domingo, 31 de outubro de 2010

Luxemburgo: "Kannerklinik" propõe aulas às crianças internadas

A escola da Clínica para Crianças (Kannerklinik) foi oficialmente inaugurada na semana passada. Trata-se de uma escola destinada às crianças hospitalizadas ou que não podem ir à escola na sequência de um internamento. Esta é uma escola especial que, na realidade, existe há mais de 15 anos, mas apenas em 2009 foi oficializada, com a entrada em vigor da lei sobre o ensino fundamental.

"À partida, a escola da Kannerklinik era mantida por benévolos que não eram necessariamente professores", explica Robert Kirsch, o presidente da escola. "Depois, passaram a ser os encarregados de curso, enviados pela comuna – a cidade do Luxemburgo –, a prestar apoio escolar às crianças. Só depois da adopção da nova lei escolar foi oficialmente decidido que professores do Estado viriam dar aulas às crianças hospitalizadas".

Escola no hospital implica quatro domínios de intervenção, sendo que a palavra de ordem continua a ser a colaboração entre os docentes do hospital e a escola que a criança internada frequenta habitualmente. "É muito importante conservar esta ligação – explica o presidente –, já que permite que a criança continue em contacto com o exterior".

Actualmente, 20 a 30 crianças frequentam semanalmente a escola da Kannerklinik: hospitalizações de curta duração no centro de dia, passando pela pedopsiquiatria e a ajuda ao domicílio, as crianças são enquadradas diariamente durante várias horas. O ensino a domicílio é reservado às crianças que já não estão hospitalizadas mas que não estão ainda em condições de regressar à escola.

Para mais informações, os interessados devem contactar a Kannerklinik (e-mail: ecolekannerklinik@chl.lu).

F. Pinto
Foto: Anouk Antony

Hoje muda a hora - atrase o seu relógio 1 hora

Hoje não se esqueça de mudar a hora: os dias passam a ser mais curtos e as noites maiores.

Os relógios recuaram uma hora na madrugada deste domingo, dando início ao horário de Inverno, que se prolonga até Março de 2011, altura em que regressamos à hora de Verão.

Este domingo é o dia mais longo do ano, com 25 horas, uma vez que a hora legal é atrasada em 60 minutos: quando eram 3h da manhã no Luxemburgo os ponteiros recuaram para as 2h.

A mudança de hora resulta de uma directiva comunitária e acontece em toda a União Europeia (UE), continuando a verificar-se as diferenças horárias entre os países dos três fusos horários que atravessam o continente europeu.

Os três fusos horários colocam Portugal, Grã-Bretanha e Irlanda na mesma hora do meridiano de Greenwich, enquanto a maioria dos restantes países europeus, como o Luxemburgo, se regulam pelo meridiano de Berlim, com um avanço de 60 minutos.

Este recuo nos ponteiros dos relógios acontece sobretudo por razões civis, uma vez que, do ponto de vista astronómico, apenas faria sentido uma correcção de 37 minutos.

A mudança de hora deve-se a uma directiva que determina que os países da UE devem entrar na hora de Verão no último domingo de Março e adoptar a hora de Inverno no último domingo de Outubro, independentemente do fuso horário em que se encontrem.

Atenção às "depressões de Inverno"!

Durante cinco meses, as noites vão começar mais cedo, os dias vão ser mais curtos, o que pode trazer alguns distúrbios a muitos europeus. Padecem da chamada "depressão de Inverno" sobretudo os povos escandinavos e do Leste Europeu, em cujos países o crepúsculo no Inverno, a partir de Novembro, pode chegar entre as 14 e as 15h.

Para compensar a falta de luz, há países, como a Inglaterra, que, quando as condições meteorológicas fazem baixar a luz, aconselham as pessoas que têm risco de depressão a fazerem fototerapia em casa.

Texto: JLC com Lusa
Foto: MarcWilwert

sábado, 30 de outubro de 2010

Maradona faz hoje 50 anos


Diego Armando Maradona, lenda viva do futebol mundial, faz hoje 50 anos. Com uma carreira repleta de sucessos e polémicas, "el Pibe" comemora o seu meio século de existência longe do grande amor da sua vida, o Futebol.

A 30 de Outubro de 1960, Buenos Aires, capital argentina, dava à luz aquele que viria a ser um dos maiores génios do futebol mundial.Controverso, mas eternamente deslumbrante dentro das quatro linhas, assim foi Maradona, o melhor jogador argentino de todos os tempos e um dos maiores de sempre.

Hoje comemora 50 anos e isso é, por si só, uma batalha ganha, para um homem, que ainda jogador, esteve à beira da morte pela sedução inabalável da cocaína e outros excessos. Recuperou, ganhou forças e no seu último desafio orientou a Argentina do seu coração no último Mundial da África do Sul.

Acabou "traído", como reclama, mas nunca traiu aqueles que ansiavam por ver a magia sair do seu magnífico pé esquerdo. Ficaram eternas as imagens do Mundial de 1986, ponto mais alto da sua carreira e em que se sagrou campeão do Mundo. Os amantes do futebol devem-lhe uma homenagem pela qualidade dos espectáculo que ofereceu pelos estádios de todo o mundo…

Maradona vive a vida de forma bastante intensa e nunca esconde os seus pensamentos por mais polémicos que estes sejam. O golo com a famosa "mão de Deus" contra a Inglaterra ilustra de forma sintética o seu estilo de vida. Uma personalidade que desperta e provoca, na mesma proporção amores e ódios.

Parabéns Maradona!

Nos últimos anos, 700 mil portugueses deixaram Portugal: Crise faz emigração disparar para valores históricos dos anos 60 e 70

Já não restam dúvidas de que há uma nova vaga de emigração portuguesa. Na última década, 700 mil pessoas deixaram o país. São números que se aproximam dos valores do maior êxodo português de sempre, nas décadas de 60 e 70. E com o cinto a apertar, a fuga de Portugal vai agravar-se, garante Álvaro Santos Pereira, autor do estudo "O regresso da emigração portuguesa".

Os números assustam: entre 1998 e 2008, saíram de Portugal 700 mil pessoas. São 6,5 % da população total só numa década.

"Portugal está a encolher", alerta Álvaro Santos Pereira, professor na Universidade Simon Fraser em Vancouver, no Canadá, com quem o CONTACTO falou por telefone.

O economista é autor do estudo "O regresso da emigração portuguesa", o primeiro a fazer a contabilidade do fluxo migratório nos últimos anos. Há muito que as associações na diáspora garantem que há uma nova vaga de emigração portuguesa, mas o fenómeno nunca tinha sido quantificado. Até agora.

Descontente com os números fornecidos pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), Álvaro Santos Pereira decidiu lançar mão de outros métodos.

"A partir de 1992, por causa do espaço Schengen, deixou de se fazer a contabilidade a partir da emissão de passaportes, e a contabilidade da emigração começou a ser feita de forma indirecta pelo INE, a partir de inquéritos às famílias. O problema é que os números são pouco fiáveis, e quase sempre subestimam o número de pessoas que saiu", explica.

Na senda do trabalho de Maria Baganha, pioneira no estudo dos fluxos migratórios, o professor universitário consultou os dados da Segurança Social e dos Centros de Emprego dos principais países de destino dos portugueses, que cruzou com dados da OCDE. E o que descobriu alarmou-o.

O fluxo da última década não está longe do maior êxodo português de sempre, na década de 60, quando saíram do país 800 mil, e na de 70, quando partiram mais 850 mil. Na primeira década deste século, depois da adesão à União Europeia e de um "boom" económico fugaz, os números já rondam os 700 mil.

"Os números mostram inequivocamente que existe uma grande vaga migratória portuguesa, provavelmente a segunda maior de sempre, e a maior seguramente desde os anos 60", garante Santos Pereira.

"O que mais me alarmou foram os números de 2007 e 2008: estamos a falar de cerca de cem mil portugueses por ano. Até 73/74, no pico da emigração, havia cerca de 150 mil pessoas a sair de Portugal todos os anos. Havia mais gente a sair de Portugal nos anos 60 e 70 que agora, mas os números aproximam-se muito".

CRISE OBRIGOU PORTUGUESES A SAIR
O novo fluxo migratório é o espelho da crise em que o país mergulhou na última década. Uma "crise à portuguesa" que deve pouco à crise internacional, e é antes fruto das dificuldades de adaptação ao euro e da estagnação económica que se lhe seguiu, garante o professor universitário.

"A nova vaga migratória acontece claramente porque há falta de oportunidades no país e não há perspectivas de as coisas melhorarem nos próximos tempos", diz. "A emigração começou a aumentar a partir de 2000 e bastante mais a partir de 2002 e 2003, bem antes da crise internacional. Não teve nada a ver com a crise internacional: foi por causa da crise interna". E se a recessão prolongada fez com que os portugueses batessem com a porta, a saída ajudou, paradoxalmente, a mascarar a crise.

"A taxa de desemprego já estaria há muito tempo nos 15 por cento, e provavelmente estaria agora perto dos 20 %, se não fosse a emigração", frisa o economista. Mas não foi só aí que o êxodo mascarou o declínio da economia portuguesa: as remessas dos emigrantes têm sido essenciais para aguentar o barco durante o mau tempo económico.

"A Maria Baganha, uma das maiores investigadoras da emigração portuguesa, costumava dizer que a emigração era a nossa exportação mais bem sucedida. E as receitas da emigração são exactamente as remessas. Portugal tem um défice externo crónico nos últimos 70 anos, isto é, importa mais do que exporta. E a única maneira de equilibrar isto são as transferências do exterior, como os fundos da União Europeia, e principalmente as remessas dos emigrantes, que chegaram a constituir 8 a 10 % do PIB nos anos 80".

Com o fluxo migratório a disparar, as remessas dos emigrantes, em queda desde o final dos anos 80, voltaram a subir a partir de 2004. "As remessas só não aumentaram mais porque houve uma crise muito grande a nível internacional, que fez com que as pessoas poupassem mais e não mandassem mais dinheiro para trás. Houve uma pequena descida das remessas em 2008 e 2009, mas já estão a aumentar outra vez, e é natural que continuem a aumentar".

Mas se as remessas ajudam a mascarar o défice crónico de Portugal, o preço a pagar pode ser demasiado alto para um país cuja população "está a encolher".

