quinta-feira, 31 de maio de 2012

Augusto Martins vai treinar US Esch

Augusto Martins vai ser o treinador da US Esch na próxima temporada. Depois da passagem pelo RM Hamm Benfica como director desportivo durante a última época, o português volta a assumir o cargo de treinador.

Após ter treinado o Sporting de Steinfort, Augusto Martins vai dirigir a formação de Esch/Alzette, presidida por Pedro Ferreira, que terminou em 3° lugar na série 2 da primeira divisão, e tinha como objectivo principal a subida à Promoção.


Foto: Á. Cruz

US Esch sobe de divisão pela segunda vez

Foto: R. Raminhos
A US Esch, formação treinada por Jaime Senhor, conseguiu alcançar o feito notável de se sagrar campeã em dois anos consecutivos e alcançar duas subidas de divisão no campeonato de reservas. O treinador luso pegou na equipa há duas épocas, na 4a divisão, e garantiu a presença da equipa na 2a divisão já na próxima época. A equipa, que venceu 19 jogos e perdeu apenas um, é constituída em maioria por portugueses, contando ainda com um francês e um jugoslavo.

"O objectivo inicial para este ano, era ir ganhando jogo-a-jogo, mas depois de chegarmos ao primeiro lugar, elevámos a fasquia e as nossas aspirações passaram a ser a subida de divisão e sermos de novo campeões”, explica Jaime, que tenciona permanecer no comando técnico para a próxima época.

"Temos bons jogadores e a estrutura vai manter-se. Apesar de alguns jogadores passarem para a equipa principal, iremos dar o nosso melhor, jogo-a-jogo, na próxima época”, antevê o técnico português.
Os campeões partem agora de férias, tendo o regresso aos treinos agendado para o início de Agosto.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Luxemburgo: Dragõezinhos ficaram em primeiro lugar

O FC Porto venceu a 21ª edição do Torneio de Futebol Internacional "Eurocup", no escalão de sub-11, que teve lugar no domingo e na segunda-feira em Hesperange.

O torneio abrangia ainda os jovens jogadores do escalão de sub-13. Cada escalão contava com 10 equipas e os jogos tinham a duração de 12 minutos.

No domingo, o FC Porto venceu quatro jogos e empatou um: vitórias contra Berchem por 2-0, Hostert por 4-0, Swift2 por 1-0, Itzig por 3-0, empate a zero bolas contra o Swift1, e uma vitória contra o Bettembourg por 2-0.

Na segunda-feira, apareceram os jogos mais complicados, foi o dia das decisões com os jogos a doer, e as finais nos dois escalões.

O FC Porto empatou a 1-1 com o Fortuna Sittard. Em seguida, os azuis e brancos levaram de vencida o Wormeldange por 4-0 e, no último jogo, empataram com o Metz, o que provocou a passagem à final de ambas as equipas.

O FC Porto assistiu depois à esmagadora vitória dos holandeses do Fortuna Sittard, no escalão de sub-13, por 5-0, contra o Grevenmacher.

Na final dos sub-11, o FC Porto liderou o jogo desde o início e não deu qualquer hipótese ao Metz vencendo facilmente, por 2-0, num jogo muito bem disputado, com grandes pormenores técnicos. Destaque-se em especial o desempenho de Rui Pinto e de Rodrigo Valente, autênticos diabos à solta na defensiva dos franceses.

No final, a grande festa dos portistas fez-se com o apoio incondicional da comunidade lusa presente. Os protegidos do treinador Joaquim Pinto demonstraram mais uma vez que os escalões de formação portugueses são dos melhores do mundo. Para o ano, fica já a promessa de mais uma edição deste torneio. Nos dois dias, foi numeroso o público que acorreu ao estádio Alphonse Theis, em Hesperange, para apoiar os pequenos futuros grandes craques e desfrutar do bom tempo que se fez sentir no Grão-Ducado.

Texto: Hugo Reis

Quinzena do cinema português arranca amanhã

A Quinzena do Cinema Português arranca já amanhã no cinema Utopolis, com "A bela e o paparazzo", de António-Pedro Vasconcelos, para ver às 19h. O filme volta a ser exibido a 10 de Junho, às 21h30.

O festival de cinema organizado pelo Instituto Camões e a Embaixada de Portugal no Luxemburgo traz este ano ao Grão-Ducado mais quatro filmes. Dia 1 de Junho, às 21h30, é a vez de "Embargo", de António Ferreira, que se baseia num conto de José Saramago e mereceu uma menção honrosa no Fantasporto em 2010. O filme repete no dia 14 de Junho, às 19h.

Segue-se "A esperança está onde menos se espera", de Joaquim Leitão, exibido dia 4 de Junho, às 19h, e também dia 8, às 21h30.

"Amália", de Carlos Coelho da Silva, sobre a diva do fado, é exibido no dia 5 de Junho, às 21h, e no dia 13, às 19h. Altamente recomendado é o documentário "Ainda há pastores", de Jorge Pelicano, um dos mais conhecidos realizadores de documentários portugueses. O filme é exibido no dia 7, às 21h30, e também dia 12, à mesma hora. São cinco filmes para ver de 31 de Maio a 14 de Junho. E não se esqueça que pode ganhar bilhetes com o CONTACTO (ver caixa nesta página).

Comité Spencer comemorou 10o aniversário

A associação Comité Spencer comemorou 10 anos de existência no Casino de Bonnevoie, no sábado, numa festa que contou com a presença de muitos jovens de origem cabo-verdiana.

O Comité Spencer foi fundado em 2002 após a morte trágica de um jovem cabo-verdiano numa discoteca da cidade do Luxemburgo, vítima de uma rixa juvenil. Um dos objectivos da associação, que adoptou o nome do jovem falecido há 10 anos, Spencer dos Santos, é a luta contra a violência juvenil.

Em 2004, a associação recebeu o prémio "Osons vivre ensemble", atribuído pela Fundação Intercultural às associações luxemburguesas que mais se distinguiram nas iniciativas de integração sociocultural.

Actualmente, o Comité Spencer é composto por cerca de 20 membros activos e inúmeros simpatizantes.

Nestes 10 anos de vida, têm desenvolvido campanhas de sensibilização com e para os jovens, contra a violência, iniciativas que têm sido levadas a cabo junto das escolas e casas de juventude (Maisons de Jeunes). Explicar aos jovens como reagir em caso de conflito é um dos objectivos propostos pelo Comité Spencer.

"Não é a lutar que se resolvem os problemas, mas através do diálogo", afirma Germana Delgado, responsável pelo Comité. O grupo desenvolve também apoio escolar em parceria com alunos no Athenée do Luxemburgo, em Merl. Os alunos mais velhos ajudam os mais novos nos trabalhos de casa.

Ao longo destes anos, o Comité tem tido apoios quer da parte de comunas como Dippach, Niederfeulen e da capital, quer do Ministério da Família.

Outro dos projectos do grupo é a informatização das escolas cabo-verdianas, que abrange várias ilhas do arquipélago. Em Setembro, o Comité vai enviar mais 200 computadores para o país, através do programa E-city. Para Cabo Verde seguem também anualmente materiais escolares, cadeiras de rodas e medicamentos.

A associação pretende tornar-se multicultural e não só estar ligada à comunidade cabo-verdiana do Luxemburgo. Para isso, o grupo apela a todos os interessados que se quiserem tornar membros ou saber mais informações sobre o Comité Spencer, que se dirijam às instalações na galeria Kons, na capital, ou através do seu site ( www.comitespencer.lu ).

Além destes projectos, o último desafio responde a um apelo da polícia e do município de Esch-sur-Alzette, que pediram à associação para interceder junto da comunidade cabo-verdiana residente naquela cidade, visto o acréscimo de violência que tem envolvido jovens daquela comunidade. O grupo e a comuna vão realizar eventos culturais e desportivos para manter os jovens ocupados e longe da violência.
Texto e foto: Ricardo Raminhos

Cursos intensivos de francês para adultos

A Confederação da Comunidade Portuguesa no Luxemburgo (CCPL) organiza a partir de Junho cursos intensivos de francês para adultos na Associação de Pais de Ettelbruck (1, rue Michel Weber), e na Mediateca da CGD, na capital. A inscrição custa 70 euros (preço reduzido para os inscritos na ADEM, no RMG ou no CAI).

Os cursos têm a duração de 52 horas e decorrem entre 4 e 13 de Julho em horário diurno. Inscrições até 1 de Junho, das 10h às 13h, e das 14h às 18h, pelo tel. 26 44 72 412 ou por email (formation@ccpl.lu ).

Luxemburgo: "Há mais idosos portugueses a ficar por cá"

A barreira linguística não é um problema para a Hëllef Doheem.
Cerca de 10 % dos trabalhadores falam português
Há cada vez mais idosos portugueses que, depois de uma vida de trabalho, preferem ficar a gozar a reforma no Grão-Ducado, perto da família. Quem o diz é a Fundação de apoio domiciliário "Hëllef Doheem", que já prepara uma campanha dirigida às famílias lusófonas.

"Há 10 ou 15 anos, muitos portugueses, logo que chegavam à idade da reforma no Luxemburgo, regressavam a Portugal. Mas agora essa tendência começa a mudar. Temos verificado que há mais idosos portugueses que começam a ficar no Luxemburgo e foi por isso que decidimos avançar com uma campanha de sensibilização para esse público", refere a Relações Públicas da fundação, Nathalie Schmit.

