, o festival ao ar livre arranca na próxima sexta-feira com "Batman" (1989), às 22h. No dia seguinte e à mesma hora é projectado o primeiro filme de Marilyn Monroe, "Niagara". "River of No Return" (21/07), "Some Like it Hot" (28/07), "The Seven Year Itch" (04/08), "Bus Stop" (11/08) e "The Misfits" (18/08) são os restantes filmes em que pode ver a performance de Marilyn Monroe, todos às 22h, em versão original e com legendas em francês. De 3 de Agosto a 30 de Setembro, pode ainda ver na place Guillaume, na capital, a exposição fotográfica "Marilyn Monroe (1926-1962)", do fotógrafo Manfred Linus Kreiner. www.cinematheque.lu

CASA organiza 10o piquenique anual

O Centro de Apoio Social e Associativo (CASA) organiza amanhã a 10a edição do Piquenique das Comunidades Lusófonas, o 5o Encontro de Pessoas Idosas (com mais de 50 anos) e, paralelamente, a Jornada do Deficiente, pelo 7° ano consecutivo. Entre as 10h e as 21h, vai haver animação com grupos folclóricos no parque Anatole France, em Bonnevoie, na capital.

CGTP e OGB-L exigem protecção dos emigrantes

A CGTP e a OGB-L terminaram esta semana uma ronda de encontros com representantes dos órgãos de soberania portugueses, a quem tentaram sensibilizar para a necessidade de protecção dos direitos dos emigrantes.

"Contactámos todos os órgãos de soberania, a quem demos conta das conclusões do nosso encontro no Luxemburgo, e os nossos documentos foram bem acolhidos. Esperamos que, de algum modo, possam contribuir para chamar a atenção do Governo para os problemas dos trabalhadores emigrantes”, disse à Lusa Carlos Trindade, da Comissão Executiva da Intersindical.

Carlos Trindade e Eduardo Dias, dirigentes da Confederação Geral dos Trabalhadores do Luxemburgo (OGB-L), apresentaram esta semana, em audiências sucessivas, as conclusões do 3º Encontro de Sindicalistas, Conselheiros e Dirigentes Associativos das Comunidades Lusófonas na Europa, que realizou em Maio, em Remich.

Os sindicalistas foram recebidos pelo secretário de Estado das Comunidades, pelos grupos parlamentares, pela Comissão das Comunidades Portuguesas e pelo representante da Presidência da República para os Assuntos Sociais.

No encontro realizado em Remich, em Maio, foi aprovado um documento, no qual os sindicalistas portugueses radicados em vários países da Europa exigem que o Governo português faça uma "ampla divulgação dos direitos" resultantes da livre circulação de trabalhadores na Europa, em particular junto dos emigrantes.

Dá-me MeYouZik...

Foto: Carlos Almeida
Este fim-de-semana, a música vai ser o prato-forte na capital. No sábado, um dia antes do Rock um Knuedler (ver artigo nesta página), o festival MeYouZik regressa à cidade do Luxemburgo.

O festival de música do mundo, ao ar livre e com entrada gratuita, vai invadir a place Guillaume, a place Clairefontaine e a rue du Saint-Esprit. O grupo mexicano Los de Abajo, os israelitas Idan Raichel Project, os nigerianos Bombino, e o grupo Fanfaraï, do Magrebe, actuam na place Guillaume a partir das 18h30. Na rue du Saint-Esprit, a música arranca às 19h, com o argentino Axel Krygier e a música dos balcãs dos Kosta Kostov Bxpsoundsystema, entre outros. A animação promete prolongar-se até bem depois da uma da manhã.

Durante todo o dia, a música associa-se ainda à solidariedade, com o Me You Village, um grupo de stands de associações humanitárias que vão estar na place Clairefontaine para sensibilizar o público para as suas actividades.