"Portugal é neste momento, a seguir à Irlanda, o segundo país da OCDE com maior fuga de cérebros", alerta o professor. "Investimos neles e não temos nenhum retorno destas pessoas altamente dinâmicas e produtivas", lamenta. "São pessoas altamente qualificadas, muitas vezes licenciadas, com mestrado ou doutoramento. A ideia do emigrante de mala de cartão como nos anos 60 já não acontece, obviamente, mas continua a haver emigrantes pouco qualificados. Existe um pouco de tudo, no fundo como o país". Uns e outros fazem falta numa altura em que as taxas de natalidade caíram a pique e em que Portugal já não consegue atrair mão de obra estrangeira para compensar o êxodo dos portugueses.

"Portugal tem desperdiçado os seus emigrantes de maneira brutal. Tem tratado muito mal os seus emigrantes: não aproveita o seu potencial.

O FADO
DA EMIGRAÇÃO
Álvaro Santos Pereira fala com o CONTACTO por telefone a partir do seu gabinete na Universidade Simon Fraser, de Vancouver, onde trabalha desde 1998. A distância não tem impedido os jornalistas de o contactarem. Nos últimos dias, o seu estudo tem sido citado várias vezes na imprensa nacional e internacional, incluindo no Diário Económico, Expresso e no espanhol El Pais. Mas é só muito recentemente que se fala do fenómeno em Portugal, apesar de múltiplos avisos. O país, diz o economista, mantém a sina da emigração, tão sua como o futebol e o fado, mas recusa olhar-se ao espelho.

"Isto é o retrato de um país atrasado que nós pensávamos que já não existia. A emigração é um tema que é um bocado tabu porque nos envergonha. É um reflexo de quão mau o país está. É por isso que não se fala nisso".

"Aos poucos, cada vez se fala mais sobre isto, e acho que as pessoas já acreditam que está a haver uma grande vaga migratória neste momento". Até porque o fenómeno, "claramente, não vai diminuir". Com as medidas de austeridade anunciadas pelo Governo de José Sócrates, é previsível que a fuga de Portugal se agrave.

"Está muita gente a sair para Angola". Em 2006, contavam-se apenas 156 vistos para Angola. Em 2008 já eram 20 mil. Um ano depois, foram 46 mil, segundo Santos Pereira. As remessas falam por si: em 2009, as transferências com países africanos de língua portuguesa tiveram pela primeira vez um saldo positivo, de 67,1 milhões de euros. O grosso desse valor vem de Angola, país em que as remessas cresceram 130 % de 2008 para 2009.

"Portugal é um país fechado, velho, sem perspectivas", queixava-se uma emigrante portuguesa em Luanda ao Libération. O diário francês dedicou este mês um artigo ao novo eldorado português. O El Pais também: "Portugueses regressam a Angola", titula o diário espanhol. Para Angola em força ou para destinos tradicionais, os portugueses vão continuar a emigrar, vaticina o professor português no Canadá. "Claramente, vejo cada vez mais pessoas a pensar em sair do país. Acho que os nossos políticos ainda não perceberam quão sério o problema se tornou. Temos de perceber o que está a acontecer e temos de actuar", insta Santos Pereira. "Há problemas estruturais na economia portuguesa, mas houve uma série de más políticas seguidas não só por este governo, mas pelos anteriores, que agravaram a situação nacional. É preciso assumir responsabilidades".

Mas com a turbulência anunciada nos últimos dias e a recessão esperada nos próximos anos, é pouco provável que seja desta que Portugal deixe de ser um país de emigrantes.

Paula Telo Alves

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Luxemburgo: Roscas e Estacionâncio este sábado, em Walferdange

A dupla de humoristas Quim Roscas e Zeca Estacionâncio, bem como o cantor Gabriel, que está pela primeira vez no Luxemburgo, estão no sábado, 30 de Outubro, a partir das 21h, no Centro Cultural Prince Henri, em Walferdange, para um grandioso espectáculo.

A noite será ainda abrilhantada por um baile com os conjuntos Nova Era e Duo Carlos Mecha. A organização do evento pertence ao Rancho Folclórico Luso-luxemburguês. Joaquim Pedreira

Luxemburgo: Mamer inaugura hoje o seu novo ex-libris - o Centro Cultural Kinneksbond

"Kinneksbond" é o nome do novo Centro Cultural de Mamer, que abre neste fim-de-semana de 30 e 31 de Outubro oficialmente ao público.

Um novo centro cultural com um programa e uma equipa ambiciosos, já que da agenda 2010/2011 fazem parte operetas, ballets, concertos sinfónicos e até uma peça de teatro em português e alemão: a "A Tempestade", de William Shakespeare, numa co-produção com A Companhia de Teatro do Algarve (ACTA), de Faro, a estrear em Fevereiro e sobre a qual já aqui escrevemos na edição anterior.

A sala tem capacidade para 434 espectadores

"Os espectáculos agendados são co-produções ou foram comprados, mas no futuro queremos ter as nossas próprias produções. Temos de encontrar a nossa identidade e saber mostrar o que nos diferencia dos outros centros", diz a directora Sylvie Martin, que quer tornar o Kinneksbond num lugar não só de cultura, mas de inovação e criação. É nesse sentido que o centro vai ter, além de salas de ensaio e exposições, grupos residentes como a fanfarra "Harmonie Gemeng Mamer", uma escola de música da UGDA (Union Grand-Duc-Adolphe, federação luxemburguesa dos conjuntos de música), e a orquestra de câmara "Les Musiciens". Outro dos objectivos do novo centro é atrair o público tanto da capital como da região circundante e zonas fronteiriças, aproveitando a sua localização: Mamer fica logo a seguir a Strassen, a uma dezena de quilómetros da capital e de Arlon (Bélgica). Ao mesmo tempo, "o Kinneksbond pretende assumir-se como o grande centro cultural da região oeste do país", diz o burgomestre Gilles Roth.

Depois do liceu Josy Barthel e da nova Escola Europeia, ainda em construção, o Kinneksbond é a nova jóia da coroa da cidade. O centro custou 20 milhões de euros e foi concebido pelo arquitecto Jim Clemes, o mesmo que assinou a Gare de Belval e o novo Tribunal de Contas da UE, no Kirchberg. O centro cultural tem 2.300 m2, linhas simples, amplas e modernas, grande vidraças, um foyer com cores quentes e acolhedoras, e um adro que dá directamente sobre a route d'Arlon. A acústica da sala esteve ao cuidado de Albert Yaying Xu, o mesmo que trabalhou na Rockhal e na Philharmonie. A sala tem capacidade para 434 pessoas, é modulável para espectáculos ou jantares de gala, dispõe de um fosso para orquestra, um dos únicos do país podendo acolher 62 músicos, e o palco pode abrir nas traseiras sobre um anfiteatro onde podem ser apresentados espectáculos ao ar livre, no Verão, por exemplo.

Para já, "o único senão é o orçamento anual de 250 mil euros anuais, metade dos quais vão para salários, e isto apesar de a equipa contar, por ora, apenas com três pessoas", admite o presidente do centro, Jean Morby, acrescentando que já escreveu à ministra da Cultura para pedir uma subvenção, como as que recebem outros centros culturais do país.

A directora mostra-se optimista. "Temos muitas ideias que queremos concretizar e para isso temos também que encontrar mais parceiros e patrocinadores", lança Sylvie Martin, como um repto.

Portas abertas durante todo o fim-de-semana

Para apresentar ao público o centro, são organizados dois dias de "portas abertas" neste fim-de-semana. No cardápio, um programa ecléctico e variado, à imagem do que o centro se quer tornar, com concertos, teatro, dança, ateliês e sessões de leitura para os mais pequenos, entre outras atracções. Entre as actuações estão convidados de prestígio da cena artística nacional: a cantora Sasha Ley e o seu trio de jazz Kalima, o trompetista Ernie Hammes, o cabaretista Jay Schiltz, o quarteto de Greg Lamy, a bailarina Sylvia Camarda, o escritor Josy Braun, o único romancista luxemburguês a ter um livro publicado em Portugal, entre outros. O programa completo do fim-de-semana está disponível no site do centro cultural (em www.kinneksbond.lu ).

O centro dispõe também de um "Kinnekskaart", cartão anual que dá direito a descontos de 10 % em muitos espectáculos. Mais informações pelo tel. 26 39 51 00 ou no Kinneksbond, n°42, route d'Arlon, em Mamer.

José Luís Correia
Fotos: Marc Wilwert/Guy Jallay
O "foyer" do novo Centro Cultural de Mamer é acolhedor e amplo

Luxemburgo: Listas de espera para cartas de condução chegam às oito semanas

As listas de espera para obter a carta de condução, que actualmente chegam às oito semanas, vão acabar em breve. A garantia foi dada pelo ministro Claude Wiseler, afirmando que até ao final do ano a situação estará regularizada.

Segundo o deputado liberal Xavier Bettel (DP), que citou uma reportagem da rádio RTL Lëtzebuerg, as pessoas que querem obter a carta de condução – quer para ter lições de condução, quer para fazer o exame – têm de se inscrever em listas de espera devido à falta de instrutores.

A informação foi confirmada, em parte, pelo ministro do Desenvolvimento Sustentável, Claude Wiseler, que reconhece que o tempo de espera para começar a ter aulas de condução é actualmente bastante maior, enquanto que, paradoxalmente, os alunos que se inscrevem nas aulas de condução são em menor número. Segundo Wiseler, este fenómeno "explica-se, por um lado, porque muita gente esperou pela introdução das novas perguntas [consideradas mais fáceis, n.d.R.] para o exame teórico, antes de começarem a aprendizagem prática e, por outro, a taxa de aprovações no exame teórico aumentou substancialmente de 50 para 90 %". "Mas – acrescenta o ministro –, prevê-se que a situação se normalize dentro de pouco tempo, logo que passe este fluxo de candidatos".

Relativamente ao prazo de espera para o exame de condução, este é agora de seis a oito semanas, enquanto que o normal sempre foi de duas ou três semanas. Também neste caso, a razão é o acumular de candidatos que resolveram esperar pelas novas perguntas do exame teórico.

"Por isso – explica o ministro – não está previsto contratar nenhum novo examinador, uma vez que o actual fluxo de candidatos é momentâneo e deverá ser regularizado até ao final do ano".