A ligação da fundação com a comunidade de língua portuguesa tem-se verificado sobretudo em acções mais "pontuais". Durante as peregrinações de Fátima, em Wiltz, milhares de peregrinos portugueses, cabo-verdianos, brasileiros e de outras nacionalidades recebem os cuidados de enfermeiros e voluntários da Hëllef Doheem. Este ano, mais de sete mil pessoas passaram pelo stand de informações da fundação. O contacto estabelecido com a comunidade lusófona foi um primeiro passo para o que se segue.

"Paralelamente ao trabalho do stand de cuidados aos peregrinos, tivemos outro stand, só com informações sobre os nossos serviços. Passaram por lá mais de sete mil pessoas e o contacto com os portugueses foi bastante caloroso e positivo. Vamos ter agora uma próxima etapa para saber o que é preciso fazer e como podemos adaptar os nossos serviços ao público lusófono", diz Nathalie Schmit.

A Hëllef Doheem conta para já com 350 clientes portugueses (6 % do total), idosos, doentes crónicos ou pessoas dependentes, sendo que a maioria são luxemburgueses (3.800 clientes). Por isso, a fundação quer conhecer os problemas com que se debate a comunidade lusófona, adoptar uma resposta mais eficaz e engrossar o número de clientes.

"Temos apenas uma pequena percentagem de clientes portugueses e queremos contrariar esta tendência. Queremos aceder melhor a essas pessoas e para tal vamos começar uma campanha de sensibilização que vai decorrer de 30 de Maio a 15 de Junho", acrescenta a Relações Públicas.

As informações durante a campanha vão ser prestadas em português. Para isso foram criados uma morada email ( informacoes@shd.lu) e um número de telefone (621 225 880), que vai funcionar de segunda à sexta-feira, das 14h às 20h.

A Hëllef Doheem publica também três brochuras em língua portuguesa. Nelas, encontram-se disponíveis informações sobre os centros de cuidados, serviços de assistência e aconselhamento, actividades de proximidade, serviço telefónico nacional de emergência ("o tele-alarme remoto"), entre outros serviços.

Durante esses 15 dias, a fundação vai poder contabilizar o número de pessoas interessadas e recolher outros dados para ver como adaptar-se às necessidades da comunidade lusófona.
Há 10 ou 15 anos, os portugueses regressavam a Portugal,
depois de chegarem à idade da reforma.
Hoje, a tendência começa a mudar

"Avançar, já está decidido, mas é sempre melhor ter mais dados para saber em que direcção", diz a responsável portuguesa da Hëllef Doheem, Clara dos Santos, que aponta a falta de informação e o "sentimento de culpabilidade" como possíveis razões do pouco número de clientes portugueses.

"O facto de termos ainda poucos clientes portugueses pode ter a ver com a falta de informação sobre a fundação. Por outro lado, notamos também que as famílias se ocupam cada vez mais da pessoa doente e não procuram muito a ajuda. Os portugueses prezam muito a noção da família e eles mesmos tratam dos seus ou pedem a ajuda aos vizinhos. Se vier alguém de fora para ajudar, acham que são incapazes de falar ou receiam o que o profissional de saúde possa falar deles. Há como que um sentimento de culpabilidade quando se trata de recorrer à ajuda. Esperamos compreender e colmatar este problema com a ajuda das pessoas, fazendo-nos chegar as suas questões seja por escrito, seja por telefone, até 15 de Junho", diz Clara dos Santos.

Outra questão apontada como factor de "retracção" aos serviços domiciliários pode prender-se com a questão linguística, mas os responsáveis da fundação garantem que o português vai ser língua de trabalho.

"Quando estamos doentes, a tendência é fazer-nos explicar na nossa língua de origem. Conhecemos melhor os termos e é mais fácil dizer as coisas. Nesse sentido, queremos que as pessoas se exprimam como se sentem melhor, e podem ter a certeza que os vamos entender, porque 10 % dos nossos colaboradores falam português", garante Clara dos Santos.

"Quanto aos centros de cuidados onde não haja profissionais de saúde que falem português, a Hëllef Doheem pode fazer deslocar um trabalhador que fale português para facilitar os trabalhos", acrescenta.

"O nosso lema é 'humano e competente' e posso garantir que o serviço prestado é feito por pessoas formadas e competentes.

Os nossos colaboradores estão lá para ouvir e ajudar os portugueses e dar uma segurança a toda a família. Se a família não tem possibilidade de cuidar, não precisa de se sentir culpada. Há todo um serviço com que pode contar e que oferece não só o que é necessário, o lado competente, mas também algo que marca a diferença, que é a proximidade, o lado humano. É por isso que dizemos que somos uma fundação de pessoas para pessoas", conclui a Relações Públicas Nathalie Schmit.

A Fundação Hëllef Doheem foi fundada em 1999, a partir da fusão de três associações: Hëllef Doheem Krankefleeg, Aide Familiale-Aide Senior e o Foyers Senior. Actualmente conta com 1.750 trabalhadores de 28 nacionalidades (10 % portugueses).

Além da campanha de sensibilização que arranca hoje, a Hëllef Doheem quer garantir nos próximos dois anos um serviço mais aberto à população de língua portuguesa, apostando também em actividades de culinária, viagens, conferências, entre outras actividades. Para encomendar as brochuras em português ou para mais informações sobre a Hëllef Doheem: tel. 621 225 880 (ou email: informacoes@shd.lu ).

Texto: Henrique de Burgo
Fotos: Stëftung Hëllef Doheem

Boinas Verdes em convívio em Schouweiler

Os antigos Boinas Verdes portugueses que vivem no Luxemburgo reuniram-se em convívio no domingo em Schouweiler. Um encontro habitual que remonta a 2007, quando dois antigos camaradas pára-quedistas decidiram reunir em Larochette todos aqueles que compartilharam a famosa boina verde, signo distintivo desta unidade.

Este ano, é já a sexta vez que se reúnem para partilhar recordações e momentos de alegria, mas também para recordar camaradas já desaparecidos. Desta vez, meia centena de Boinas Verdes encontraram-se com os familiares para um almoço e uma tarde de convívio. O mais velho dos presentes começou a formação em 1963 e saiu de Tancos em 1966.

"Nessa época pensava ir para Moçambique e até o esperava. Depois da tropa, podia passar a fronteira e ir para a África do Sul onde queria fazer a minha vida", conta César Leal Pedrosa ao CONTACTO.
"Mas o comandante não quis porque dizia que precisavam de mim. Foi assim que [em vez de emigrar] para a África do Sul vim depois para o Luxemburgo", acrescenta.

Como César, houve outros, e muitos tiveram que participar na guerra colonial, onde viram camaradas morrer. Outros, mais novos, fizeram igualmente o serviço militar no estrangeiro, mas para defender a paz. Como Walter Ribeiro, que entre 2007 e 2011 passou por Timor e pelo Afeganistão.

Durante a manhã, os antigos pára-quedistas participaram numa missa celebrada em luxemburguês e francês na igreja paroquial de Schouweiler. Depois, foram em formação e cantando o hino dos pára-quedistas até ao monumento aos mortos da aldeia, onde colocaram uma coroa de flores.

Neste convívio participaram, também Boinas Verdes vindos do estrangeiro, como o grupo vindo da Suíça, que adiantou ao CONTACTO que também eles organizam um convívio a 18 de Setembro, em Rougemont, naquele país, e no qual vão participar imigrantes do Luxemburgo.

Para inscrições, basta contactar Manuel Martins da Costa (tel. 0041-337 449 473 ou 0041-794 072 541).
Texto e fotos: Carlos de Jesus

Túneis de Frisange e Mondorf fechados

O túnel de Mondorf-les-Bains, na A13, vai estar fechado
ao trânsito entre as 23h30 de quarta e as 3h
de quinta-feira Foto: Nico Muller
Os túneis de Frisange e de Mondof-les-Bains vão estar fechados ao trânsito nos dias 30 e 31 de Maio (hoje e amanhã) devido a obras nas instalações eléctricas dos túneis. Em razão das intervenções que o serviço de "Ponts et Chaussées" vai efectuar, os dois túneis vão estar fechados em ambos os sentidos.

O túnel de Frisange vai estar encerrado hoje (quarta-feira) entre as 20h e as 23h. Na direcção de Schengen, os automobilistas devem sair da auto-estrada na rotunda de Hellange e seguir pela Nacional 13 (N13) e 16 (N16) por Frisange, Aspelt para acederem em seguida à A13 na entrada no 11, de Altwies. Em direcção de Pétange, o desvio é feito pela rotunda por cima do túnel.

O túnel de Mondorf vai estar fechado entre as 23h30 de hoje e as 3h de amanhã. Os automobilistas que sigam no sentido de Schengen devem sair da auto-estrada na saída no11, de Altwies, e seguir pela Nacional 16 (N16) em direcção a Mondorf, para acederem em seguida à A13 pela entrada n°12, de Mondorf.