Raquel Gonçalves parte hoje para representar o Luxemburgo no concurso Miss Portugal


 



 





Raquel Gonçalves embarca hoje no avião para representar a diáspora do Luxemburgo no concurso Miss República Portuguesa, em Sintra. A primeira-dama de honor vai substituir a Miss Portugal no Luxemburgo, Stéphanie Faia, impedida de participar no concurso.

"Houve uma alteração de datas e não fomos avisados", explica ao POINT24 Jacinta Dias, da organização da Miss Portugal no Luxemburgo. "Só na sexta-feira é que soubemos que era preciso estar disponível a partir de 5 de Julho, e a Stéphanie tem exames até dia 10".

A alteração abre caminho à primeira-dama de honor, Raquel Gonçalves, que parte hoje de Lisboa para fazer um estágio de uma semana em Cabo Verde com as restantes candidatas do concurso oficial Miss Portugal. As candidatas regressam a Lisboa no dia 16 de Julho, para duas semanas de visitas, desfiles e sessões fotográficas.


A final do concurso é no dia 27 de Julho, no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra. A vencedora vai representar Portugal no concurso Miss Mundo. Segunda candidata mais votada pelo júri no concurso Miss Portugal no Luxemburgo, Raquel Gonçalves tem 18 anos e estuda artes no Lycée Technique des Arts et des Métiers, na capital.

Redução do IVA dos livros electrónicos em França e Luxemburgo infringe lei europeia

A Comissão Europeia lançou uma investigação sobre a redução da taxa de IVA aplicada no Luxemburgo e em França aos livros electrónicos, afirmando que o corte foi feito “infringido a lei da UE”, conta o jornal Público na sua edição de hoje.

Em Janeiro de 2012, o IVA sobre os livros electrónicos descarregados da Internet desceu para os 7% em França e para os 3% no Luxemburgo. "A legislação da UE permite aos estados membros aplicar taxas reduzidas de IVA a um conjunto limitado de bens (...) O download de livros digitais é considerado um serviço fornecido electronicamente, o que não está incluído nesta lista e, portanto, não pode ser taxado a um valor reduzido”, explica uma nota da Comissão.

A Comissão vai ainda ouvir os dois países antes de tomar uma posição oficial: “A Comissão considera que estas reduções podem não estar em linha com a lei europeia e decidiu enviar cartas de notificação formais a ambos os estados membros”.

A França e o Luxemburgo terão agora um mês para explicar a medida. “Se a informação fornecida não for considerada suficiente, a Comissão poderá formalmente afirmar que houve uma infracção” e pedir a ambos para alterarem a legislação.

Em Portugal, os livros electrónicos que podem ser descarregados na Internet são vendidos com a taxa máxima de IVA, de 23%. Já um livro impresso é sujeito a uma taxa de 6%. Porém, se um editor decidir vender um livro electrónico num suporte físico (como um CD, por exemplo) é aplicada a taxa reduzida.

Segundo a Comissão Europeia, a taxa reduzida naqueles dois países dá origem a uma situação de concorrência desleal entre os estados membros da União Europeia, já que um livro electrónico pode ser comprado na Internet num país diferente daquele onde o comprador reside. Nestes casos, é aplicada a taxa do país onde a venda é feita e não a do país de residência de quem compra. “Esta situação está a causar uma distorção séria da concorrência”, afirma a Comissão.

Vandalismo: Pneus furados em 60 carros

Foto: Marc Wilwert
É um surto de vandalismo inusitado: seis dezenas de veículos ficaram com os pneus furados no Norte do país, entre a noite de quarta-feira e a madrugada de ontem.

Segundo a Polícia grã-ducal, um ou mais vândalos atacaram carros estacionados ao longo da estrada nacional N7, nas localidades de Brandenbourg, Lipperscheid, Hoscheid, Hoscheid-Dickt e Hosingen.

Quem estaciona habitualmente o carro naquela estrada, pode ter sido vítima do vândalo em série.

A Polícia procura testemunhas que possam levar à identificação dos criminosos. Quem tiver informações sobre o caso, deve contactar a Polícia pelo tel. 113.