Sobre as auto-escolas, Wiseler revelou que são actualmente cerca de 30 no país, empregando ao todo 110 instrutores e 23 monitores-aprendizes. As aulas para a formação de monitores de auto-escola devem inscrever-se no Liceu Técnico do Centro, em Limperstberg.

F. Pinto
Foto: Tessy Hansen

Portugal: Temporal obrigou a trabalhos de limpeza redobrados de funcionários da Baixa lisboeta




O mau tempo que hoje assolou a Baixa lisboeta provocou o caos no trânsito e obrigou a trabalhos redobrados dos funcionários de limpeza de algumas instituições atingidas duramente pelo temporal.

Exemplo disso é o Teatro Dona Maria II, cujo primeiro piso ficou inundado. Nos intervalos da chuva, três empregados tentavam limpar as instalações, um trabalho que pode durar todo o dia.

Quando a chuva acalmou, os funcionários das várias lojas e restaurantes do Rossio e área circundante aproveitaram para limpar o muito lixo que se acumulou na calçada e para recolher as mesas e cadeiras das esplanadas.

Marília, empregada de uma loja de artesanato no Palácio da Independência, recorda que a água chegou a ultrapassar o nível da cintura. Enquanto varria, a funcionária olhava em volta para contabilizar os estragos: “São muitos. Ficou tudo a boiar”.

Contactado por telefone, o vice-presidente da Confederação de Comércio e Serviços de Portugal, Vasco Mello, registou inundações por toda a Baixa, inclusive na cave da sua própria loja, na Rua do Amparo, e em estabelecimentos das ruas Augusta e da Prata, onde estas situações já não aconteciam desde há dois anos.

Na Rua da Prata chegaram mesmo a fazer transbordar dois coletores de águas pluviais.

“Ainda bem que foi de manhã. Se fosse de noite seria uma desgraça”, afirmou o responsável, explicando que a situação tinha melhorado com uma intervenção no parque de estacionamento da Praça da Figueira que abrangeu também a Rua da Palma.

Por isso, disse não entender como estas inundações se podem repetir, depois de várias intervenções, inclusive com coletores.

Já em Chelas, a Lusa constatou que os maiores transtornos no trânsito foram provocados pela deslocação de tampas de esgotos.

Um carro reboque que tentava passar entre o trânsito ficou preso e teve de ser ajudado por outro veículo idêntico.

De Chelas à Baixa, são notórios vários lençóis de água na estrada, caixotes de lixo no chão e lixo.

No entanto, cerca das 13:00, o trânsito já não era muito e também não havia muitos passageiros à espera de autocarros.


Foto e texto: Lusa

Brasil: Sondagens continuam a dar a vitória a Dilma Rousseff

A candidata do Partido dos Trabalhadores (PT) à Presidência do Brasil, Dilma Rousseff, vai vencer as eleições no domingo, segundo as últimas sondagens que lhe dão mais de 55 por cento dos votos.

A sondagem da Datafolha dá a Dilma Rousseff 56 por cento dos votos válidos e 44 por cento ao seu adversário, o candidato do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), José Serra.

O critério de votos válidos exclui as intenções de voto em branco e nulo e os indecisos.

Na pesquisa anterior, divulgada na terça-feira, a Datafolha também dava a Dilma Rousseff 56 por cento dos votos válidos e a José Serra 44 por cento.

Com o critério dos votos totais, que incluem brancos, nulos e indecisos, a candidata do PT surge com 50 por cento das intenções de voto e o seu adversário com 40 por cento.

Segundo o Datafolha, as intenções de voto em branco ou nulo atingem os cinco por cento, enquanto quatro por cento dos eleitores revela-se indeciso.

Para esta sondagem, que tem uma margem de erro de dois por cento e foi encomendada pelo jornal Folha de S. Paulo, a Datafolha entrevistou 4205 eleitores.

Por seu lado, a sondagem realizada pelo Ibope dá a Dilma Rousseff 57 por cento dos votos válidos, contra 43 por cento de José Serra.

Na pesquisa anterior daquele instituto, a candidata do PT tinha 56 por cento dos votos válidos e o candidato do PSDB 44 por cento.

Esta sondagem foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo e tem uma margem de erro de dois pontos percentuais.

O Ibope entrevistou 3010 eleitores, de 26 a 28 de outubro.

A segunda volta das eleições presidenciais brasileiras realiza-se no domingo.

Portugal: Chuva e vento fortes obrigam a alertas da Protecção Civil

A Autoridade Nacional de Protecção Civil de Portugal accionou hoje o "alerta amarelo" para os distritos de Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Bragança, Porto, Aveiro, Viseu, Guarda, Coimbra, Castelo Branco, Leiria, Santarém, Lisboa e Setúbal devido à previsão de mau tempo entre hoje e sábado, provocado pela passagem de duas superfícies frontais frias.

O terceiro grau numa escala de quatro do alerta da Protecção Civil está em vigor desde as 6h de hoje e até às 20h de sábado.

De acordo com o Instituto de Meteorologia (IM), prevê-se para hoje a passagem de “uma superfície frontal fria de actividade moderada a forte com ocorrência de períodos de chuva, por vezes forte em particular nas regiões norte e centro, passando a regime de aguaceiros, e condições favoráveis à ocorrência de trovoada”.

Para sábado, o IM prevê a “ocorrência de períodos de chuva ou aguaceiros, por vezes fortes e acompanhados de trovoada nas regiões norte e centro e que serão de neve acima dos 1400/1500 metros durante a madrugada e início da manhã”.

O IM alerta também que “o vento deverá soprar moderado a forte, com rajadas que podem ir até aos 80 km/h no litoral e aos 120 km/h nas terras altas”.

A partir de domingo, o IM prevê “uma melhoria em relação à precipitação”, mas o vento ainda será “moderado a forte (25 a 45 km/h) de noroeste e nas terras altas forte (40 a 55 km/h) de noroeste, com rajadas até 80 km/h”.

Luxemburgo: José Veiga deixa direcção do BCP

José Veiga, presidente do directório da filial do Banco Comercial Português (BCP) no Luxemburgo, deixa o seu cargo, após oito anos naquela instituição.

A partir de segunda-feira, 1 de Novembro, sucede-lhe no posto Serge Tondu, assistido por António Mota e Patrick Olive.

Após uma carreira de 42 anos de actividade, José Veiga trabalhou 33 anos no sector bancário, oito dos quais no BCP.

Em carta enviada à nossa Redacção, Veiga explica que deseja assim pôr termo à sua carreira profissional na banca e dedicar-se mais aos seus próximos e a outros projectos.

O BCP está no Luxemburgo desde 1967, tendo passado por vários grupo financeiros: a partir de 1988 pela União de Bancos Portugueses (UBP), após 1997 pelo Banco Mello, e em 2002 pelo Millenniumbcp. Em 2006, o grupo francês Caisse d'Epargne torna-se accionista maioritário do BCP. Actualmente, o banco faz parte do grupo BPCE-Banque Populaire et Caisse d'Épargne, o segundo grupo bancário de França.

Foto: Guy Jallay/LW

Hoje: CCPL promove encontro sobre responsabilidade social das empresas e a migração portuguesa no Luxemburgo

Hoje, sexta-feira, 29 de Outubro, decorre um encontro que junta empresas de portugueses sediadas no Luxemburgo e companhias luxemburguesas, assim como algumas instituições e autoridades, em torno da discussão “A responsabilidade social das empresas e a migração portuguesa no Luxemburgo”. O encontro tem lugar no Hotel Parc Belair (avenue du X septembre, n° 111, em Belair), na cidade do Luxemburgo, e começa às 10h.

Trata-se de uma iniciativa da Confederação da Comunidade Portuguesa no Luxemburgo (CCPL) e financiada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros português no âmbito do programa nacional português do Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão Social 2010 - na dimensão “Comunidades Portuguesas”, contando ainda com o apoio científico das universidades de Portugal e do Luxemburgo.

Com esta iniciativa, a CCPL pretende reunir um grupo de trabalho restrito e empreendedor composto por representantes de empresas luso-luxemburgueses, facultando uma discussão relativamente às eventuais medidas e soluções a seguir no combate à pobreza e à exclusão social de modo a reforçar os laços com a sociedade civil local. Este fórum conta com a presença de representantes das autoridades e instituições portuguesas e luxemburguesas que colaboram na apreciação e avaliação do trabalho feito e a realizar neste campo. O objectivo é apresentar as conclusões resultantes deste encontro em Dezembro, no âmbito de uma conferência final.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Mourinho pode ser o melhor de todos os tempos, diz Villas-Boas


José Mourinho "tem condições para ser o melhor treinador de todos os tempos", defendeu hoje André Villas-Boas, técnico de futebol do FC Porto, que trabalhou com o agora timoneiro do Real Madrid durante vários anos.

"É um grande comunicador e possivelmente -- de acordo com o que fizer no resto da carreira -- o melhor treinador de todos os tempos. Está ao seu alcance. Depende do tempo que exercer a profissão. Encaminha-se para ser o melhor treinador de todos os temos e de forma completamente meritória", vincou

Villas-Boas foi desafiado a comentar a eleição do melhor treinador do Mundo na época 2009/10, título da FIFA ao qual português, campeão italiano e europeu pelo Inter de Milão, é candidato.

Mili Tasch-Fernandes é mandatária de Manuel Alegre para o Luxemburgo

Mirandolina Tasch-Fernandes – mais conhecida por Mili Tasch – é a mandatária para o Luxemburgo da campanha de Manuel Alegre às presidenciais portuguesas de 23 de Janeiro de 2011.

"O meu nome foi proposto pelo deputado da Emigração Paulo Pisco, teve o apoio da secção do Partido Socialista português no Luxemburgo, e foi aceite pela campanha de Manuel Alegre. Informaram-me na sexta-feira", explica a mandatária.

"Primeiro fiquei admirada, depois muito sensibilizada, porque Manuel Alegre é alguém que admiro muito como pessoa, como figura política e cultural, como homem de letras e resistente à ditadura, ditadura que eu também vivi", conta-nos.

Para a mandatária, esta nomeação "é como a quadratura do círculo, a soma de muitas experiências a nível associativo, trabalhando em prol da comunidade e pela participação cívica desta."

Para já, Mili Tasch está a reunir um comité de acção para a pré-campanha e prevê para meados de Novembro os primeiros encontros para publicitar a campanha de Alegre.