Em direcção a Pétange, os automobilistas devem sair da auto-estrada na saída n°12, de Mondorf, e seguir pela Nacional 16 por Mondorf, para acederem em seguida à A13 na entrada no 11, de Altwies.
Foto: Nico Muller

Luxemburgo: Subsídios do Estado fazem aumentar preços da habitação

Foto: José Correia
Os subsídios do Estado fizeram aumentar os preços da habitação, diz Luc Frieden. O ministro das Finanças quer reavaliar essas ajudas. As declarações foram feitas no "Luxembourg Business Compass 2012", o barómetro económico semestral do Grão-Ducado organizado em conjunto pelo jornal Luxemburger Wort e pela empresa de auditoria KPMG, que decorreu na Philharmonie, na semana passada.

De acordo com o ministro, os apoios à compra de habitação fizeram aumentar a procura, subida que não foi acompanhada do lado da oferta. Para Luc Frieden, "as ajudas a privados, comunas e empresas tiveram um efeito contraprodutivo". Os preços elevados no sector da habitação, de acordo com o ministro, minam a competitividade do Grão-Ducado.

Fränk Schleck no Skoda Tour de Luxembourg

Foto: Serge Waldbillig
O Skoda Tour de Luxembourg, que arranca hoje com o prólogo e se prolonga até domingo (3 de Junho), vai contar com a participação de 13 ciclistas luxemburgueses.

Ao lado do conceituado Fränk Schleck, vencedor da edição do ano passado, vão participar pela equipa luxemburguesa RadioShack Nissan Trek os corredores Laurent Didier, Jakob Fuglsang, Linus Gerdemann, Andreas Klöden, Maxime Monfort, Gregory Rast e Jens Voigt.

Além destes vão correr também os luxemburgueses Jempy Drucker, Ben Gastauer, Tom Thill, Bob Jungels, Pit Schlechter, Joël Zangerlé, Christian Helming, Kevin Feiereisen, Alex Kirsch, Massimo Morabito e Lex Reichling.

A equipa grã-ducal vai ser comandada por Kim Andersen e Luc Meersman. O belga Johann Bruyneel, director desportivo da RadioShack Nissan Trek, deixou recentemente no ar que ainda não elaborou a composição completa da equipa RadioShack Nissan Trek que vai participar na Volta à França em Bicicleta, estando mesmo em risco a participação dos irmãos Schleck.

BOB JUNGELS VOLTA A BRILHAR


Depois de ter vencido a "Flèche du Sud", há uma semana, o jovem corredor luxemburguês Bob Jungels venceu a clássica Paris-Roubaix, este domingo. Na 46a edição da prestigiada prova, cuja distância foi de 180,7 km, Jungels arrasou a enorme concorrência, tendo cortado a meta à frente do belga Yves Lampaert (da equipa EFC-Omega-Quick Step) e do neo-zelandês Tom Sclully que correu ao serviço da Chipotle-First Solar, respectivamente 2° e 3° classificados na tirada.

Luxemburgo: Francisco da Silva sucede a Luís Barreira na CCILL

Francisco da Silva (esq.) e Luís Barreira (dta) Foto: I. Ferreira
A Câmara de Comércio e Indústria Luso-Luxemburguesa (CCILL) tem nova direcção. Na assembleia geral anual, que teve lugar na semana passada, Francisco da Silva foi eleito como novo presidente da CCILL, juntamente com uma nova equipa, que vai liderar os destinos da organização nos próximos três anos. Membro fundador e único presidente desde a criação do CCILL, Luís Barreira passa agora a presidente honorário, após ter abandonado o cargo.

Além de Francisco da Silva, a nova direcção é composta pelos vice-presidentes Robert Elvinger e Manuel Cunha, e pelos membros Pedro Sousa, Stephane Volvert, Diogo Duarte de Oliveira e Alexandre Bray. O novo grupo de trabalho vai ser ainda assistido por um Conselho de 20 empresários luso-luxemburgueses e pela Câmara de Comércio do Luxemburgo, que é membro efectivo.

Fundada no início de 2003 por iniciativa de empresários luso-luxemburgueses da Câmara de Comércio do Luxemburgo, com o apoio dos Governos do Luxemburgo e de Portugal, o CCILL mantém relações permanentes com as autoridades e empresas dos dois países. A sua actividade tem contribuído para o desenvolvimento das relações comerciais entre Portugal e o Luxemburgo.

Actualmente, o Grão-Ducado está entre os 40 maiores parceiros comerciais de Portugal e tornou-se no sétimo maior investidor estrangeiro em Portugal.

Luxemburgo: 10 de Junho junta CASA e CCPL pela primeira vez

Foto: Michel Brumat
As festividades do 10 de Junho têm, este ano, a particularidade de juntar na organização o Centro de Apoio Social e Associativo (CASA) e a Confederação da Comunidade Portuguesa no Luxemburgo (CCPL). É a primeira vez que acontece esta parceria entre as duas organizações, tradicionalmente de costas voltadas.

Ainda na organização participam a Coordenação do Ensino Português, a Câmara de Comércio e de Indústria Luso-Luxemburguesa (CCILL) e a Confraria dos Financeiros Lusófonos no Luxemburgo (CFLL).

O programa das festividades do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas no Mundo começa na quinta-feira, 7 de Junho, com a inauguração da exposição "De Terra e de Fogo - a arte do azulejo revisitada", de Teresa Ribeiro e Margarida Girão. A exposição é inaugurada na Mediateca da Caixa Geral de Depósitos/CCPL (180, route de Longwy) em Merl, na capital, às 18h30, e vai estar patente até 28 de Julho.

Já no sábado, dia 9 de Junho, o CASA organiza um programa de animação na place Guillaume e na place d'Armes, na capital, das 17h às 1h da manhã. No mesmo dia, às 19h, tem lugar a abertura oficial das festividades. No dia 10 de Junho, domingo, a animação organizada pelo CASA vai continuar, das 10h às 21h. Em ambos os dias e no âmbito do Dia de Portugal, os festejos do 10 de Junho alargam-se até Kockeclscheuer, onde o CASA organiza um concurso de pesca, entre outras animações.

Ainda no âmbito das comemorações do 10 de Junho, a embaixadora de Portugal no Luxemburgo, Maria Rita Ferro, vai colocar uma coroa de flores junto ao busto de Luís de Camões, situado no cruzamento da rue de Bonnevoie com a rue du Puits, na cidade do Luxemburgo. A cerimónia vai ser na segunda-feira, dia 11, pelas 12h, e vai contar com a presença da comunidade portuguesa.

A finalizar as festividades, no dia 14 de Junho, vai decorrer a apresentação do livro bilingue (português/francês) de prosa poética "Como um rio/Comme un fleuve", de São Gonçalves, pelas 18h30, na Mediateca CGD/CCPL, em Merl.

Destaques do CONTACTO de 30 de Maio de 2012



Nesta edição do jornal CONTACTO partimos à descoberta de outras paragens. Cabo Verde está em pleno "boom" turístico, um factor de crescimento na economia do país. O CONTACTO esteve no arquipélago à procura dos melhores locais para passar férias. 
  
As comemorações do 10 de Junho vão juntar pela primeira vez o CASA e a CCPL. Esta é a primeira vez que as duas associações, normalmente de costas voltadas, unem esforços para assinalar o Dia de Portugal. 


No Luxemburgo, só seis por cento dos utentes do apoio domiciliário para idosos e doentes são portugueses. A Fundação Hellef Doheem quer chegar a mais imigrantes lusófonos, e vai lançar uma campanha em português. 


A Quinzena do Cinema Português arranca amanhã no Luxemburgo. Para ver há cinco filmes no maior cinema do país. A abrir, na quinta-feira, estreia "A Bela e o Paparazzo", de António-Pedro Vasconcellos. 


Estas e outras notícias para ler nesta edição do CONTACTO, o primeiro jornal em português no Luxemburgo. 
______________




Ainda não recebe o jornal CONTACTO em casa?

Se ainda não é assinante, passe a receber o jornal todas as semanas gratuitamente na sua caixa do correio, ligando para o 49 93 96 79, ou peça-o no portal de assinaturas do jornal.

Ao tornar-se assinante do CONTACTO, passa a receber também, de forma automática e gratuita, a edição portuguesa do Point24, que sai à sexta-feira. 

terça-feira, 29 de maio de 2012

Futebol/Euro2012: Polvo Paulo prevê derrota de Portugal com a Alemanha nos descontos

O polvo Paulo previu, hoje de manhã, a derrota de Portugal nos minutos finais do primeiro jogo da selecção portuguesa de futebol no Euro2012, contra a Alemanha, a 9 de Junho em Lviv, na Ucrânia.

O polvo Paulo, que habita num aquário do Sea Life Porto no âmbito da exposição temporária Polvomania!, patente até ao final de 2012, dispunha de dois minutos para escolher entre duas caixas, uma com a bandeira de Portugal, outra com a bandeira da Alemanha, para se alimentar, sendo que a escolhida indicaria a equipa vencedora.

Embora, inicialmente, se apontasse para o empate, já que a criatura marinha demorou a entrar em qualquer uma das caixas, Paulo, que dizem “primo do polvo Paul”, que ficou conhecido no Mundial de 2010, na Alemanha, por adivinhar todos os resultados da selecção alemã e da final entre a Espanha e a Holanda, acabou por apontar a vitória dos germânicos.