Ex-Supertramp amanhã no Rock um Knuedler

Foto: Claude Piscitelli
Roger Hodgson, a lendária voz e co-fundador dos Supertramp, sobe amanhã ao palco do festival Rock um Knuedler, pelas 22h15, acompanhado da sua banda de rock progressivo.

Hodgson é um dos compositores mais talentosos da actualidade. Sucessos como "Give a Little Bit", "Dreamer", "It's Raining Again", "Take the Long Way Home" ou "The Logical Song", valeram-lhe mais de 60 milhões de álbuns vendidos em todo o mundo.

Além de Hodgson, sobem ao palco nomes como os luxemburgueses Angel At My Table, Inbonrn, Open Seas, Kate, Mount Stealth ou Daniel Balthasar and The Band.

O festival, que acontece amanhã, tem início marcado às 15h nos pal-cos da place Clairefontaine e da place Guillaume, na capital. A entrada é livre.

Mais informações no site do festival ( www. rockumknuedler.lu ).

BCE corta taxa de juro em 25 pontos para 0,75 %

O Banco Central Europeu (BCE) cortou ontem a taxa de juro de referência na Zona Euro em 25 pontos base, para 0,75 %, um novo mínimo histórico. A medida constitui uma tentativa de estimular a economia da zona euro.

Desde Dezembro que a instituição liderada por Mario Draghi (na foto) não mexia nos juros na zona euro, depois de ter cortado, nessa altura, o preço do dinheiro em 0,25 pontos percentuais para 1 %.

Esta mexida nos juros era esperada pela maioria dos economistas, perante o agravamento dos indicadores económicos na zona euro, assim como nos EUA e também na China.

O BCE dá assim um empurrão para estimular os bancos a não estacionarem o seu dinheiro no Banco Central. Para quem tem crédito à habitação, a medida vai ajudar a aliviar os encargos com a casa.

Descida é boa para créditos à habitação e má para a poupança

Foto: Marc Wilwert
A descida das taxas de juro ontem decidida pelo Banco Central Europeu traz boas notícias para quem tem créditos à habitação, mas é negativa para quem tem depósitos bancários, diz o gestor de activos do Banco Carregosa, Rui Bárbara.

"Se, por um lado, vão baixar as taxas de crédito à habitação que já tinham sido contratadas, o que é positivo para quem tem empréstimos, por outro lado não podemos descurar o facto de existirem muitos aforradores que também dependem dos juros dos depósitos a prazo, que, no fundo, são as suas poupanças, para viverem. Essa baixa de taxa afecta negativamente essas pessoas, que terão menos rendimento dos seus aforros", salientou o analista.

Ainda assim, o balanço global é positivo, já que se está "a baixar o custo do dinheiro como um todo" para a economia da zona euro, que está em recessão.

Fundo luxemburguês compra créditos em Portugal

Foto: Teddy Jaans
Um fundo luxemburguês quer investir 200 milhões de euros no sector imobiliário, da agricultura e das pescas, em Portugal. O objectivo é comprar crédito malparado com desconto, para depois vender com lucro.

O fundo luxemburguês AES Principal Fund SICAV-SIF quer investir 200 milhões de euros no sector imobiliário, agricultura e nas pescas, em Portugal, avança o Expresso.

Segundo aquele jornal, o fundo já mobilizou cerca de 20 milhões de euros e acordou a compra de três carteiras de crédito malparado a três bancos estrangeiros a operar em Portugal, incluindo o Barclays.

De acordo com o Expresso, o fundo é assessorado pela portuguesa Present Value, com experiência de 20 anos na gestão de crédito malparado. O Banque Privée Edmond Rothschild Europe (na foto) vai ser o guardião dos fundos, enquanto a KPMG e a sociedade de advogados Loyens & Loeff serão os conselheiros do fundo.

O objectivo do fundo luxemburguês é comprar empresas e imóveis detidos pela banca com desconto, para os reabilitar e depois vender com lucro.

Segundo a Present Value, o crédito malparado em Portugal ronda os 60 mil milhões de euros.