"Parce-me que o eleitorado de esquerda já está quase todo conquistado, mas há muitos que podemos ainda conseguir para o nosso lado, nomeadamente os indecisos", considera a mandatária.

Manuel Alegre desloca-se brevemente a Bordéus e Paris e a mandatário do Luxemburgo não esconde que gostaria também de o ver no Grão-Ducado.

Mili Tasch-Fernandes é uma defensora e divulgadora incansável há mais de 40 anos da cultura portuguesa e dos direitos dos imigrantes portugueses no Luxemburgo. No Luxemburgo desde 1968, foi colaboradora da primeira hora do jornal CONTACTO, em 1970, quando integrava a associação Amizade Portugal-Luxemburgo (APL). Actualmente é funcionária da Comissão Europeia onde, paralelamente ao seu trabalho de gestora financeira, ocupa desde há cinco anos o cargo de presidente do Círculo Cultural das Instituições Europeias (fundado em 1954), sendo a primeira mulher e a primeira portuguesa a ocupar este cargo. É também presidente do Círculo de Cultura Portuguesa das Instituições Europeias. Tem organizado inúmeras exposições de artes plásticas, animado grupos teatrais, círculos de leitura, traduzido obras literárias e livros de arte. Faz ainda parte do Conselho da Confederação da Comunidade Portuguesa no Luxemburgo (CCPL), além de estar muito particularmente ligada aos problemas da mulher migrante, aos problemas escolares das crianças e dos jovens, bem como à problemática dos seniores.

Todas estas e muitas outras actividades em que esteve e continua a estar empenhada serviram de fundamento para que em 2001 recebesse da Presidência da República Portuguesa o Grau de Comendadora da Ordem do Infante D. Henrique.

JLC
Foto: Anouk Antony/LW

Luxemburgo: Comissão dos Direitos Humanos critica projecto-lei que faz pensar na "Laranja Mecânica" de Kubrik

A Comissão Consultiva dos Direitos Humanos (CCDH) do Luxemburgo considera que o projecto-lei sobre as penas a aplicar aos delinquentes sexuais que voltem a praticar crimes com esse carácter, "fazem pensar na Laranja Mecânica de Stanley Kubrik" (dixit).

A Comissão considera o diploma "muito mau" porque trata todos os delinqentes sexuais de forma igual quando na realidade, não existe o mesmo nível de perigosidade em todos. Além disso, "o anexo do texto prevê tratamentos terapêuticos que fazem pensar na Laranja Mecânica de Stanley Kubrik", acusa o CCDH.

O projecto-lei inclui medidas que vão da vigilância à detenção preventiva, medidas com efeito rectroactivo mesmo para pessoas já detidas, o que o CCDH considera contrário ao Código Penal e à Convenção Europeia dos Direitos do Homem.

A Comissão pede que o texto seja retirado e que a par das penas aplicadas aos delinquentes sexuais, estes beneficiem de um acompanhamento psiquiátrico e terapêutico.

O ministro da Justiça, François Biltgen, garantiu já que o texto iria ser retrabalhado.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Greve dos controladores aéreos: voos do Luxemburgo para Portugal podem ser anulados


A greve dos controladores aéreos franceses pode provocar o atraso ou a anulação dos voos da Luxair marcados para esta quinta-feira, alerta a companhia aérea luxemburguesa. Os voos para França e para destinos a sul daquele país, incluindo Espanha, Marrocos e Portugal, podem vir a ser afectados.

O primeiro voo de amanhã para Paris já foi anulado, mas a greve poderá implicar "atrasos consideráveis e mesmo cancelamento" de outros voos, avisa a Luxair em comunicado divulgado há instantes.

A companhia aérea luxemburguesa aconselha os passageiros com voos marcados para amanhã a consultar o portal www.luxair.lu, rubrica partidas / chegadas ("départs / arrivées").

Foto: Anouk Antony / Wort

Marcelo Rebelo de Sousa não vem ao Luxemburgo

A conferência de Marcelo Rebelo de Sousa sobre a "República Portuguesa" prevista para amanhã foi adiada para o dia 18 de Novembro.
O professor é Conselheiro de Estado e tem de participar, na próxima sexta-feira, na reunião convocada pelo Presidente da República, Cavaco Silva, para analisar a situação política no país e o orçamento de Estado para 2011.

Campanha da Segurança Rodoviária Luxemburguesa: No Inverno, é vital "Ver e ser visto"

"Soyez visibles" é o mote da campanha lançada pelo Ministério dos Transportes do Luxemburgo que arrancou na semana passada e que vai prolongar-se até ao fim do mês.

O objectivo é a diminuição do número de mortes na estrada, sobretudo ao nível de acidentes com os peões. De 2008 para 2009 o número de mortes nas estradas aumentou 39 %. Um número muito elevado, ainda mais quando se sabe que em cada quatro mortos, um é um peão.

Para alertar para os perigos da circulação na estrada, o Ministério dos Transportes e a Segurança Rodoviária apelam a uma boa colaboração entre condutores e peões, e aconselham as pessoas que circulam nas vias públicas a usarem roupa clara e com reflectores. Os automobilistas devem circular com os faróis das viaturas acesos, de modo a que "todos sejam visíveis".

Paul Schmit é novo embaixador do Luxemburgo em Lisboa

Paul Schmit apresentou as suas credenciais como novo embaixador extraordinário e plenipotenciário do Luxemburgo em Portugal, a 15 de Outubro, ao presidente português Aníbal Cavaco Silva, substituindo assim Alain de Muyser, que estava no posto desde Setembro de 2004.

Paul Schmit nasceu em 1966, em Ettelbruck. É casado e pai de três filhos. Frequentou o Liceu Clássico de Diekirch, depois a Universidade Robert Schuman, em Estrasburgo, onde se licenciou em Direito. Formou-se ainda em Ciências Políticas pela Universidade de Paris II.

Entre 1991 e 1992 foi "attaché" do Governo no Ministério da Força Pública; entre 1993 e 1995, secretário de legação do secretário geral do Ministério dos Negócios Estrangeiros; de 1995 a 2000, esteve destacado na Representação Permanente do Luxemburgo junto da NATO, em Bruxelas, enquanto representante permanente adjunto; de Março de 2000 a Dezembro de 2001, foi destacado para a Representação Permanente do Luxemburgo junto da UE, para os dossiês de política estrangeira da UE; entre 2002 e Agosto de 2007, foi chefe de missão adjunto na Embaixada do Luxemburgo nos Estados Unidos, com co-acreditação para o Canadá e o México; de Setembro de 2007 a Setembro de 2010, foi director dos assuntos Jurídicos e Culturais no Ministério dos Negócios Estrangeiros, posto que ocupava quando foi chamado para representar o Grão-Ducado em Lisboa. Tal como os seus antecessores neste posto, Paul Schmit assumirá igualmente o cargo de embaixador do Luxemburgo para Cabo Verde, destacado em Lisboa.

Na sua carreira, Paul Schmit recebeu já duas distinções: "Chevalier de l’Ordre Grand-Ducal de la Couronne de Chêne", em 2007, e "Chevalier de l’Ordre de Mérite Civil et Militaire d’Adolphe de Nassau", em 2009.

Destaques da edição do CONTACTO de 27 de Outubro de 2010

Na edição desta semana, o jornal CONTACTO destaca a nova vaga de emigração portuguesa. 700 mil pessoas deixaram o país na última decada, valores próximos dos anos 60 e 70.

Estes são os números revelados pelo estudo "O regresso da emigração portuguesa", de Álvaro Santos Pereira. O professor da Universidade de Vancouver, no Canadá, aponta a crise como a principal causa do novo surto migratório.

Bruxelas ameaça processar o Luxemburgo por ter retirado os abonos de família aos trabalhadores fronteiriços. O comissário para o Emprego e para os Assuntos Sociais, Làszlò Andor, ameaça levar o Grão-Ducado ao Tribunal Europeu devido ao elevado número de queixas recebidas.

Paul Schmit é o novo embaixador do Luxemburgo em Lisboa. O diplomata apresentou as suas credênciais em Portugal, a 15 de Outubro, ao presidente Cavaco Silva, substituindo Alain Muyser que estava no posto desde Setembro de 2004.

Marcelo Rebelo de Sousa vai falar sobre a República, amanhã, no Instituto Camões. O professor universitário, político e conhecido comentador televisivo, desloca-se ao Luxemburgo esta quinta-feira, 28 de Outubro, para uma conferência subordinada ao tema "A República Portuguesa: Uma visão do século XXI".

O 18° aniversário da Rádio Latina é outros dos destaques desta edição. Olavo Bilac e vários artistas portugueses abrilhantaram a festa que teve lugar em Limpertsberg.

No desporto, vitória da italiana Roberta Vince no Open de ténis do Luxemburgo e o provável boicote dos árbitros à Liga BGL no próximo domingo, são os temas principais.

Estas e outras notícias no jornal CONTACTO, o seu semanário em língua portuguesa no Luxemburgo.

Ainda não recebe o CONTACTO em casa?

Para receber o jornal gratuitamente (exclusivamente para residentes no Grão-Ducado), inscreva-se no site oficial do jornal em
www.contacto.lu ou pelo tel. 4993-9393 (Departamento de Assinaturas).

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Dudelange/Esta noite: Deolinda e o seu fado gingão pela primeira vez no Luxemburgo

Todos já ouvimos na rádio a canção: "Toda a gente fon-fon-fon, só desdizem o que eu digo: Que a tuba fon-fon-fon tem tão pouco romantismo, Mas ele toca fon-fon-fon e o meu coração rendido, só responde fon-fon-fon com ternura e carinho, Os meus pais já me disseram: Ó Filha, não sejas louca, Que as Variações de Goldberg p'lo Glenn Gould é que são boas, Mas a música erudita não faz grande efeito em mim: do CCB, gosto da vista; da Gulbenkian, o jardim"...

A canção é da autoria do quarteto lisboeta Deolinda, que vai estar pela primeira vez no Grão-Ducado esta noite, 26 de Outubro, às 20h, no Centro Cultural Opderschmelz (1a, rue du Centenaire), em Dudelange.

Os Deolinda são um conjunto de música pop(ular) portuguesa acústica composto por Ana Bacalhau (voz), Pedro Silva Martins (guitarra e composição), Zé Pedro Leitão (contrabaixo e piano) e Luís Silva Martins (guitarra clássica, banjolim e "sinos").