O director-geral do Sea Life Porto, Rui Ferreira, afirmou que, dada a maneira como foi feita a previsão, "vai ser um jogo muito renhido" e, por isso, "só no final o resultado vai ser desvendado". "Ele [polvo Paulo] hesitou bastante, as equipas estão equilibradas, mas o resultado final está para a Alemanha", sustentou. Rui Ferreira explicou que o polvo Paulo "foi treinado" com os tratadores do Sea Life e, tendo chegado "jovem" ao Porto, foi "habituado a alimentar-se com produtos da costa portuguesa, a entrar em frascos e, mais tarde, habituado a abrir as tampas para se poder alimentar".

Os polvos são dos seres marinhos mais hábeis, com capacidade para tarefas complexas, como resolver labirintos, desarrolhar tampas de frascos e distinguir padrões e formas, pelo que, disse Rui Ferreira aos jornalistas, o objectivo é "fazer uma brincadeira e dar a conhecer as fantásticas habilidades que os polvos têm". "Além do mais, há pessoas que acreditam, há pessoas que não, mas não podemos negar que o Paul, na Alemanha [em 2010], adivinhou oito jogos consecutivos", frisou.

Caso o polvo Paulo possua o mesmo "dom" de Paul e assim a previsão se revele correcta, Rui Ferreira garante que a criatura fará também a previsão de "jogos futuros".

LUSA

domingo, 27 de maio de 2012

Fim do regime e descolonização da Guiné chegam ao Mudam

Foto: Lusa
O Museu de Arte Modera do Luxemburgo (Mudam) vai acolher uma exposição da artista portuguesa Filipa César sobre o fim do regime de Salazar e a descolonização na Guiné-Bissau.

O núcleo da exposição é composto por três documentários: Porto, Le Passeur e The Embassy , que têm como ponto de partida documentos da época e entrevistas a activistas dos tempos de então.

Um fac-símile do livro de Aimé Césaire, Discurso sobre o colonialismo, proibido antes de 1974, e cartazes sobre o tema vão complementar a exposição, que decorre entre 2 de Junho e 23 de Setembro deste ano.

Paralelamente à exposição, o Mudam organiza um workshop sobre o processo criativo e as obras de Filipa César. Mais informações no site do museu. www.mudam.lu 

Garbage actuam na Rockhal e com novo disco

Foto: Garbage
Os Garbage vão voltar ao Luxemburgo no próximo mês de Junho, 16 anos depois do primeiro concerto. Na bagagem vão trazer o primeiro álbum em sete anos.

Os norte-americanos estiveram no Luxemburgo pela primeira vez há 16 anos e no dia 27 de Junho regressam para actuar na Rockhal. Com 17 anos de carreira, a banda tocou em mais de 35 países e vendeu 14 milhões de álbuns em todo o mundo. O mais recente trabalho, Not Your Kind Of People , lançado a 14 de Maio, conta com onze canções "oficiais" e outras quatro faixas extra. Shirley Manson, a miúda do rock alternativo dos anos 90, e a sua banda, marcam assim o regresso aos discos, sete anos depois de Bleed Like Me (2005). Os Garbage contam ainda com Steve Marker (guitarra, teclados), Duke Erikson (guitarra, teclados) e Butch Vig (bateria, loops). www.rockhal.lu

sábado, 26 de maio de 2012

Quinzena do cinema português arranca quinta

A Quinzena do Cinema Português arranca na quinta-feira no Utopolis, e o POINT24 oferece-lhe 20 bilhetes. São cinco filmes para ver de 31 de Maio a 14 de Junho.
A Quinzena do Cinema Português arranca já na quinta-feira no cinema Utopolis, com "A bela e o paparazzo", de António-Pedro Vasconcelos, para ver às 19h. O filme volta a ser exibido a 10 de Junho, às 21h30.

O festival de cinema organizado pelo Instituto Camões e a Embaixada de Portugal no Luxemburgo traz este ano ao Grão-Ducado mais quatro filmes. Dia 1 de Junho, às 21h30, é a vez de "Embargo", de António Ferreira, que se baseia num conto de José Saramago e mereceu uma menção honrosa no Fantasporto em 2010. O filme repete dia 14 de Junho, às 19h.

Segue-se "A esperança está onde menos se espera", de Joaquim Leitão, exibido dia 4 de Junho, às 19h, e também dia 8, às 21h30.
"Amália", de Carlos Coelho da Silva, sobre a diva do fado, é exibido no dia 5 de Junho, às 21h, e no dia 13, às 19h.

Altamente recomendado é o documentário "Ainda há pastores", de Jorge Pelicano, um dos mais conhecidos realizadores de documentários portugueses. O filme é exibido no dia 7 de Junho, às 21h30, e também a 12, à mesma hora.
São cinco filmes para ver de 31 de Maio a 14 de Junho. E não se esqueça que pode ganhar vinte bilhetes com o POINT24 (ver caixa nesta página).
   

Desemprego volta a subir no Luxemburgo

Foto: Guerry Huberty
O desemprego voltou a subir no Luxemburgo em Abril e atinge agora os 6,1 %. Um aumento de 11,9 % em relação ao mesmo período do ano passado.

Em Março o desemprego tinha batido à porta de 6 % da população activa no Luxemburgo. Um mês depois, em Abril, o número de desempregados chegou aos 6,1 %.

Na ADEM, em Abril, estavam inscritas 14.496 pessoas à procura de trabalho, o que representa um aumento de 11,9 % em relação ao mesmo mês do ano passado.

O número de desempregados que recebe subsídio de desemprego é agora de 6.320 pessoas, também mais 7,8 % do que no ano passado. Segundo os números da ADEM, em Abril, o Estado apoiou 4.539 pessoas com algumas das medidas postas à disposição pelo Governo para a reinserção dos trabalhadores.

sexta-feira, 25 de maio de 2012

F91 Dudelange e Jeunesse na final da taça, amanhã

Foto: Fernand Konnen
A Jeunesse d'Esch e o campeão Dudelange disputam a final da taça do Luxemburgo em futebol, amanhã, a partir das 17h, no estádio Josy Barthel, na capital.

Os "alvinegros", segundos no campeonato, querem ganhar o troféu e impedir a equipa de Didier Philippe de fazer a "dobradinha".O estádio Josy Barthel vai acolher a segunda final do historial entre os dois clubes. O primeiro confronto entre as duas formações foi na época 2005/2006, jogo que o Dudelange ganhou por 3-2, depois de ter estado a perder por 0-2 ao intervalo.

Para chegar à final, a Jeunesse deixou pelo caminho Sandweiler, Hostert, Etzella e Differdange, enquanto o F91 eliminou Lintgen, Hamm Benfica, Kayl/Tétange e Fola. O favoritismo quanto ao vencedor está repartido em 50 % para cada equipa, embora para a Jeunesse este jogo seja o mais importante da época, pois em caso de vitória terminará com chave de ouro. O Grão-Duque Henri vai estar presente no encontro, para o qual são esperados alguns milhares de espectadores.

Turma bilingue de Portugal visita escolas em Cabo Verde

Foto: Tom Wagner
A turma bilingue do Ensino Básico do Vale da Amoreira (Portugal) é esperada em Cabo Verde neste domingo para uma visita de uma semana, no âmbito do projecto Conxe Cauberdi (Conhecer Cabo Verde). O objectivo da deslocação é a interacção com alunos cabo-verdianos da mesma idade e o conhecimento de outras culturas e realidades. A turma faz parte do projecto de educação "Bilinguismo" (cabo-verdiano/português), financiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, e é apontado como um exemplo de boas práticas de integração de comunidades migrantes pela Comissão Europeia. Ao todo, 20 alunos, dos quais metade é de origem cabo-verdiana e a outra metade de origem portuguesa, vão visitar escolas, a Cidade Velha, Tarrafal, e encontrar-se ainda com membros do Governo.

Austrália é cada vez mais destino para portugueses

Foto: Á. Cruz
A comunidade portuguesa na Austrália, estimada em mais de 50 mil pessoas, tem crescido nos últimos tempos apesar da distância de Portugal e da política de vistos que dificulta a emigração para aquele país. "A comunidade tem crescido. Há cerca de dois anos parou um bocadinho, mas agora já está outra vez a começar a imigração [de portugueses]. Notamos que têm vindo muitos jovens e casais com filhos. Vêm com vistos de turista ou por dois anos e depois vão tentando renovar", disse à agência Lusa Ana Maria Pereira, representante da Austrália no Conselho das Comunidades Portuguesas.
Os números do consulado geral de Portugal em Sidney, maior cidade da Austrália, apontam para a existência de cerca de 50 mil portugueses registados, mas fontes da comunidade garantem que são entre 80 e 90 mil os emigrantes que fixaram residência na Austrália.

Miguel Relvas diz que foi ele quem se sentiu pressionado

O ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, afirmou ontem que foi ele quem se sentiu pressionado pelo jornal Público, no caso das 'secretas', negando ter feito qualquer tipo de ameaça a jornalistas.

O Público desmente-o e reitera a acusação. "Senti-me pressionado", disse o ministro após a audição na Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC) sobre o caso em que Relvas é acusado de ter feito ameaças a uma jornalista na sequência de perguntas sobre supostas contradições na comissão parlamentar de inquérito sobre as 'secretas'. "Porque é que me foi dado 32 minutos para responder a uma pergunta a meio da tarde, num caso que já não tinha actualidade, que já tinha sido na véspera abordado no Parlamento?", questionou Relvas. "Foi nessa base que me insurgi com a editora de política do Público e com a directora" do jornal, acrescentou. Assumindo-se "de consciência tranquila", Relvas garantiu que na audição de ontem na ERC "todas as questões foram respondidas" e reiterou: "Não houve da minha parte qualquer pressão. Não houve ameaças". "Não falei com a jornalista em causa, nem tenho conhecimento da vida pessoal dela", garantiu. Relvas desmentiu ainda a acusação do conselho de redacção do Público de que ameaçou promover um backout do Executivo daquele jornal.

Ouvida também pela ERC, a directora do Público, Bárbara Reis, reiterou que Relvas pressionou o jornal. “Que ninguém tenha dúvidas sobre o que se passou: houve pressão e nós não cedemos à pressão. Nunca nos deixámos intimidar em 22 anos”, disse.

All American Music Festival na capital, este fim-de-semana


O Luxembourg City Tourist Office (serviço de turismo da cidade do Luxemburgo) organiza mais uma edição do "All American Music Festival". Durante quatro dias, a capital acolhe talentos musicais dos Estados Unidos. Quinze concertos, com um total de 50 músicos, vão passar pelo grande palco ao ar livre da praça Guillaume. Os estilos musicais vão do blues ao zydec o, cajun , country, river boat shuffle , dixieland , jazz e gospel. Entre os destaques deste ano incluem-se apresentações de Anastasia René (na foto), Catherine Russell and Band e Roomful of Blues. O festival foi organizado pela primeira vez em 2006, sob o nome New Orleans Meets Luxembourg , como resposta de solidariedade aos músicos de Nova Orleães afectados pelo furacão Katrina. Em 2011, o festival expandiu o seu repertório musical e passou a chamar-se All American Music . www.allamerican.lu

Luxemburgo: Comboios a meio-gás no fim-de-semana

Foto: Serge Waldebillig
Os Caminhos de Ferro Luxemburgueses vão aproveitar o fim-de-semana prolongado para fazer obras na rede ferroviária, o que poderá perturbar a circulação dos comboios em alguns pontos do país.

De domingo a segunda-feira, a linha entre a cidade do Luxemburgo e Dommeldange vai estar fechada à circulação, sendo os comboios substituídos por autocarros. Os autocarros partem à mesma hora dos comboios substituídos, com saída do cais 12 da Gare, na capital. Os CFL prevêem possíveis atrasos de cinco a dez minutos.

Na linha Luxemburgo-Oetrange, os comboios também vão sofrer um desvio por Alzingen-Syren no domingo e na segunda-feira, com a supressão das paragens de Cents-Hamm e de Sandweiler-Contern.

Finalmente, a linha que liga a capital a Bettembourg vai estar fechada à circulação já a partir de sábado e até segunda-feira.

Em alternativa, os CFL propõem autocarros com saída do cais 13 (direcção Berchem) e dos cais 16 e 21 (sentido Bettembourg). A partida faz-se pouco depois do horário normal dos comboios.

Mais informações no site dos CFL ( www.cfl.lu ) e pelos telefones 24892489 ou 24652465.

Luxemburgo: Cancro da mama discutido no CASA

Foto: Shutterstock
O Centro de Apoio Social e Associativo (CASA) organiza no próximo domingo, a partir das 15h, a III conferência "A Mulher e o Cancro". O objectivo é informar as mulheres lusófonas sobre o cancro da mama, que continua a ser o cancro mais mortífero entre as mulheres. No Grão-Ducado, todos os dias é diagnosticada uma mulher com esta doença.

A conferência é nas instalações do CASA (15, montée de Clausen, na capital), no próximo domingo, a partir das 15h.

Paulo Gomes acredita que o Oberkorn pode bater o Bissen


O CS Oberkorn e o Bissen disputam hoje o jogo de barragem de acesso ou permanência na Promoção de Honra, a partir das 19h30 em Mamer. Paulo Gomes, treinador do Oberkorn, já conheceu o sucesso neste tipo de jogos de "vida ou morte", no ano passado, quando ao serviço do Mülhenbach bateu o Steinfort e garantiu a subida. Amanhã, frente ao Bissen, Gomes mostra-se "confiante" nas capacidades da sua equipa, mas adianta que "numa final, tudo pode acontecer. Tenho informações sobre o adversário, mas por vezes isso vale pouco", reforça. "A motivação das equipas, e neste caso dos jogadores, individualmente, é um argumento que pode pesar definitivamente no resultado", diz o técnico luso. "Estou optimista quanto ao resultado, e espero que toda a gente reconheça a importância do encontro de amanhã e dê tudo para alcançar a vitória que seria um bom prémio por todos os problemas que o clube tem passado", remata.
O encontro Diekirch - Steinfort realizou-se ontem, tendo a equipa do norte batido o Steinfort por 4 - 2 nas grandes penalidades, após o empate a 2 registado no prolongamento.

"A dependência da energia é uma dependência política"

O abastecimento da energia é uma questão política e não só ambiental, diz Maria da Graça Carvalho, antiga ministra dos governos de Durão Barroso e de Santana Lopes. A eurodeputada pelo Partido Popular Europeu (PPE) deu ontem uma palestra sobre "Energia, um bem de todos e para todos", no Instituto Camões, na capital.

"A questão da segurança do abastecimento é importante: há países da União Europeia que dependem apenas de um país fornecedor", alerta Maria da Graça Carvalho perante uma plateia maioritariamente composta por alunos do Ensino de Português no Grão-Ducado.

A eurodeputada referia-se ao incidente político entre a Rússia e a Ucrânia: "Em 2005, a UE foi forçada a olhar para a energia como factor de luta política. A Rússia cortou o abastecimento de gás natural à Ucrânia".

"A UE apercebeu-se que tinha de haver uma estratégia comum sobre a energia. A Ucrânia não conseguiu nada sozinha. Foi a solidariedade dos países, o falar em comum, que resolveu o problema". A eurodeputada alerta, por isso, para a importância da autonomia energética dos países e para a necessidade de se recorrer cada vez mais "às energias renováveis e mais limpas". "Todos os dias estamos a transferir riqueza para outras partes do globo, para os países produtores de petróleo. Também do ponto de vista económico a autonomia energética é essencial", conclui a eurodeputada. Maria da Graça Rodrigues é investigadora na área das energias e professora catedrática no Instituto Superior Técnico.
A eurodeputada veio a convite da Coordenação de Ensino de Português no Luxemburgo.
Texto e foto: I. Ferreira

Comércio de armas: Amnistia Internacional apela ao Governo luxemburguês

Foto: Shutterstock
Dois meses antes do início das negociações do tratado de comércio internacional de armas, a secção do Luxemburgo da Amnistia Internacional faz um apelo ao Governo luxemburguês para que negoceie "um tratado forte em matéria de direitos humanos".

A ONG apela igualmente às instituições financeiras sediadas no Luxemburgo para que redobrem os esforços de fiscalização, a fim de evitar os investimentos destinados ao comércio e produção de armas. E lança uma petição que pode ser assinada pela população luxemburguesa.
"Todos os anos, mais de 740 mil pessoas morrem na sequência da utilização de armas de fogo, o que equivale a uma pessoa por minuto", alerta a Amnistia Internacional.

Segundo a organização, os Estados Unidos, a Alemanha, o Reino Unido, a China e a França são responsáveis por 74 % das exportações de armas no mundo.
O tratado sobre o comércio de armas poderá vir a ser adoptado em Julho, quando se realizar a assembleia-geral das Nações Unidas, em Nova Iorque.

Luxemburgo: Câmara de Deputados mostra cartão amarelo à Comissão Europeia

Foto: Marc Wilwert
Pela primeira vez desde a entrada em vigor do Tratado de Lisboa, os deputados luxemburgueses accionaram o mecanismo que obriga a Comissão Europeia a reexaminar um projecto legislativo.

A Comissão pretende regular o exercício dos direitos fundamentais no mercado interno, mas os deputados acham que o projecto legislativo não respeita o princípio da subsidiariedade (que diz que os Estados-membros estão em melhor posição para legislar sobre esta matéria). No seu parecer fundamentado, aprovado por unanimidade a 15 de Maio, a Câmara de Deputados questiona a transferência de competências para a União Europeia em questões relacionadas com a liberdade de estabelecimento e a livre prestação de serviços. Os deputados, que acompanham de perto as questões europeias, sustentam ainda que o direito à greve e o direito de associação não devem estar sob a jurisdição europeia, mas sim dos Estados-membros.

Festival Celta invade o Grund

Foto: Nicole Godziewski
Os amantes da cultura celta têm encontro marcado hoje, entre as 16h e as 3h da manhã, no Grund, na capital. Esperam-se danças folclóricas, animação musical e gastronomia. O 8o Festival Anual Celta da cidade do Luxemburgo continua amanhã, no mesmo local, com um torneio celta, a partir do meio-dia.
www.bzh-lu.com

Luxemburgo: Suspeito de tentativa de violação detido em Nancy

O suspeito de uma tentativa de violação em Dudelange, em Março, foi agora detido em Nancy.
Um homem de 36 anos, suspeito de tentativa de violação no Luxemburgo, foi agora detido em Nancy, dois meses depois do ataque, avança o jornal L'Est Républicain na edição de ontem.