A banda é conhecida pela melodia afadistada moderna, entre fado gingão e pop. Ligados por laços de parentesco, os quatro artistas costumavam passar férias juntos numa praia perto de Sintra quando certo dia, corria o ano de 2008, Pedro apareceu com três novas composições, entre as quais "Aí rapaz", "Não sei falar de amor" e "O fado não é mau". Três primeiras canções escritas já a pensar na voz da petulante Ana Bacalhau. É o que reza a história sobre as origens do projecto Deolinda.

O nome da banda personifica uma mulher genuinamente portuguesa, de xaile pelos ombros (é aliás este o símbolo da banda). "O seu nome é Deolinda e tem idade suficiente para saber que a vida não é tão fácil como parece. Atarracada e bem disposta, de chinelos e argolas grandes nas orelhas, ladeada de naperons típicos de uma casa à portuguesa, com idade suficiente para saber que a vida não é tão fácil quanto parece. Solteira de amores, casada com desamores, natural de Lisboa, mora num rés-do-chão nos subúrbios da capital, compõe as suas canções a olhar por entre as cortinas da janela e inspirando-se pelos discos da grafonola da avó e pela vida bizarra dos vizinhos. Vive com dois gatos e um peixinho vermelho...", é o retrato "à la minute" que a banda faz da personagem.

A bem ver, Deolinda simboliza acima de tudo a cidade de Lisboa herself, uma cidade que evolui e cresce entre um passado saudosista e os desafios da modernidade.

Os Deolinda viajam pelos estilos e pelos géneros, do fado à música popular portuguesa, do tango ao samba, passando pela morna, o jazz e até a música haitiana ("Fado Toninho"), contando e cantando histórias e mexericos do quotidiano de forma humorística, galhofeira, melancólica, ligeira, aérea, surrealista.

Depois da saída do seu álbum de estreia, em Abril de 2008, "Canção ao lado", que foi disco de platina, e do seu primeiro e mais conhecido single, "Fon-Fon-Fon", os Deolinda não param de encher salas de espectáculos com públicos de todas as idades. O álbum foi considerado pelo "Sunday Times" o terceiro melhor disco do ano de world music. O que levou o CONTACTO a escrever sobre eles na rubrica "Expresso Musical", logo em Janeiro de 2009.

Em Abril deste ano, lançaram o seu segundo trabalho, "Dois Selos e Um Carimbo", cujo single "Um Contra o Outro" segue a mesma linha do primeiro, tanto no cunho artístico como nos topes de vendas.

Para o concerto de hoje em Dudelange, os bilhetes custam 15 euros, em pré-venda, e 20 euros, na noite do evento, podendo ser adquiridos no Centro Opderschmelz (ou através dos site www.luxembourgticket.lu ).

JLC/JNL

Luxemburgo: Aulas de ginástica em português para todas as idades

A professora de Educação Física Catarina Andrade iniciou recentemente um projecto de actividades físicas para pessoas de todas as idades no Grão-Ducado.

A ideia nasceu quando Catarina veio para o Luxemburgo, há cerca de três meses, e resolveu apresentar ao Centro de Apoio Social e Associativo (CASA, no n°15, Montée de Clausen) um projecto "para trabalhar com a toda comunidade lusófona, porque sabia que aqui não existia nenhum".

"José Trindade demonstrou uma grande abertura em relação ao projecto e acho que as instalações do CASA são boas para o dinamizar".

Quanto às aulas já ministradas, a jovem professora diz que a receptividade das pessoas "tem sido muito boa".

"Todos têm mostrado um grande interesse e assiduidade, apesar de nem todas as aulas estarem ainda abertas. Faltam as aulas para pais e crianças até cinco anos, para que possam acompanhar o crescimento dos seus filhos, e para as crianças dos 6 aos 12 anos. Para adultos e seniores, já abriram", esclarece.

Catarina espera que o número de alunos aumente em todas as faixas etárias porque, como sublinha, "a actividade física é muito importante para que nos sintamos bem, seja em que idade for".

"Melhora a mobilidade, facilita o controlo do peso, da tensão arterial e dos valores da glicemia e diminui o colesterol. Proporciona igualmente um bem-estar psicológico e potencia um aumento da qualidade de vida". Catarina Andrade recorda que, além disso, "fazer exercício físico pode ser, também, bastante divertido".

No CASA vão muito em breve ser iniciadas sessões gratuitas de convívio e aprendizagem sobre temas como a alimentação, exercício físico, entre outros.

Maria Emília (de preto na fotografia) é uma das alunas seniores das aulas ministradas no CASA. Foi das pioneiras a aderir às aulas para seniores e confessa que está "a gostar muito".

"Estas aulas têm sido importantes para mim, porque para além de ocupar o meu tempo livre, passamos aqui uma hora muito agradável. Faço exercícios para o meu bem-estar e também posso conhecer e conviver com outras pessoas", explica.

Estão também confirmadas aulas em Schifflange, Rumelange, Strassen e Ettelbruck, mas ainda sem horários definidos.

Para mais informações, os/as eventuais interessados/as devem contactar Catarina Andrade pelo tel. 621 300 155 (ou por e-mail: goluxemburgo@gmail.com ).

Texto e foto: Á. Cruz

CCPL promove encontro sobre responsabilidade social das empresas e a migração portuguesa no Luxemburgo

No próximo sábado, 29 de Outubro, decorre um encontro que junta empresas de portugueses sediadas no Luxemburgo e companhias luxemburguesas, assim como algumas instituições e autoridades, em torno da discussão “A responsabilidade social das empresas e a migração portuguesa no Luxemburgo”.

O encontro tem lugar no Hotel Parc Belair (avenue du X septembre, n° 111, em Belair), na cidade do Luxemburgo, e começa às 10h.

Trata-se de uma iniciativa da Confederação da Comunidade Portuguesa no Luxemburgo (CCPL) e financiada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros português no âmbito do programa nacional português do Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão Social 2010 - na dimensão “Comunidades Portuguesas”, contando ainda com o apoio científico das universidades de Portugal e do Luxemburgo.

Com esta iniciativa, a CCPL pretende reunir um grupo de trabalho restrito e empreendedor composto por representantes de empresas luso-luxemburgueses, facultando uma discussão relativamente às eventuais medidas e soluções a seguir no combate à pobreza e à exclusão social de modo a reforçar os laços com a sociedade civil local. Este fórum conta com a presença de representantes das autoridades e instituições portuguesas e luxemburguesas que colaboram na apreciação e avaliação do trabalho feito e a realizar neste campo. O objectivo é apresentar as conclusões resultantes deste encontro em Dezembro, no âmbito de uma conferência final.

Luxemburgo: Reunião de informação em português sobre a diabetes, esta quarta-feira

Esta quarta-feira, 27 de Outubro, tem lugar um encontro destinado a doentes diabéticos na Maison du Diabète (143, rue de Mühlenbach) na cidade do Luxemburgo, das 19 às 21h.

O encontro vai ser feito em português e vão ser abordados assuntos relacionados com a diabetes, como a alimentação saudável e a actividade física. A entrada é gratuita.

A diabetes é uma doença crónica que, devidamente tratada, não impede que as pessoas tenham uma vida normal. Mas para isso é fundamental que haja um tratamento eficaz da doença e que o diabético controle a sua glicemia, se alimente bem e realize actividade física regular.

Para mais informações, tel. 621 300 155.

Indonésia: Duas fortes réplicas após o sismo de segunda-feira

Duas réplicas de 6,1 e 6,2 graus na escala aberta de Richter sacudiram esta madrugada a região oeste da Indonésia, depois do terramoto de 7,5 graus ter levado as autoridades a lançar um alerta de tsunami na região por duas horas.

O último sismo teve lugar a 21 km de profundidade, a 205 km a oeste de Bengkulu, na ilha de Sumatra, e a 630 km da sul de Singapura, anunciou o Serviço Geológico dos Estados Unidos que vigia a actividade sísmica em todo o planeta.

O primeiro sismo, de 7,5 graus, abalou segunda-feira cerca das 21h42 (14h42 no Luxemburgo) a região e foi seguido de duas fortes réplicas horas mais tarde.

As autoridades indonésias não lançaram outro alerta de tsunami e não há registos de vítimas ou danos materiais.

Indonésia está localizada no chamado “Anel de Fogo do Pacífico, uma zona de grande actividade sísmica e vulcânica que é sacudida por cerca de 7000 abalos anualmente, a maioria dos quais de fraca potência que passa despercebida à população.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Pobreza no Luxemburgo já atinge 15 % da população

O relatório sobre o trabalho e a coesão social, apresentado na quinta-feira pelo instituto luxemburguês de estatísticas, Statec, não deixa dúvidas: a crise económica e financeira não poupou o Luxemburgo. "A crise está a deixar marcas cuja dimensão total não é ainda conhecida", afirma o director Serge Allegrezza.

O relatório mostra que a taxa de risco de pobreza aumentou de 13,4 % em 2008 para 14,9 % em 2009. Um aumento significativo se tivermos em conta que esta taxa se manteve relativamente estável nos últimos anos.

Em 2009, o limiar de pobreza, ou seja, o rendimento abaixo do qual uma pessoa é considerada como exposta ao risco de pobreza, era de 1.588 euros para um adulto que vivesse sozinho e de 3.335 euros para uma família de dois adultos e dois filhos. O limiar de pobreza corresponde a 60 % do rendimento médio.

Entre 2003 e 2008, a taxa de risco de pobreza manteve-se relativamente estável em torno dos 13 %. Em 2009, a mesma taxa atingiu os 14,9 %.

São principalmente os jovens e as famílias monoparentais os mais atingidos por este fenómeno. A taxa para os indivíduos até aos 17 anos passou de 19,8 % em 2008 para 22,3 %, em 2009. Para o escalão etário dos 18-24 anos, a taxa aumenta ainda mais, subindo dos 15,5 % para os 21,2 %. Quanto às pessoas com mais idade, a taxa manteve-se mais ou menos estável. Por exemplo, para o escalão etário de 65 anos ou mais, a taxa que era de 5,4 %, em 2008, passou para 6 %, em 2009.

Tanto a idade como a situação familiar têm influência no risco de cair na pobreza. Mais de 52 % das famílias monoparentais encontram-se nessa situação. Em 2008, a taxa de risco de pobreza era de 44 %. No caso das famílias com filhos, a taxa aumentou mas mais moderadamente, passando de 17 para 20 %. Para as famílias sem filhos, a pobreza mantém-se nos 9 %.