O caso remonta a 7 de Março. Eram 13h30 quando uma mulher de 45 anos foi atacada por um homem enquanto fazia jogging na floresta de Ginzebierg, em Dudelange. O agressor tinha um capuz a cobrir-lhe a cara e uma faca. A vítima conseguiu escapar, e memorizou a matrícula de uma carrinha estacionada nas imediações.
Alertada, a Polícia luxemburguesa iniciou a caça ao homem, recorrendo mesmo a um helicóptero, mas sem resultado.

O suspeito foi detido em Nancy a 15 de Maio graças a uma carta rogatória enviada pelas autoridades luxemburguesas à Polícia francesa. No interior do veículo, que pertence a uma empresa de transportes registada entre Pont-à-Mousson e Nancy, a Polícia francesa encontrou o capuz e a faca descritas pela vítima, além de algemas. O homem é aliás conhecido da Polícia francesa, tendo já sido condenado por agressão sexual.
O suspeito acabou por confessar o crime, avança o jornal francês, e aguarda agora a extradição para o Luxemburgo no centro de detenção de Nancy-Maxéville.

Greve em Portugal afecta voos no Luxemburgo

Foto: José Correia
A greve era em Portugal, mas os efeitos fizeram-se sentir no Luxemburgo. Centenas de pessoas foram ontem afectadas pela greve dos controladores aéreos portugueses.
Os trabalhadores da Navegação Aérea de Portugal (NAV) iniciaram ontem nova greve, afectando centenas de voos, incluindo com destino ao Luxemburgo. A TAP foi ontem obrigada a cancelar dois voos, e outros dois sofreram atrasos de várias horas. Segundo o site da companhia aérea portuguesa, foram cancelados os voos 676 Porto-Luxemburgo, agendado para as 14h45, e o voo 679 Luxemburgo-Porto, com partida às 18h45. Os voos 686 e 683 sofreram atrasos de várias horas.
O único voo da Luxair agendado para ontem não deveria ser afectado pela greve, por ser fora dos períodos de paralisação, disse a este jornal o departamento de comunicação da companhia aérea luxemburguesa.
Os controladores aéreos, que agendaram para este mês cinco dias de greve, voltam a fazer greve esta sexta-feira, sempre nos mesmos três períodos diários: entre as 7h e as 9h, as 14h e as 16h e as 21h e as 23h.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Aplicação de jovem português é um sucesso na Appstore

Foto: Anouk Antony
Chama-se Tiago Sousa, tem 18 anos, chegou ao Luxemburgo em 2006, e é o designer da 9GAG Mobile, uma aplicação interactiva gratuita de conteúdo humorístico disponível na Appstore e que está perto de atingir meio milhão de downloads.

"A aplicação já estava feita", conta o estudante português do Lycée Technique du Centre. "Fiz o download e, apesar de a aplicação ser interessante, em termos de conteúdo, achei o design horrível. Contactei o web developper da aplicação, Ömer Karism, e ofereci-me para ajudá-lo", resume assim o Tiago a forma como se envolveu no design de 9GAG Mobile.

Ömer Kanisman é turco mas a distância não os impede de trabalharem em conjunto: "Discutimos ideias e apresentamos propostas por email, pela internet", conta Tiago com um ligeiro sorriso.
"A aplicação é para iPhone, iPad e iPod, bem como para iOS. Em breve, contamos ter uma versão da aplicação para Android", explica o português de 18 anos. A 9GAG Mobile tem textos e imagens humorísticos que podem "ser partilhados e comentados nas redes sociais, enviadas por email", entre outras opções.

A dupla turco-portuguesa tem alguns projectos na manga. Para além de alargar a aplicação para Android, o 9GAG Mobile vai dispor, por altura do Verão, "de um tema mais claro e também do tema Verso, um trabalho meu com bastante sucesso", partilha Tiago Sousa, acrescentando que outro dos objectivos é criar uma versão vídeo da aplicação, "também gratuita".

"A aplicação tem tido muito sucesso", conta Tiago, que já chegou a receber "mensagens de pessoas pelo Twitter a dizer que gostam muito da aplicação" e que se mostram "surpreendidas por ser alguém do Luxemburgo" que está por detrás da aplicação.
Tiago Sousa foi recentemente "convidado para trabalhar como designer no Instituto Pedro Nunes, em Coimbra.
Texto: I.F.

Flibco faz promoções para Portugal

Para assinalar o primeiro aniversário da linha de autocarros Portugal-Luxemburgo, a Flibco.com oferece promoções durante o mês de Junho.

Durante todo o mês, a empresa de autocarros luxemburguesa oferece um pacote de aniversário a todos os passageiros com destino a Portugal. Os clientes vão poder utilizar gratuitamente o sistema de entretenimento multimédia para ouvir música, ver filmes ou utilizar a internet. Além disso, cada cliente recebe um "Good Night Kit", com almofada insuflável, máscara para os olhos, tampões para os ouvidos e toalhete refrescante. Os passageiros vão poder também servir-se gratuitamente das bebidas sem álcool disponíveis no mini-bar.

Durante o mês de Junho, os lugares da categoria Premium, mais confortáveis, vão ter um desconto de 50 %, passando o suplemento a custar apenas 17,50 euros.
A empresa Flibco.com inaugurou a 14 de Junho do ano passado uma linha de autocarros "low-cost" para Portugal, o primeiro trajecto de longa distância daquela empresa de transportes luxemburguesa, que já servia os aeroportos de Charleroi e Frankfurt-Hahn.

A empresa tem partidas do Luxemburgo duas vezes por semana para 28 destinos em Portugal, a partir de 55 euros (ida simples).
Mais informações no site da empresa ( www.flibco.com ), pelo telefone 900 75 700 ou nas agências de viagem Sales Lentz.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

"Contos que ganham forma" no Instituto Camões

Foto: Laurent Blum
Diana Amaral tem patente ao público, no Instituto Camões, uma exposição de ilustrações de alguns excertos dos livros infantis de Sophia de Melo Breyner e de Luísa Ducla Soares.

A jovem designer gráfica portuguesa está no Luxemburgo há três anos, depois de ter concluído uma licenciatura em Design Multimédia na Universidade da Beira Interior.

"A ilustração para mim é uma paixão. Eu comecei por fazer pintura a óleo, mas durante o curso na Universidade descobri a paixão pela ilustração. As ilustrações quando ligadas a um texto já nos dão muito e se deixarmos a imaginação ser livre, então ainda ganharemos mais desse contacto", diz Diana Amaral ao CONTACTO.

E continua: "Ilustrar é sempre difícil, mas neste caso, quando trabalhamos para crianças, ainda é mais difícil, porque não temos na nossa cabeça a cabeça das crianças. Os textos da Sophia são muito poéticos, mágicos, uma magia que eu me lembro de sentir desde que era criança e é esse lado mágico que eu tento transmitir nas minhas ilustrações".

Através da caneta digital de Diana Amaral, a Fada Oriana e a Menina do Mar, de Sophia de Mello Breyner, e a Princesa da Chuva e a Menina Verde, de Luísa Ducla Soares, ganham formas e rostos. "A minha ilustração favorita é a 'Rita que precisa de uns óculos', porque eu também preciso de óculos e sei o que é ser míope. Sem óculos não vejo um palmo à frente do nariz. Acho que a ilustração está simples. Tem uma expressão que nos leva a imaginar o que nós quisermos....", diz a autora.

A inauguração da exposição contou com a presença da nova embaixadora de Portugal no Luxemburgo, que na ocasião felicitou Diana Amaral pelo seu trabalho.

Luxemburgo: Jéssica Delgado vence Vozes da Diáspora e vai à final de Paris

Foto: Benji Santos
Jéssica Delgado é a vencedora da 4a edição do Festival Revelação de Vozes da Diáspora, que decorreu no sábado, no Centro Cultural de Bonnevoie, na capital. O festival tem lugar uma vez por ano, mas foi só nesta quarta edição que a comunidade cabo-verdiana no Luxemburgo decidiu participar.

"Estou muito contente com a vitória, mas também ansiosa pela próxima etapa. Prometo dar o melhor para vencer agora em Paris e trazer o festival para o Luxemburgo”, confiou a vencedora do concurso ao CONTACTO.

Entre as nove candidatas, que tinham entre 14 e 19 anos, o júri escolheu Jéssica Delgado, que vai representar os cabo-verdianos do Luxemburgo na final de Paris, em Julho, e tentar apurar-se para a finalíssima de Cabo Verde. "Uma boa escolha. Todas estiveram muito bem, mas foi a Jéssica quem fez toda a gente dançar”, “Ela tem a música na pele, tem muito à-vontade no palco e canta muito bem”, "Vai representar-nos muito bem”, foram alguns dos comentários recolhidos na plateia pelo CONTACTO.

"O objectivo principal deste festival é promover a música cabo-verdiana e reforçar as relações de amizade e solidariedade entre cabo-verdianos de diferentes países da diáspora", disse João da Luz, porta-voz da Associação de Pais de Alunos de Origem Cabo-Verdiana (APADOC).

"Organizar este tipo de concursos é uma grande responsabilidade, mas decidimos abraçar este desafio porque pensamos que é importante participar", acrescentou João da Luz, para quem o sucesso do evento deve-se "não só ao gosto desta comunidade pela festa, mas também, e essencialmente, às redes sociais”.

E, de facto, para confirmar esta afirmação, bastava entrar no local e verificar o ambiente caloroso e a alegria transmitida pela "casa cheia”. O evento, que nasceu pelas mãos da Fundação Infância Feliz de Cabo Verde, contou com o patrocínio da Ferrero e foi animado por um grupo de músicos cabo-verdianos residentes no Grão-ducado e pelos grupos de dançarinas Dexa Mundo Papia e African Dancers, que encorajaram até aos "mais calmos" a dar um pezinho de dança.

O Grão-Ducado é também, a partir de agora, mais um país candidato a receber a próxima edição do Festival Revelação de Vozes da Diáspora, em 2013.
Texto: Sabrina Sousa

Luxemburgo: "Há muitas associações cabo-verdianas de fachada e a federação é um caso a rever"

Dois anos depois de ter abandonado o cargo de presidente da Organização dos Cabo-verdianos no Luxemburgo, José Maurício quebra o silêncio e tece críticas ao associativismo cabo-verdiano no país. As farpas dirigem-se às associações e à Federação das Associações Cabo-verdianas no Luxemburgo.

José Maurício é uma das figuras mais conhecidas da comunidade cabo-verdiana no Luxemburgo. Foi representante da comunidade no Conselho Nacional de Estrangeiros e, em 2005, passou a presidente da Organização dos Cabo-verdianos (OCL), cargo que ocupou até à extinção daquela organização, em 2010. Nesse ano, a OCL mudou de estatutos e passou a denominar-se Federação das Associações Cabo-verdianas no Luxemburgo (FACVL), tendo José Maurício passado o testemunho a João da Luz.

"Quando eu era dirigente da OCL defendia a mudança do nome para federação porque entendia que era esse o nome correcto, mas para além dessa mudança pensei que ia haver uma nova dinâmica. Passados estes anos, posso dizer que ficou aquém das expectativas, pois falta precisamente isso – dinâmica. Não estou a criticar directamente a pessoa que assumiu essa responsabilidade, até porque não havia mais ninguém que quisesse assumir esse desafio. Mas creio que a culpa também se deve às associações e às instituições cabo-verdianas, porque a federação não tem apoio de nenhuma instituição", aponta José Maurício.

Falta de organização e interesses individuais estão na base do 'vírus' que se apoderou do associativismo cabo-verdiano, reduzindo a sua representatividade, refere Maurício.

"A representatividade das associações cabo-verdianas no Luxemburgo está com 'deficit zero'. Esse é o vírus das associações e também da federação. As associações não estão organizadas e cada uma se baseia no interesse individual e as coisas não funcionam. Não há interesse colectivo. A federação não conseguiu pôr as coisas em ordem depois de todo este tempo, como fizeram as federações de outras comunidades. Ela [FACVL] tem nome, mas não representa ninguém. Está a trabalhar com nome de federação, mas de forma individual, e não pode ser. É por isso que a federação é um caso a rever”, diz.

Se a federação é um caso a rever, o mesmo se aplica às associações, que, segundo o antigo presidente da OCL, devem ser distinguidas: as "associações de fachada" e as associações que trabalham para a comunidade.

"Há muitas associações de fachada e é preciso fazer uma escolha. Vai ter de ser uma instituição cabo-verdiana, com outra voz, a sentar-se à mesa com as associações e dizer 'meus senhores, deixamos de trabalhar com associações de fachada e vamos trabalhar com associações credíveis'. Caso contrário, cada um faz o que quer e o que vai haver é uma competição entre as associações sérias e as associações de fachada. Dentro do mundo associativo são todos iguais, mas na prática há uns que se aproveitam do aspecto lucrativo e outros que não. É preciso separar as águas e é o associativismo cabo-verdiano que vai ganhar".

A falta de abertura à cultura de origem é outra das críticas apontadas por José Maurício, que lamenta que a comunidade cabo-verdiana esteja a perder terreno face a comunidades recém-chegadas ao Luxemburgo, por apostar em "festas e DJ’s", diz, em vez de partilhar e perpetuar a cultura cabo-verdiana.

"Não estamos a dar nada às outras comunidades sobre o conhecimento da cultura de Cabo Verde. Estamos a ficar muito atrás de comunidades que chegaram ao Luxemburgo depois de nós. Dou o exemplo de associações de países africanos recém-chegados ao Luxemburgo que têm trazido historiadores, escritores e têm feito exposições de pintura com o apoio do Ministério da Cultura do Luxemburgo. Nós não temos isso. A mentalidade das nossas associações é que trazer, por exemplo, um autor de literatura cabo-verdiana para aqui é um disparate. Para onde vamos só com festas e DJ's? Felizmente temos excepções, com algumas associações que têm feito algo por Cabo Verde", desabafa.

Para mudar a situação, José Maurício pede a intervenção da embaixada de Cabo Verde. "A federação não pode funcionar se não houver colaboração das associações. Ou temos uma federação forte e apoiada pelas associações e instituições, ou não vale a pena. Daí a necessidade de virar a página no associativismo cabo-verdiano no Luxemburgo. Esse virar de página tem de vir da embaixada. Se a embaixada meter em cima da mesa um plano de trabalho e vir quais as associações que respeitam esse plano, aí as coisas avançam, porque senão o vírus da 'representatividade zero' vai continuar no nosso meio".

"Há gente capaz de assumir a federação e dar estabilidade às associações. Algumas pessoas da antiga OCL têm boa vontade e querem regressar ao mundo associativo e fazer um trabalho não para 'a', 'b' ou 'c', mas para todos", conclui.
Textoe foto: H. de Burgo

Rádio Latina entrega prémios na Belle Étoile

A Rádio Latina, em parceria com o centro comercial Belle Étoile, entregou na sexta-feira os prémios do grande concurso "20 Anos”. A cerimónia de entrega decorreu no Cactus Belle Étoile, em Strassen.

Os vencedores receberam os respectivos prémios: Mário Correia, de Bivange, ganhou uma máquina de alta Pressão Karcher no valor de 399 euros; Maria Cantante, de Schifflange, foi premiada com um computador portátil Toshiba, no valor de 399 euros; Susana Simões Ferrão, de Bonnevoie, ganhou um grelhador a gás “El Prado” no valor de 299 euros; já Samuel Pinto, de Wiltz, ganhou uma máquina de café Espresso Delonghi Intensa no valor de 699 euros. Por último, Paulo Ferreira, de Dudelange, foi o feliz vencedor do Super Grande Prémio, e recebeu uma bicicleta eléctrica da marca Focus, no valor de 2.300 euros.

A Rádio Latina e o Cactus Belle Étoile felicitam todos os vencedores e agradecem a todos os ouvintes que participaram em grande número neste concurso.
Novos concursos com outros presentes vão ter lugar na antena da Rádio Latina nas próximas semanas.

Cursos de Francês em horário pós-laboral

Foto: Anouk Antony
As Amitiés Françaises organizam cursos intensivos de Francês para principiantes (C1), a partir do mês de Junho, em horário pós-laboral. Os cursos, com dois ciclos de 30 horas, decorrem de 18 a 28 de Junho, das 17h30 às 21h, e de 2 a 15 de Julho, no mesmo horário (sempre de segunda a quinta-feira). O preço por ciclo de 30 horas é de 120 euros.

As inscrições devem ser feitas até 11 de Junho, junto das Amitiés Françaises (no pavilhão pequeno do Liceu Miguel Rodange, na capital), entre as 17h30 e as 20h.

O pagamento pode ser feito até uma semana antes do início das aulas.

Mais informações pelo tel. 44 19 09 ou por correio electrónico ( amifra@internet.lu ).

Empresários luxemburgueses e portugueses trocam experiências em Lisboa

Paulo Janeiro criou um mini autocarro eléctrico
sem condutor Fotos: Licínio Lima
O encontro promovido pela Embaixada do Luxemburgo em Lisboa serviu para apresentar empresários do Luxemburgo aos empresários portugueses. Uma ocasião para procurar alternativas para a crise.

Paulo Janeiro, de Coimbra, 33 anos, quer ver espalhado por todo lado o seu carro eléctrico sem condutor fabricado em Portugal, único no mundo. Também Teresa Cruz, do Porto, com 27 anos, gostaria de ver os seus vinhos serem apreciados além-fronteiras, com o rótulo da garrafa desenhado ao gosto de cada um.

São dois jovens empresários que no dia 17 se juntaram na embaixada do Luxemburgo, em Lisboa, com muitos outros empresários portugueses e luxemburgueses, para partilharem experiências e divulgarem os seus projectos.

Eram cerca de 80 homens e mulheres de negócios, de ambos os países, reunidos nos jardins da Embaixada a convite do embaixador Paul Schmit. Do Grão-Ducado eram cerca de 40, dos sectores da construção, banca, seguros e tecnologias da informação, entre outros, pertencentes à Associação de Jovens Empresários Luxemburgueses. Todos os anos esta entidade promove uma deslocação a um determinado país para recolher experiências e descobrir desafios. Portugal foi este ano o eleito e, durante dois dias, com outros empresários lusos, os luxemburgueses percorreram o país para visitar as empresas mais emblemáticas.