Um terço dos desempregados são portugueses

Outros factores a ter em conta são a nacionalidade e o grau de instrução.

"Um terço dos inscritos no desemprego (ADEM) são portugueses. A nacionalidade, a imigração e um nível de instrução fraco ou inexistente aumentam o risco de cair na situação de desemprego", explica o ministro do Trabalho e do Emprego, Nicolas Schmit. Pelo contrário, o trabalho evita que se caia na pobreza. Ou seja, a taxa de risco de pobreza é bem menor entre as pessoas que têm emprego – 10 % para os que trabalham e 45 % para os desempregados. O fenómeno dos trabalhadores pobres também está a ganhar terreno, já que 20 % dos trabalhadores manuais arriscam-se a ficar em situação de pobreza, uma taxa que é apenas de 2,5 % para os quadros dirigentes.

O inquérito realizado pelo Statec mostra ainda que há cada vez mais gente com dificuldades de chegar ao fim do mês com dinheiro na conta bancária. De entre as pessoas interrogadas, 23 % confessou sentir sérias dificuldades nesse aspecto, percentagem que era de apenas 19,4 em 2008. Também aqui, os jovens são os mais afectados.

Foto: Shutterstock

Luxemburgo: Mais 16 suicídios em 2009 do que no ano anterior

O Luxemburgo registou 71 suicídios em 2009, mais 16 mortes que no ano anterior mas menos que em 2007. Nesse ano suicidaram-se 90 pessoas, um dos valores mais altos da última década.

Os números foram divulgados na semana passada pelo ministro da Saúde luxemburguês, em resposta a uma questão parlamentar do deputado socialista Ben Scheuer.

Preocupado com o aumento "alarmante" do número de suicídios, de 54 casos em 2005 para 74 em 2006 e 90 em 2007, o deputado instou Mars di Bartolomeo a revelar os dados de 2008 e 2009.

Segundo o ministro, em 2008 morreram de lesões auto-inflingidas ou envenenamento 50 homens e 14 mulheres. No ano passado, terão cometido suicídio 55 homens e 16 mulheres.

Os dados são ainda provisórios, frisa o ministro, mas são calculados com base nas recomendações da Organização Mundial de Saúde. É com base nas indicações da causa de morte (lesões auto-inflingidas e envenamento) que o Statec calcula o número de mortes por suicídio.

De acordo com os dados agora divulgados, os homens entre os 25 e os 39 anos e na casa dos 50 são o maior grupo de risco: em 2008, 30 dos suicidas estavam nestas faixas etárias. Em 2009, 20 suicidas eram do sexo masculino e tinham entre 25 a 39 anos. Nesse ano, o número de suicidas na casa dos 50 baixou para nove, mas aumentou na faixa dos quarenta (de 10 em 2008 para 13 em 2009).

As mulheres registam menos suicídios que os homens: 14 em 2008 (para 50 do sexo masculino) e 16 em 2009 (55 entre os homens). O maior número de casos registou-se na faixa etária dos 40 a 49 anos (quatro em 2008, seis no ano passado).

Foto: Shutterstock

UE/Diplomacia: Francês Pierre Vimont nomeado secretário-geral do serviço diplomático europeu

A alta representante da UE para a Política Externa, Catherine Ashton, anunciou hoje a nomeação do francês Pierre Vimont, atual embaixador de França em Washington, para a chefia do novo serviço diplomático europeu.

Vimont será o secretário-geral executivo do Serviço Europeu de Ação Externa (SEAE), um corpo de cerca de 3700 diplomatas que representará a Europa no mundo.

Ashton anunciou também a nomeação do irlandês David O’Sullivan diretor-geral operacional do SEAE, encarregue da parte administrativa.

“Prometi nomear os mais capazes e os melhores e foi isso que fiz”, afirmou Ashton num comunicado.

Pierre Vimont “beneficia da mais alta consideração da comunidade diplomática e trará muito conhecimento e experiência em matéria de negócios estrangeiros”, afirmou.

Pierre Vimont é diplomata há cerca de 30 anos, tendo estado colocado por duas vezes em Bruxelas, a última das quais entre 1999 e 2002.

David O’Sullivan era até agora diretor-geral do Comércio na Comissão Europeia. O’Sullivan iniciou a sua carreira no Ministério dos Negócios Estrangeiros da Irlanda e integrou depois a Comissão Europeia, onde chegou a ser chefe de gabinete de Romano Prodi.

Catherine Ashton comunicou as suas decisões aos ministros dos Negócios Estrangeiros dos 27, reunidos no Luxemburgo.

A alta representante deve anunciar ainda esta semana a nomeação de dois secretários-gerais adjuntos, em princípio a alemã Helga Schmid e o polaco Maciej Popowski.

Na semana passada, o Parlamento Europeu adoptou as disposições financeiras e o estatuto do pessoal do SEAE, levantando os últimos obstáculos à criação do serviço, que deverá estar operacional a partir de 01 de dezembro, um ano após a entrada em vigor do Tratado de Lisboa.

Em termos orçamentais, o SEAE será tratado como uma instituição europeia, o que permite ao Parlamento Europeu o direito de avaliar o seu orçamento.

Foto: Nicholas Kamm

Tóquio: Sony deixa de vender Walkman de cassete no Japão, 31 anos depois de surpreender o mundo

O gigante da eletrónica japonesa Sony comunicou hoje que deixou de vender no Japão o Walkman de cassete magnética para ouvir música, 31 anos após ter saído o primeiro modelo que revolucionou o mundo.

Qualificado pela Sony de "produto do século", este Walkman funciona com cassetes magnéticas, é fabricado na China e continuará a ser comercializado no estrangeiro, disse um porta-voz do grupo nipónico.

As vendas vão acabar no Japão logo que o "stock" deste modelo terminar.

Em 1 de julho de 1979, a novidade da eletrónica japonesa alterava o dia a dia dos nipónicos, que passaram a utilizar um equipamento com a forma de uma caixa, que era colocado no bolso e cuja música podia ser ouvida através de auscultadores: "O Walkman tinha nascido", realça a Sony.

Este dia de verão, em pleno período "festival" na era da eletrónica nipónica, ficou para sempre gravado na história industrial do país e da Sony.

O grupo informou que vendeu mais de 220 milhões de Walkman, com cassete, em todo o mundo, em três décadas.

Depois do TPS-L2, a referência do primeiro aparelho, a marca Walkman fabricou uma interminável linha de leitores de estéreo para ouvir música.

Os modelos Walkman perduram no tempo com o CD, MD e a memória flash.

Foto: Arquivo LW

UE/Diplomacia: Portugal opõe-se à suspensão de direito de voto nas instituições europeias

O chefe da diplomacia portuguesa opôs-se hoje, no Luxemburgo, à proposta de suspensão do direito de voto nas instituições europeias dos países com grandes desequilíbrios nas suas contas nacionais, mas apoiou o reforço das sanções contra esses estados.

“Portugal, como outros Estados-membros, não aceita que a suspensão de votos seja encarada neste momento como determinante para um acordo sobre todo o processo de revisão do Pacto de Estabilidade e Crescimento (PEC) e o seu reforço”, disse Luís Amado, à entrada de uma reunião dos chefes da diplomacia da União Europeia.

A Alemanha e a França avançaram, na semana passada, com um projetos de revisão dos tratados europeus que prevê, entre outras alterações, a suspensão do direito de voto dos países que permitam grandes desequilíbrios das suas contas públicas.

Para Luís Amado, “há outras opções” que não afetam a soberania dos Estados-membros que já transferiram parte dela no quadro da criação da União Económica e Monetária europeia há mais de uma década.

Os chefes da diplomacia dos 27 estão a preparar as decisões que serão tomadas n quinta e na sexta-feira, numa reunião em Bruxelas dos chefes de Estado e de Governo da UE.

Luís Amado defendeu, por outro lado, o reforço do mecanismo de sanções económicas contra os países com défice orçamentais considerados “excessivos” ou com dividas públicas elevadas.

“A experiência que a União Monetária viveu na última década aconselha a que haja um reforço do mecanismo de sanções”, defendeu o ministro dos Negócios Estrangeiros.

A Comissão Europeia e um grupo de trabalho liderado pelo presidente do Conselho Europeu, Herman van Rompuy, avançaram com propostas no sentido da criação de um sistema em que os países com elevados défices tenham de depositar elevadas somas, podendo perder os juros associados caso não corrijam rapidamente a situação de desequilíbrio das suas contas nacionais.

Luís Amado pretende ainda “clarificações” sobre se é necessário alterar os tratados europeus para que esta proposta entre em vigor.

“Naturalmente não seremos um obstáculo a que isso se verifique, mas precisamos que essa situação seja clarificada”, disse.

Luxemburgo: Pensões vão aumentar a partir de 2011

As pensões vão ser reajustadas ao custo de vida do ano de 2009, decidiu o Governo em Conselho de Ministros na sexta-feira. Devido à política de austeridade que o Executivo de Juncker quer levar a cabo, o aumento das reformas concretizar-se-á em duas fases, nomeadamente no próximo dia 1 de Janeiro e no homólogo mês de 2012.

Nas duas fases, está previsto uma alta de 0,95%, o que corresponde ao aumento médio dos salários em 2008 e 2009 (1,9%).

O custo desta adaptação eleva-se a 58 milhões de euros para os reformados do sector privado e 11,1 milhões de euros para os aposentados da Função Pública.

Foto: Anouk Antony

Ministro das Finanças luxemburguês em missão económica, a partir de hoje na América Latina

A partir de hoje e durante toda a semana, o ministro das Finanças luxemburguês, Luc Frieden, está em missão económica no Chile, Argentina, Uruguai e Brasil.

Uma visita que se inscreve na estratégia do Governo luxemburguês em desenvolver actividades económicas reforçando a sua presença em novos mercados com forte potencial de crescimento.

Luc Frieden faz-se acompanhar nesta viagem por vários representantes de instituições financeiras do país. Nos quatro países, o ministro avistar-se-á com representantes políticos nacionais e presidirá a seminários sobre a praça financeira luxemburguesa, para os quais estão convidados empresários locais.

Foto: Serge Waldbillig

Luxemburgo: Feira de Outono recebeu mais de 46 mil visitantes

A Feira de Outono, que terminou ontem, registou mais de 46.500 entradas nas duas semanas que durou o certame.