A recepção na embaixada foi o culminar desses dois dias de trabalho, considerados muito "agradáveis e úteis”, garantiu, ao CONTACTO, Francisco Balsemão, presidente da Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE). Mas foram também um despertar de desafios para os jovens portugueses que se lançam no mundo dos negócios e enfrentam a crise que o país atravessa. "Têm de fazer pela vida”, disse, e aconselhou: "Ou tentam arranjar projectos que sejam exportáveis e internacionalizáveis, ou, então, se estiverem mais voltados para dentro, a melhor aposta poderá ser em projectos industriais que permitam reduzir as exportações".

Francisco Balsemão, à esquerda, preside
à associação de jovens portugueses
O Luxemburgo, em seu entender, pode ser um bom parceiro para os jovens empresários. "É um país europeu com indústria e tradicionalmente virado para o exterior”, frisou.
Para Paulo Janeiro, o convívio serviu, sobretudo, para falar do seu miniautocarro eléctrico sem condutor a que chama de elevador horizontal. O veículo, totalmente criado em Portugal, já pode ser visto no Hospital Rovisco Pais, em Coimbra, e num resort na Suíça. Não polui, não faz barulho, é alimentado com baterias e não tem condutor. "É o ideal para espaços fechados como grandes hospitais, grandes áreas industriais, ou hotelaria. Vai buscar as pessoas e leva-as onde elas quiserem, bastando para isso carregar num botão como se fosse um elevador", explicou.

Também Teresa Cruz, de 27 anos, natural do Porto, quis partilhar o génio que na sua empresa significa inovação. A sua área são os vinhos "Calheiros Cruz”, do Douro, que têm uma particularidade criada por Teresa: a garrafa pode ser comercializada com um rótulo em branco, podendo o cliente inscrever nele o que lhe apetecer. "Por exemplo, uma dedicatória à pessoa com que vai jantar", explicou. Ou seja, "personaliza o momento com um bom vinho".

Tristão Bacelar faz sacos para pão onde os empresários poderão colocar publicidade e Artur Soares, na área da biotecnologia, faz embalagens para a indústria farmacêutica, enquanto Célia Pimpista, antiga presidente da ANJE, gere o jardim-restaurante Clara, em Lisboa, onde idealizou um espaço para servir de encontro de todos os empresários.

Foi esta partilha de experiências, entre portugueses e luxemburgueses, que se vivenciou nos jardins da embaixada do Luxemburgo. Paul Schmit, no seu discurso de acolhimento, transmitiu aos empresários uma imagem de Portugal bem positiva, com potencial de investimento, destacando, sobretudo, a estabilidade política do país.

Licínio Lima, em Lisboa

Luxemburgo: Nova Embaixadora já assumiu oficialmente funções

A nova embaixadora de Portugal no Luxemburgo, Rita Ferro, já assumiu plenamente as suas funções. A diplomata apresentou as cartas credencias ao Grão-Duque na terça-feira da semana passada, e logo no dia a seguir fez a sua primeira aparição pública no Instituto Camões, durante a inauguração da exposição de Diana Amaral.

"Começar as minhas funções no Luxemburgo, aqui no Centro Cultural português, é um prazer muito grande, porque considero o Centro Cultural com um dos pilares mais importantes da presença portuguesa no Luxemburgo", disse Rita Ferro.

A embaixadora aproveitou ainda a ocasião para agradecer ao director do Instituto Camões o trabalho desenvolvido nos últimos seis anos. Carlos Correia prepara-se para cessar funções uma vez que atinge a idade da reforma.

A nova embaixadora de Portugal no Grão-Ducado chegou no início do mês de Abril, mas até agora não podia participar em actos oficiais por não ter ainda apresentado as credenciais ao Grão-Duque Henri. Rita Ferro deixou o posto diplomático de Portugal na Tunísia, onde se estreou nas funções de embaixadora, no passado dia 2 de Abril, e chegou ao Luxemburgo três dias depois, a 5 de Abril.

Além da nova embaixadora de Portugal no Grão-Ducado, Maria Rita da Franca Sousa Ferro Levy Gomes, entregaram as credenciais ao soberano luxemburguês também as embaixadoras de Moçambique, Ana Nemba Uaiene, e das Filipinas e da Letónia, e o embaixador da República do Djibouti.

Luxemburgo: Eurodeputada Maria da Graça Carvalho fala amanhã sobre energia

A eurodeputada Maria da Graça Carvalho vai estar amanhã no Luxemburgo para falar sobre energia, no âmbito do Ano Internacional da Energia Sustentável para Todos, que se assinala em 2012. A palestra, que se realiza a convite da Coordenação de Ensino de Português no Luxemburgo, tem o título "Energia, um bem de todos e para todos”, e decorre nas instalações do Instituto Camões, na quinta-feira, dia 24 de Maio, pelas 16h30.

Maria da Graça Carvalho é deputada do Parlamento Europeu pelo grupo do Partido Popular Europeu (PPE) desde 14 de Julho de 2009, e membro do Comité sobre Indústria, Investigação e Energia. A eurodeputada foi ministra da Ciência e do Ensino Superior no Governo de Durão Barroso, e ministra da Ciência, Inovação e Ensino Superior no Governo de Santana Lopes.

A conferência tem lugar nas instalações do Instituto Camões no Luxemburgo, que fica no no 8, boulevard Royal, na capital, e conta com o apoio daquele centro cultural português e também do Centro Regional de Informação das Nações Unidas para a Europa Ocidental (UNRIC).

"Estão a pôr a crise nas costas dos mais fracos", denuncia ministro do Trabalho

Foto: GGG
O ministro do Trabalho do Luxemburgo não poupou críticas às medidas de austeridade que estão a ser aplicadas em Portugal, durante o 3o Encontro de Sindicalistas e Dirigentes Associativos lusófonos, em Remich, no fim-de-semana.

Nicolas Schmit defendeu que Portugal e o Luxemburgo devem partilhar a responsabilidade do combate à exclusão e ao desemprego dos jovens portugueses no Luxemburgo, nomeadamente promovendo a sua qualificação.

"É um problema fundamental do nosso Governo e do de Portugal, é uma responsabilidade que devemos partilhar, o combate contra a exclusão e o desemprego dos jovens portugueses”, disse Schmit no encontro promovido pela CGTP e pela sua congénere luxemburguesa OGB-L.

O governante luxemburguês assegurou que o seu país não olha para Portugal como um simples observador, pois sente-se muito próximo de Portugal devido à grande comunidade portuguesa radicada no Luxemburgo, cujos familiares e amigos atravessam graves problemas, e "às centenas de pessoas que continuam a fugir do desemprego em Portugal".

O ministro considerou que a emigração "como um acto de desespero” não pode ser incentivada, pois a livre circulação deve ser feita com condições e não como forma de transportar o desemprego e a precariedade de um lugar da Europa para outro".

"Isso não é solução e é indecente”, disse, considerando terrível ver chegar famílias e em particular jovens, sem as devidas qualificações, que vão cair no desemprego.
O governante criticou a insistência da União Europeia nas políticas de austeridade que baixam os salários e a protecção social, destruindo o modelo social europeu e agravando a recessão económica.

"Estão a pôr esta crise nas costas dos mais fracos", disse, acrescentando que têm sido cometidos "erros colossais ao nível da gestão”, nomeadamente ao nível da governação financeira e económica. O ministro defendeu que só com políticas de crescimento económico e justiça social será possível "sair do marasmo”.

Remich recebeu novamente no fim-de-semana passado o encontro de sindicalistas, conselheiros e dirigentes associativos europeus, este ano alargado às diferentes comunidades lusófonas na Europa. Esta foi a terceira edição do encontro organizado pela central sindical portuguesa CGTP-IN e a sua congénere luxemburguesa, OGB-L, e contou ainda com a participação das centrais sindicais das Comunidades dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), nomeadamente de Angola e Cabo Verde.

Igualmente presentes estiveram o deputado luso-descendente do Parlamento luxemburguês, Félix Braz, e os deputados eleitos pelo círculo da emigração, Paulo Pisco (PS) e Carlos Gonçalves (PSD).

Paulo Pisco chamou a atenção para o facto de o "aumento dos fluxos migratórios” estar a ser acompanhado por uma inadmissível "diminuição dos recursos” que são disponibilizados às comunidades. Pisco destacou a cobrança de uma propina pelo ensino do Português no estrangeiro, à qual se opõe veementemente. Face ao aumento da emigração para números só equiparáveis aos dos anos 60 e 70, o deputado socialista lançou ainda um apelo a todos os "conselheiros, representantes da sociedade civil, sindicalistas e dirigentes associativos” para que contribuam para um "reforço institucional entre o Luxemburgo e Portugal”.

O deputado do PSD Carlos Gonçalves, por seu turno, reiterou a importância das comunidades emigrantes para o país e insistiu também na "importância do sindicalismo” e da "participação civil e política” na articulação dos mecanismos de resposta aos problemas laborais e sociais.

No encontro, em que participou ainda Eduardo Dias, sindicalista da OGB-L e conselheiro das Comunidades no Luxemburgo, foi aprovada uma resolução de 28 pontos que deverá ser remetida às autoridades portuguesas e europeias. No documento, os sindicalistas presentes no Luxemburgo reivindicam um conjunto de 28 medidas, nomeadamente "a defesa intransigente dos interesses" das comunidades portuguesas por parte do Estado português. A expansão do ensino do português e a adequação da rede consular às crescentes necessidades das comunidades são outras das reivindicações.

Texto: Gonçalo Guimarães Gomes (com Lusa)