Desde 16 de Outubro, o certame, instalado na Luxexpo, no Kirchberg, era dedicado à construção, renovação e decoração do lar, bem como ao design de interiores e ao artesanato. Com cerca de meio milhar de expositores e stands, a feira contou com tudo o que é necessário para quem queira construir, renovar, fazer obras ou simplesmente decorar a casa.

Segundo os responsáveis da feira, até os dias frios que se têm feito sentir nas nossas regiões contribuiram para que os visitantes optassem por "dar um volta" até à feira.

domingo, 24 de outubro de 2010

Luxemburgo: Aulas gratuitas de aeróbica, em Differdange

A Coyote Productions está a organizar um dia de aulas de aeróbica gratuitas em Differdanges.

As sessões de ginástica terão lugar esta segunda-feira, 25 de Outubro, no n°1, avenue de Oberkorn (ao lado da igreja), das 8h às 9h30; das 10h às 11h30; das 14h às 15h30 e das 16h às 17h30.

Podem participar pessoas de todas as idades. A organização vai oferecer bebidas energéticas nesse dia.

Mais informações pelo tel. 691 243 002 ou 26 48 08 93 (Ricardo Pinto).

Dina Freitas representa Luxemburgo na Miss Intercontinental, na República Dominicana

Dina Freitas, de 22 anos, residente em Dudelange, representa o Luxemburgo no concurso de beleza Miss Intercontinental, cuja final tem lugar a 6 de Novembro, em Punta Cana, na República Dominicana.

Mais um nome português vai brilhar sob as luzes da ribalta internacional. Em exclusivo para o CONTACTO, Dina Freitas conta-nos como tudo aconteceu e os preparativos antes da grande partida para as Caraíbas na próxima terça-feira.

"O responsável pela Europa da WBO ( World Beauty Organization, que organiza, entre outros concursos, o "Top Model of the World", n.d.R .) contactou-me em Setembro para representar o Grão-Ducado na Miss Intercontinental. Eu disse-lhe que havia uma 'Miss Luxembourg' eleita. Ele explicou-me que não havendo nenhum director nacional para seleccionar alguém para o concurso da WBO, cabia-lhe a ele seleccionar a candidata. Entre oito candidatas, a escolha recaiu finalmente sobre mim. Foi uma boa surpresa", confia a jovem portuguesa.

"Brevemente serei também luxemburguesa", acrescenta de imediato Dina, que pediu a dupla nacionalidade e a deverá obter em Novembro, segundo nos diz. A jovem nasceu em Avelar, Distrito de Leiria, e veio para o Luxemburgo com um ano de idade.

Apesar de ainda jovem, Dina Freitas não é novata nestas lides das passerelles. Fez as suas primeiras fotografias de moda aos 15 anos. Com o seu 1,77m e com 85-62-94 como medidas, concorreu dois anos depois, em 2005, a Miss Portugal no Luxemburgo, tendo passado ainda pela Miss Benfica em 2006, e vencido em 2009 o "Southend Model Awards", concurso de manequins da Grande Região. Mas em Punta Cana participará no seu primeiro concurso internacional.

"É uma grande responsabilidade, mas vou com os pés bem assentes na terra" diz, acrescentando que a prioridade para já são os estudos. Uma carreira como manequim não está entre os seus projectos a curto prazo.

"Tenho feito fotos de moda e alguns photoshootings com fotógrafos como o Paulo Lobo e o Claude Piscitelli, para revistas e agências. O mais importante são os meus estudos em Psicologia na Universidade de Metz, e como as aulas ainda não começaram, não quis perder esta oportunidade de participar neste concurso tão prestigiado", diz.

Para isso, Dina solicitou ao Ministério da Cultura luxemburguês um subsídio, pelo menos para a ajudar a comprar o bilhete de avião para a República Dominicana, já que, afinal, vai representar o Grão-Ducado. Ainda não obteve resposta.

Para responder aos critérios de participação, Dina teve de encontrar um "fato nacional" e um "fato nacional fantasia", que evocassem ambos o país que representa. Ulrike Degen, do Museu Nacional de História e Arte, auxiliou-a na pesquisa etnográfica, o grupo folclórico "Folklore Grupp Vallée des 7 Chateaux" de Mersch emprestou-lhe o traje tradicional, e Michaela Fritzsche, estilista de Trier, desenhou-lhe o vestido fantasia com as cores do pais e o leão vermelho. O vestido de cocktail também teve que ser Dina a encontrá-lo. E graças à senhora De Michele, da loja "Couture Anne", na capital, honrará o Luxemburgo.

O fato-de-banho com que desfilará numa das passagens obrigatórias é concebido por designers da organização.

E se não receber apoio do Ministério da Cultura luxemburguês, já pensou em levar um vestido de folclore português? perguntamos. "Ah, era giro!", ri-se. E nem havia risco de aparecer a competir com um traje já em concurso, já que Dina é a única portuguesa a participar na prova e Portugal não vai enviar nenhuma representante.

Uma coroa com 720 diamantes

Dina Freitas e outras 69 concorrentes dos quatro cantos do Mundo viajam para a República Dominicana na segunda-feira, 25 de Outubro, onde durante duas semanas vão dar entrevistas, fazer fotos nas paisagens paradisíacas das Caraíbas, e preparar-se para a 39a edição da Miss Intercontinental. Entre outros encontros, a 30 de Outubro, as misses têm uma audiência com o presidente do país, Leonel Fernández.

A coroa da vencedora, baptizada "Holy Water" ("Santa Água") é feita de platina, com 720 diamantes, e o seu valor está avaliado em 361 mil dólares (cerca de 258 mil euros), sendo considerada a coroa mais bela e mais valiosa de todos os concursos de beleza do mundo. A coroa pertence, de momento, à venezuelana Hannelly Quintero.

José Luís Correia
Foto: Claude Piscitelli

Thierry Lippert, chefe da Cooperação Luxemburguesa em Cabo Verde: "Ainda há muito para melhorar em Cabo Verde"

Chegou há dois anos para exercer o cargo de encarregado de Negócios e chefe da Cooperação luxemburguesa em Cabo Verde. Apesar do bom trabalho desenvolvido e das melhorias verificadas no país, Thierry Lippert considera que ainda há muito trabalho para fazer naquele arquipélago.

A cooperação bilateral entre Cabo Verde e o Luxemburgo remonta ao final dos anos 80 e tem-se vindo a intensificar nesta última década, nomeadamente através de um primeiro Plano Indicativo de Cooperação (PIC) estabelecido em 2002.

Um segundo foi assinado por um período de cinco anos (2006 - 2010), no qual se reafirma a intenção de ambas as partes se concentrarem na luta contra a pobreza, dar prioridade aos sectores sociais e ter em conta temáticas transversais (ambiente, boa governança e transferência de saberes) nas diferentes acções conjuntas que têm sido empreendidas.

E é neste campo que Thierry Lippert traçou como linhas prioritárias da sua gestão as áreas da Saúde, Educação, Formação Profissional e sensibilização no domínio dos recursos hídricos.

"Existem ainda muitas lacunas que nós, pequeno Luxemburgo, tentamos ajudar a colmatar em Cabo Verde", esclarece Lippert em entrevista exclusiva ao CONTACTO.

São três pessoas a trabalhar na Embaixada do Luxemburgo em Cabo Verde, encarregados dos vários projectos que têm em mãos. "Um encarrega-se dos trabalhos com os vários municípios, outro dos dossiês da imigração e eu ocupo-me dos projectos bilaterais, como por exemplo o Hospital de Assomada e a Escola de Hotelaria que vai abrir no próximo mês de Novembro, para a formação dos cabo-verdianos na indústria, que tem crescido bastante nos últimos anos", revela o diplomata luxemburguês.

"A vinda da Luxair é uma mais-valia para todos, mas é importante que as pessoas não venham a Cabo Verde apenas para se instalarem nas grandes unidade hoteleiras do Sal e Boa Vista, porque essa não é a realidade do país", sublinha.

"Naturalmente que o turismo desenvolve o país, e disso ninguém tem dúvidas. Mas o dinheiro que os turistas aqui deixam é utilizado pelo Governo para investir na formação e no desenvolvimento do arquipélago, que tem muitas lacunas por colmatar", vinca Lippert.

"Existe ainda muita pobreza e muito por fazer neste país, apesar de se notar uma evolução em todos os sentidos, porque o Governo e os responsáveis pelas autarquias são formados por pessoas sérias e trabalhadoras que querem impulsionar verdadeiramente o país".

Uma das lacunas foi colmatada com a construção do Hospital Regional da Assomada, na ilha de Santiago, inaugurado no ano passado pelo primeiro-ministro Jean-Claude Juncker. "Médicos, professores e enfermeiros foram formados no Brasil, Cuba e Portugal, para poderem responder adequadamente às necessidades", lembra Lippert.

"As acções para o desenvolvimento do Turismo vão ter um investimento de 12 milhões de euros, grande parte destinado à Escola de Hotelaria que será inaugurada em Novembro e cujo pessoal será também formado no Brasil e em Portugal", lembra o diplomata.

"Ainda há muito para fazer em Cabo Verde, mas as pessoas estão empenhadas e tenho a certeza de que o futuro será rinhoso", rematou.

Á. Cruz,
em Cabo Verde
Foto: Inforpress

Luxemburgo: Santa Casa de Misericórdia organiza aulas gratuitas de Francês e Luxemburguês

Na Santa Casa da Misericórdia do Luxemburgo (182, rue de Hamm, na capital) recomeçaram as aulas de francês, que têm lugar às terças-feiras, das 19h30 às 21h00 (informações pelo tel. 621 714 376) e quartas-feiras, das 20h às 21h (tel. 621 162 075). As aulas de luxemburguês decorrem às quartas-feiras, das 20h às 21 (tel. 691 816 464). Também é possível organizar aulas de francês às quintas-feiras, para quem desejar (tel. 621 714 376). Os interessados podem telefonar ou apresentar-se no local das aulas nas horas e dias referidos. As aulas são gratuitas.

Todos os domingos, a Santa Casa da Misericórdia organiza almoços às 12h. Para reservas: contactar Luís Milheirão (tel. 621 412 576) ou José Augusto (tel. 621 192 936).

sábado, 23 de outubro de 2010

Miss Portugal no Luxemburgo: Este ano, os votos fazem-se via Facebook

Num espírito de inovação, o Comité Miss Portugal no Luxemburgo soube aproveitar este ano a onda da última tendência dos jovens e internautas, e abriu uma página oficial na rede social Facebook.

Para a eleição da Miss 2011, cuja final tem lugar a 20 de Novembro, é possível, desde há várias semanas, votar via Facebook nas 12 candidatas em liça, na página oficial do concurso naquela rede social internet.

As candidatas são: Lisandra Marques, Patricia Brandão, Tânia Santos, Adriana Ferreira, Sabrina Semedo, Magda Domingues, Sara Costa, Sara Batalha, Aurélie Silva, Elodie Vieira, Kathleen Ferreira e Andreia Gonçalves.

Para votar é preciso primeiro tornar-se “fã” da página, após o que se pode aceder às fotografias das12 candidatas e assim votar através de um clique no "Gosto" (J'aime), que figura sob cada candidata. Cada usuário pode apenas contribuir com 12 votos. O princípio é simples: o número de "Gosto" adquiridos por cada candidata contará em terço (1/3) dos votos na final, juntamente com a votação do júri e do público presente a 20 de Novembro.

Para mais informações, pode contactar o Comité Miss Portugal-Luxemburgo, pelo tel. 621 383 048 (ou info@missportugal.lu ).

Foto: Paulo Lobo

Luxemburgo: Festa para ajudar Paróquia de Britelo, este domingo em Larochette

O Grupo de Cantares da Região de Basto, sediado em Diekirch, organiza este domingo, 24 de Outubro, uma festa de solidariedade em Larochette.

Às 10h30, será celebrada a missa na Igreja Paroquial de Larochette pelo padre Carlos, pároco de Britelo (Celorico de Basto), já que é essa a paróquia que a associação quer ajudar este ano. O grupo coral vindo de Britelo fará o acompanhamento musical. Segue-se um almoço no centro cultural daquela localidade. A partir das 14h e durante toda a tarde, actua o duo As Duas Irmãs.

Em 2008, o Grupo de Cantares da Região de Basto angariou fundos para ajudar à construção da nova Santa Casa da Misericórdia de Campeã (Vila Real) e em 2009 recolheu dinheiro para comprar equipamentos para a Santa Casa da Misericórdia de Mondim de Basto.

Para mais informações, tel. 621 280 724 (Hélder Freitas ou em www.grupodebasto.lu ).

Pré-selecções vão começar para concurso: "A avó mais bonita do Luxemburgo":

A associação "Coyote Productions", criada no Luxemburgo este ano e que visa a dinamização de projectos inovadores, lançou um concurso que pretende eleger "A avó mais bonita do Luxemburgo".

"Trata-se de um conceito que foi desenvolvido nos Estados Unidos com muito sucesso, chegando mesmo a reunir em seu torno algumas figuras públicas", explica Ricardo Pinto, presidente da Coyote e dinamizador do projecto.

Condições para participar no concurso existem algumas, como o facto das concorrentes terem mais de 50 anos e residirem no Luxemburgo.

Entre Outubro e Dezembro estão previstas várias pré-selecções e eliminatórias de norte a sul do Luxemburgo. A primeira é já a 26 de Outubro, em Pétange; seguem-se a 27 de Outubro, pré-selecções na capital; 28 de Outubro, em Troisvierges; 29 de Outubro, em Diekirch; 30 de Outubro, em Wasserbilig; 31 de Outubro, em Esch/Alzette; 13 de Novembro, na capital (1a eliminatória); e 20 de Novembro, na capital (2a eliminatória). Seguir-se-á a meia-final a 11 de Dezembro e a grande final terá lugar a 18 de Dezembro.

Para mais informações sobre o concurso, contactar Ricardo Pinto, pelo telefs. 691 243 002 / 26 48 08 93, ou Maggy Almeida pelo tel. 691 878 440 (ou no site web: www.wix.com/coyoteproductions/coyoteproductions ).

Luxemburgo: "A Tempestade" de Shakespeare sobe a palco em português e alemão, em Fevereiro de 2011

O novo Centro Cultural Kinneksbond, em Mamer, traz ao Luxemburgo "A Tempestade" de William Shakespeare, em português e alemão, a 17 e 18 de Fevereiro de 2011.

Ainda não abriu mas já promete, e o público português é um dos vão ser privilegiados pelo ainda por estrear Centro Cultural Kinneksbond, em Mamer. O centro – que abre oficialmente ao público no fim-de-semana de 30 e 31 de Outubro –, traz ao Luxemburgo em Fevereiro próximo "A Tempestade", de William Shakespeare, numa co-produção com o Théâtre National du Luxembourg, o Theater Trier e A Companhia de Teatro do Algarve (ACTA), de Faro.

A peça sobe a palco em português e alemão, com legendas nas duas línguas.

Última peça escrita por Shakespeare, "A tempestade" aborda o maquiavelismo e os jogos de poder, onde o trágico alterna com o grotesco, onde a grandeza e a generosidade dos homens se confronta com os abismos da alma humana. Uma história de dor e reconciliação, vingança, opressão, liberdade, o desejo de escapar a um mundo de intrigas e de conspirações oportunistas pela imaginação, a poesia e o amor.

Uma ilha é habitada por Próspero, Duque de Milão, mago de amplos poderes, e a sua filha Miranda, que para lá foram levados à força, num acto de traição política. Próspero tem a seu serviço Caliban, um escravo em terra, homem adulto e disforme, e Ariel, o espírito servil e assexuado que pode metamorfosear-se em ar, água ou fogo. Os poderes mágicos de Próspero e Ariel combinam-se e, depois de criar um naufrágio, Próspero procura levar os habitantes da ilha à insanidade.

Do elenco fazem parte actores luxemburgueses, alemães e portugueses, como Jan Brunhoeber, Luc Feit, Manfred, Paul Hänig, Hans-Peter Leu, Klaus-Michael Nix, Carlos Pereira, Peter Singer, Tânia Silva, Mário Spencer e Luis Vicente, entre outros. A direcção é assegurada por Gerhard Weber e a encenação é de Sylvia Martin.

Assistir a esta obra testamentária de Shakespeare na sala do Kinneksbond, que goza de uma acústica invejável e com um dos únicos fossos de orquestra do país, revelar-se-á, adivinhamos, um verdadeiro momento de puro deleite.

Os bilhetes custam 20 euros e 10 euros para estudantes. Para os detentores do Cartão Kinneksbond há um desconto de 10 %. Para mais informações, contactar o Kinneksbond no n°42, route d’Arlon, em Mamer, pelo tel. 26 395-100. Para reservas é o mesmo número ou para reservas online, o site www.kinneksbond.lu , bem como pelo tel. 47 08 95-1 do Luxembourg Ticket (reservas online: www.luxembourg-ticket.lu ).

José Luís Correia

Luxemburgo: Campeonato de futsal prossegue domingo


No próximo domingo disputa-se a segunda ronda da prova com os seguintes encontros: na zona Norte, em Ettelbruck, Estrela da Amadora - AAPS, All Stars - Nordstadt e Vitinho FC - FC Bettendorf. O encontro pertencente a esta zona entre o ALSS e os Tondelenses disputa-se em Dudelange. Na zona Sul, no complexo desportivo René Hartmann, em Dudelange, União Desportiva Leonina - Platifer AXA Michel Simões, Sporting Esch - Futsal Club Esch, Núcleo Sportinguista - Sporting Etoile du Sud e Lavaredas Action Wear - Benfica de Esch.

Liga BGL: 11a primeira jornada este fim-de-semana


Dez jogos, dez vitórias, é o actual balanço do F91 Dudelange no campeonato. Com uma superioridade incontestável, a equipa de Marc Grosjean caminha a passos largos para o título e ameaça pulverizar todos os recordes da prova.

Este campeonato, para o Dudelange, tem sido tão fácil como saltar à corda.

O triunfo do líder em Grevenmacher, por três golos sem resposta, é a prova inequívoca de que o F91 não tem adversários à altura na competição. Bastaram meia-dúzia de minutos aos "sangue e ouro" para matar o jogo, com três golos de rajada, e o encontro literalmente sentenciado.

Com um domínio avassalador sobre todos os adversários, a questão do título quase já nem se coloca. A única dúvida reside em saber qual a equipa que vai conseguir roubar pontos ao Dudelange. Até lá, venha o próximo cliente, o Etzella.

No extremo inverso encontra-se o Canach, que somou no domingo a sua décima derrota na prova, frente ao Differdange. Um calvário que se prolonga e agudiza para Patrick Maurer e os seus jogadores que revelam a cada domingo as carências de um clube que não está minimamente preparado para disputar o campeonato da elite grã-ducal. No domingo, na deslocação a Niederkorn, mais um jogo em que o promovido vai ter que sofrer...

A Jeunesse d'Esch, onde se destacou o jovem Deidda com um excelente golo, voltou às vitórias frente ao Käerjéng e desloca-se no domingo ao terreno do Racing Luxembourg, que perdeu em Niederkorn por 1-0 e em casa apenas soma uma vitória.

A equipa da capital recebe um adversário em franca recuperação, que se quer aproximar dos lugares europeus a todo o custo. Um jogo capital para ambas as formações.

Depois da derrota caseira frente ao Dudelange, o Grevenmacher desloca-se a Käerjéng para disputar um jogo que promete muita emoção. A equipa de Roland Schaack sofreu duas derrotas consecutivas e arrisca-se a somar mais uma frente ao ataque da equipa do Mosela, sua grande referência esta época.

Após a infeliz derrota caseira frente ao Fola, o Hamm Benfica desloca-se a Wiltz para disputar um jogo a seis pontos. Uma partida de extrema importância para ambas as equipas que se têm exibido aquém das suas possibilidades esta época.

Motivado pela vitória em Ettelbruck, o Hesperange recebe em casa o Pétange, que goleou o Wiltz num encontro que terminou ao minuto 88 devido a quatro expulsões sofridas pela equipa nortista.

Angelo Fiorucci vai tentar um novo sucesso, que não será fácil frente a um adversário que se dá bem a jogar fora.

No sábado disputa-se o encontro entre os dois segundos da tabela: Fola - Differdange.

Um jogo que em o equilíbrio entre ambas as equipas se poderá muito naturalmente reflectir no resultado final.